A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
77 pág.
Dicionario Financeiro_Completo

Pré-visualização | Página 15 de 28

representantes do Crédit Suisse, Merrill Lynch e UBS Warburg reuniram-se com representantes da iX para questionar alguns obstáculos à fusão.
Um dos problemas é que a estrutura acionária da nova bolsa: Londres tem mais membros que Frankfurt, por causa do grande número de pequenas corretoras que atuam no mercado britânico.
Os bancos temem também que Frankfurt se transforme no centro dominante da Europa, pois, na parceria com a Nasdaq, passará a concentrar o mercado de ações de tecnologia. 
Juros Simples X Juros Compostos
Qual o valor total que será pago por um empréstimo de R$ 10 mil, por um período de 5 meses, com juros de 5% ao mês: R$ 12.500 ou R$ 12.762,82? As duas respostas estão corretas. Tudo depende do regime utilizado para o cálculo dos juros. Com juros simples, a primeira opção é a que vale. Mas, com juros compostos, a conta aumentará R$ 262,82.
Na prática, quase todos os empréstimos ou financiamentos concedidos no Brasil são calculados pelo regime de juros compostos. Mas nem sempre foi assim. Até 1976, quando a inflação começou a explodir e as taxas de juros chegaram à estratosfera, o mercado financeiro brasileiro utilizava somente juros simples. "Depois disso, passamos a ser o maior consumidor de HP 12C (calculadora financeira) do mundo".
Somente desconto de duplicatas e ACCs (Adiantamentos de Contrato de Câmbio) utilizam regime de juros simples. No Brasil, que fique bem claro. Porque o mercado financeiro internacional utiliza juros simples em quase todas as operações. "A conta é muito mais fácil. E a diferença de regimes só é significativa quando as taxas são mais altas".
A diferença entre juros simples e compostos é um dos conceitos básicos da matemática financeira. Por isso, é importante compreendê-la..
Obviamente, para quem empresta ou aplica dinheiro é muito mais vantajoso calcular o valor final pelo regime de juros compostos. Já para quem pede emprestado, o melhor seria o regime de juros simples.
LTN, LFT e NTN-C
Como toda grande empresa que precisa se financiar, o Governo Federal emite títulos para captar recursos no mercado. Os três principais títulos são chamados de Letras do Tesouro Nacional (LTN), Letras Financeiras do Tesouro (LFT) e Notas do Tesouro Nacional – Série C. 
As LTNs são papéis de perfil prefixados, ou seja, têm a taxa de juro que será paga no vencimento preestabelecida, as LFTs têm perfil pós-fixado, corrigidas pela taxa Selic (indicador da taxa básica de juros da economia). 
Esses títulos são leiloados toda semana pelo Governo e são considerados uma opção atrativa para as instituições financeiras e, desde janeiro de 2002, para pessoas físicas. As LTN e LFT são emitidas apenas para captações feitas no mercado interno. 
Veja como funciona esse sistema: o Governo precisa de capital para honrar suas dívidas tanto de longo, como de curto prazo. Só que não é capaz de gerar receita suficiente para honrar todos esses compromissos. Então, vai ao mercado e faz uma oferta de títulos com taxas pós ou prefixadas. 
As instituições financeiras interessadas compram esses títulos, emprestando dinheiro ao Governo para que honre suas dívidas. Depois, colocam os papéis nas carteiras dos fundos de investimento. Com o início da venda direta de títulos públicos pela internet, o governo pretende pulverizar a dívida. 
Com a tentativa do governo de mudar o perfil da dívida interna, o governo passou a alongar os prazos de vencimento. Os títulos disponíveis hoje no Tesouro Direto: 
	Tipo de Título
	Vencimento
	Indexador
	LFT
	16 de fevereiro de 2005
	Selic
	LFT
	18 de janeiro de 2006
	Selic
	LFT
	17 de janeiro de 2007
	Selic
	LTN
	01 de abril de 2004
	Prefixados
	LTN
	01 de julho de 2004
	Prefixados
	LTN
	01 de outubro de 2004
	Prefixados
	LTN
	04 de janeiro de 2005
	Prefixados
	NTN-C
	01 de dezembro de 2005
	IGP-M
	NTN-C
	01 de abril de 2008
	IGP-M
	NTN-C
	01 de julho de 2017
	IGP-M
	NTN-C
	01 de abril de 2021
	IGP-M
	NTN-C
	01 de janeiro de 2031
	IGP-M
Entenda o que significa cada sigla: 
LTN: Sigla para Letras do Tesouro Nacional. Título de dívida prefixado usado pelo Tesouro como instrumento de captação de recursos. 
LFT: Sigla para Letras Financeiras do Tesouro. Trata-se de uma modalidade de empréstimo do Governo brasileiro, na qual ele lança LFT no mercado para captar recursos. As instituições financeiras interessadas compram essas LFT (portanto cedendo dinheiro ao Governo) e as resgatam no período e valores previamente combinados. Estes papéis são pós-fixados, rendendo a taxa acumulada no mercado Selic. 
NTN-C: Sigla para Notas do Tesouro Nacional- Série C. Também são títulos prefixados, mas além da taxa combinada no momento de sua compra, têm sua rentabilidade vinculada à variação do IGP-M. Outra diferença é o pagamento de juros semestrais, sendo o resgate do valor principal feito no vencimento
Lair X Lajir
O LAIR (lucro antes do imposto de renda) e o LAJIR (lucro antes dos juros e imposto de renda) são conceitos de análises e medições de fluxo de caixa das empresas muito utilizados pelos departamentos financeiros e até mesmo por investidores dispostos a desembolsar capital para ter participação em um determinado negócio, ou seja, que desejam tornar-se sócios.
Com esses dois indicadores, que medem a performance da empresa em momentos distintos, é possível criar planos de negócios ou alterar um que não vem saindo como o esperado. Isso porque eles apontam como a empresa está capitalizando seu superávit (aplicando no mercado financeiro o dinheiro que sobra) - ou quanto está gastando para financiar seu déficit –, no caso do LAIR; e qual está sendo o retorno do negócio, no caso do LAJIR.
O LAIR é a forma mais correta para se ter uma idéia da geração de caixa de uma empresa. Esse indicador considera as despesas, receitas, os juros recebidos ou pagos pela empresa. “Com esse indicador é possível saber se a estrutura de capital da empresa está adequada”,
A estrutura de capital a que Marco se refere diz respeito à maneira com que a empresa controla suas finanças. Exemplo: caso a empresa seja superavitária, ela vai procurar remunerar esse dinheiro no mercado financeiro da melhor forma, gerando receita
Caso seja deficitária, terá que ir ao mercado buscar quem a financie a um custo adequado, o que gerará gastos extras. “A partir do LAIR pode-se ter o diagnóstico de quanto está sendo esse gasto extra e, se necessário, adequá-lo”. Como o LAIR só expurga os gastos com Imposto de Renda, todos os outros custos e receitas podem ser analisados.
Já o LAJIR (Lucros Antes dos Juros e Imposto de Renda), possibilita mostrar como a empresa está se saindo com relação ao seu negócio, sem contabilizar os gastos financeiros. “É estritamente comercial, e diz respeito apenas ao desempenho do negócio da empresa”
Leilão de ações
Para manter qualquer operação transparente e evitar favorecimentos, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que regula o mercado de ações no Brasil, criou certas regras, que se desdobram em instruções. O leilão é uma das mais fortes nesse sentido. “Os leilões são nada mais do que uma maneira de dar transparência a uma operação e criar condições para que todos os interessados possam participar em igualdade de condições; seja em nível de informações, seja em nível de oferta de preços “Existem algumas hipóteses determinadas na instrução 168, que prevêem em quais casos se abrem os leilões”, complementa. 
Um caso típico de utilização dos leilões foi o processo de privatização das empresas estatais. “O Governo teve que abrir a empresa para todos os interessados. Até mesmo informações confidenciais, são as chamadas data rooms. Isso permite que todos que entrem no leilão estejam em condições de igualdade”, Mesmo pode acontecer com papéis de empresas privadas, negociados por pessoas físicas. “Se alguém quiser vender ou comprar um papel que não é negociado há algum tempo, a bolsa tem que colocar por um período em leilão para que outros possam ofertar e entrar na negociação. Isso não