A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
138 pág.
sebenta Morfologia-e-Citologia-da-célula-bacteriana3

Pré-visualização | Página 40 de 40

hospedeiros naturais são os canídeos e os intermediários são os herbívoros; o 
Homem é apenas um hospedeiro acidental. 
 
Patogénese e Patologias 
Ver imagem para mais detalhes. A infecção humana é 
iniciada com a ingestão de ovos, provenientes de vermes 
instalados no intestino do canídeo e expulsos pelas suas fezes. 
Uma larva, denominada de oncosfera, eclode e penetra na 
parede intestinal humana, entrando na circulação; por este 
meio ela é transportada até aos vários tecidos, primariamente 
o hepático e o pulmonar, mas também o SNC e tecido ósseo. 
O mesmo ciclo acontece nos herbívoros (cuja carne, quando 
consumida pelo canídeo, completa o ciclo). As larvas não 
desenvolvem no organismo humano; em vez disso, elas 
 
75
 Cisticerco – estrutura constituída por um escólex, colo e uma vesícula membranosa contendo líquido no seu 
interior. 
 
 
 
135 
formam um quisto hidático unilocular, uma estrutura de crescimento lento (5 a 20 anos) de 
até 20 cm, com um conteúdo de até 2 litros de líquido. O quisto e os quistos-filho que se 
possam vir a desenvolver por perto contêm fluido cístico, fluido esse potencialmente 
tóxico. Os quistos, ao se instalarem no fígado, pulmões, ossos e SNC, podem causar 
sintomas, embora estejam mais comummente instalados nos dois primeiros. 
A pressão do quisto a crescer é o que dá sinal de infecção: 
 No fígado: pressão sobre os canais biliares, dor e ruptura 
biliar; 
 No pulmão: tosse, dor torácica e dificuldade respiratória. 
A ruptura dos quistos dá-se em 20% dos casos, causando: 
 Febre e urticária e, ocasionalmente (em casos de 
libertação de conteúdos antigénicos), choque anafilático, 
disseminação da infecção e morte. 
 
Diagnóstico 
O diagnóstico dos quistos hidáticos faz-se a nível clínico, podendo recorrer-se a 
técnicas radiológicas e a testes serológicos.