A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
Hemorragia Digestiva

Pré-visualização | Página 1 de 1

Hemorragia digestiva
Hemorragia digestiva baixa
Hemorragia digestiva alta
É qualquer sangramento que 
ocorra no trajeto que vai da bôca ao ânus
Definição 
• Esôfago 
!
• Estômago 
!
• Duodeno
• Delgado 
!
• Cólon, reto e ânus
Ângulo deTreitz
Apresentações clínicas
H.D.B. !
Enterorragia !
 - Oculta 
Hematoquezia 
 - Evidente 
H.D.A. !
Hematêmese 
!
Melena 
!
Oculta 
Enterorragia Melena
Hemorragia digestiva alta
HDA
• Causa frequente de hospitalação 
!
• Incidência de 50 -100 por 100.000 hab. / ano 
!
• Pacientes acima de 65 anos - 30% dos casos 
!
• Mortalidade 8-10% 
!
• 10% tem sangramento contínuo 
!
• Autolimitada em 80%,em 20% ressangramento
Etiologia
!
!
Não associada a hipertensão portal 
• Não varicosa 
!
Associada a hipertensão portal 
• Varicosa 
 (varizes esofágicas, gastropatia congestiva)
Úlcera gástrica 
Úlcera duodenal 
Varizes de esôfago 
Mallory-Weiss
 Menos freqüentes RarasFreqüentes
Úlcera gástrica 
Úlcera duodenal 
Varizes de esôfago 
Mallory-Weiss
 Menos frequentes 
Ectasias vasculares 
 Gastropatia hipert. 
 Neoplasias 
 Esofagite 
 Gastrite erosiva
 Raras
Úlcera de esôfago 
Duodenite erosiva 
Fístula aorto/entérica 
Hemobilia 
Crohn 
Não identificada
Frequentes
Etiologia
Patologia Incidência %
Úlcera duodenal 31.4 %
Varizes esofágicas 24.3 %
Úlcera gástrica 15,0 %
Lesão aguda de Muc. Gas. 12.2 %
Mallory Weiss 3.4 %
Blastomas 3.3 %
Esofagite 2.8 %
Úlcera de anastomose 1.3 %
Outras 1.7 %
Não determinadas 4.6 %
Etiologia
Sinais e sintomas
▪ Anamnese 
• Hematêmese e melena 
• Alt. nível de consciência, astenia, vertigens, síncope (hipovolemia), 
edemas, ascite. 
• Palidez, dispneia, angina e fraqueza de esforço (sangramento 
crônico) 
▪ Exame físico 
• Alts. circulatórias, alt posturais dos sinais vitais: 
• 500 ml: tolerada 
• 500 – 1500 ml: sinais de hipovolemia 
• > 1500 ml: choque 
• Hiperperistaltismo, sinais de ins. hepatocelular 
• Toque retal
Origem
• Arterial 
• Úlcera péptica 
!
• Venosa 
• Varizes esofagianas 
!
• Capilar 
• Lesões agudas da mucosa gastrointestinal
Classificação
Tipo Volume PAS Pulso
Inaparente <20% da volemia >100 mmHg <100 btm
Leve 20% 
(<1000 ml)
Deitado: normal
de pé - 20 mmHg
Deitado: normal
de pé + 20 bpm
Moderada 20-40% 
(1500 ml)
90 – 100 mmHg 100 bpm
Maciça >40% 
(> 2000 ml)
<90 mmHg > 120 bpm
Abordagem
• Estabilização do paciente (hidratação e correção da 
hipovolemia) 
• Determinação do foco de sangramento 
 Endoscópico 
• Tratamento imediato Cirúrgico 
 Clínico 
 Outros 
• Prevenir recorrência
• Respondem por 2.8% das HDA 
!
• Sangramento discreto 
!
• Sintomas: disfagia, odinofagia, 
pirose, regurgitação, eructação. 
!
• Tratamento com IBP e medidas antirefluxo
Esofagites
Varizes de esôfago
• Respondem por 24.3% das HDA 
!
• Complicação da hipertensão portal 
 (causa rara: trombose da veia esplênica) 
!
• Agressiva e em grande volume 
!
• Abordagem endoscópica imediata: diagnóstico e 
terapêutica 
!
• Outras opções de tratamento:Balão de S.Blackmore
Varizes do esôfago
Tratamento endoscópico: 
 Ligadura de varizes do esôfago
Tratamento endoscópico: 
 Esclerose de varizes do esôfago
Balão de Sengstaken - Blakemore
Gastrites
▪Etiologia 
• Etanol 
• A.I.N.H. 
• Stress 
!
▪Sangramento discreto 
!
▪Sintomas: vômitos associados a 
dor, desconf epigastrico, dispepsia, 
eructação, nauseas e vômitos 
Mallory-Weiss
• Responde por 5-10% das HDA 
!
• Pacientes com ansia forçada ou 
multiplos episódios de vômitos 
!
• Dor subesternal em queimação, 
regurgitação(junção gastroesofágica) 
!
• Para espontâneamente em 80-90%
• Respondem juntas por 50% das HDA 
• Mais frequente na duodenal 
• Diminuindo a incidência 
!
• Fatores relacionados: 
!
!
• Sintomas: epigastralgia, pirose relacionada as refeições 
(gástrica – logo após e a duodenal – 2 a 3 hs após)
H.pylori 
Acidez gástrica 
A.I.N.E.S. 
Etanol
Úlcera gástrica e duodenal
Prevenção de ressangramento
▪Erradicar o H.pilory 
▪Evitar uso de A.I.N.E.S. 
▪Evitar o abuso de bebidas alcóolicas 
▪Diminuir pressões portais no sistema ázigos 
• medicamentosa(propanolol) 
• endoscópica(esclerose de varizes)
Hemorragia digestiva baixa
HDB
• Hospitalizações correspondem a 1/3 das hemorragias 
!
• Hematoquezia, enterorragia e sangramento oculto 
!
• Etiologia varia com a idade 
!
• Incidência maior em homens (diverticulose e dç. vascular) 
!
• Perda: varia de moderada a severa com choque 
!
• Na maioria da vezes auto-limitada
Etiologia
▪Causas mais frequentes 
!
• Diverticulose e diverticulite (60%) 
!
• Doenças inflamatória intestinal (13%) 
!
• Doenças anorretais benignas (11%) 
!
• Hemorróidas e fissuras anais
Diverticulose
• Assintomáticos (maioria) 
• Dor epigástrica e sensação de 
inchaço 
• 46% jejunais tem 
complicações: 
• Sangramento 
• Dor 
• Obstrução intestinais 
• Perfuração 
• Abscesso localizado
Doenças inflamatórias intestinais
• RCU: cólon 
• Dç Crohn: todo intestino 
• Sintomas: hábitos intestinais irregulares, 
(diarréia ou constipação) passagem de 
muco, cólica abdominal, nauseas e 
vômitos, perda de peso, febre, sudorese, 
atralgia, fadiga e mal estar, tenesmo
Doenças anorretais: Hemorroidas
• Dilatação vascular no reto 
inferior 
• Sangramento retal (+comum) 
• Prurido 
• EF: fissuras, fístulas, prolapso 
retal ou hemorroidal 
!
• Trombose - dor
Etiologias menos frequentes
!
• Neoplasias 
!
• Pólipos 
!
• Doença Inflamatória Intestinal (retocolite 
ulcerativa e Crohn) 
!
• Doenças do delgado 
❑ angiodisplasias 
❑ divertículo de Meckel
Neoplasias 
Pólipos
Abordagem
• Estabilização hemodinâmica 
!
• Toque retal 
!
• Retossigmoidoscopia flexível / Colonoscopia 
!
• Angiografia 
!
• Dieta e tratamento medicamentoso da doença de base 
Resumo
• Abordagem inicial deve ser voltada as condições 
hemodinâmicas do paciente 
!
• A endoscopia é o procedimento de escolha para o 
diagnóstico inicial e em alguns casos tratamento 
!
• Métodos alternativos para diagnóstico e tratamento 
deverão ser individualizados 
!
• Valorizar sempre o menor sinal de hemorragia digestiva