A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
40 pág.
Estrutura DNA e RNA e Sintese de proteinas

Pré-visualização | Página 2 de 2

ligação do mRNA e tRNA ao 
ribossomo
Tradução 
é quando o mRNA chega ao
citoplasma e se associa ao
ribossomo, para servir de molde
para síntese de polipeptídio.
Após esta associação os tRNA
levam os aminoácidos, que serão
ligados, formando a proteína.
Tradução 
 Primeiro: o ribossomo se liga a um sitio de iniciação 
(códon: AUG) na seqüência do mRNA.
Tradução 
 O ribossomo então liga o tRNA a sua
superfície, de modo que o pareamento de
bases possa ocorrer entre o tRNA e o mRNA
no sentido habitual 5’ para 3’.
Somente os tRNAs tem seqüência do anti-
códon complementar a seqüência do códon
no ribossomo.
 A medida que cada códon é processado,
um aminoácido é traduzido pela interação
entre o mRNA e tRNA.
Tradução 
Uma enzima presente na subunidade
maior do ribossomo realiza a ligação
peptídica entre os aminoácidos
adjacentes.
Polipeptídio crescente
Tradução 
O tRNA “vazio” volta para o
citoplasma para se ligar a outro
aminoácido.
Tradução 
O ribossomo agora se
desloca 1 códon para o lado.
O espaço vazio é
preenchido por um outro
tRNA com seqüência do anti-
códon complementar a
seqüência do códon.
Tradução 
O tRNA “vazio” volta para o
citoplasma para se ligar a outro
aminoácido.
E assim o ribossomo vai se
deslocando ao longo do mRNA
e os aminoácidos são ligados.
Tradução 
 Quando o ribossomo chega a um
códon de fim na seqüência do mRNA, a
tradução e a formação do peptídio cessam.
Então o ribossomo se solta do mRNA,
a proteína recém formada é liberada e o
mRNA e degradado.
Modificação da proteína após a 
síntese
Modificações pós-
tradução
1) Modificações para transformar o polipeptídio numa 
forma funcional: quebras, reorientações de certos 
fragmentos, deleções, adições. 
2) Adição de cadeias laterais de carboidratos ao 
polipeptídio.
Muitas proteínas emergem do ribossomo prontas para funcionar.
Outras, no entanto, sofrem uma série de modificações pós-tradução 
Podem ser necessárias, por exemplo, para promover o 
dobramento correto da proteína final ou estabilizar sua 
estrutura.