A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
77 pág.
Dicionario Financeiro_Completo

Pré-visualização | Página 26 de 28

ganhará 10%. Se, por outro lado, este valorizar o equivalente a 90% do CDI, a empresa continuará recebendo o rendimento completo e o banco arcará com os 10%. 
Neste caso, o combinado foi que a empresa recebesse 100% do rendimento do CDI, mas isto é variável. Pode-se combinar a garantia de rendimento de qualquer porcentagem do CDI, assim como o seu prazo. 
O banco corre o risco, pois tem outras receitas de várias outras formas e fontes, inclusive em dólares e em taxas flutuantes. Ele não terá dificuldades em cobrir o combinado, pois tem várias fontes de captação, inclusive em taxas flutuantes, moedas estrangeiras e depósitos, o que normalmente facilita muito sua posição em relação a disponibilidade financeira para realizar o swap. Além do mais, o banco cobra uma taxa para realizar a operação. 
Suporte e resistência
Como saber qual é o melhor momento para comprar ou vender uma ação? Segundo os analistas técnicos, a melhor maneira de prever isso é através da observação dos pontos de suporte e resistência nos gráficos de tendência de preços de ações. Nestes gráficos, onde há espécies de zig-zags, pode-se observar que há picos e fundos. Os picos são chamados de pontos de resistência e os fundos, de pontos de suporte.
Quando os preços das ações estão próximos ao nível do suporte, as compras feitas pelos investidores são fortes suficientes para interromper o processo de queda durante algum tempo e, possivelmente até revertê-lo. É o ponto onde as compras estão superando as vendas. Ou seja, indica que dificilmente os preços vão cair abaixo daquele nível. 
Já as resistências são os níveis de preços onde as vendas estão superando as compras dos investidores, o que também pode interromper a tendência de alta das ações e até revertê-la. Assim, ao chegar neste ponto, é difícil, mas não impossível, que os preços das ações ultrapassem esse nível. Mas, por outro lado, se os preços ultrapassarem um pouco este ponto, se diz que eles estão quebrando a resistência e passam a ter uma tendência forte de alta. 
Para entender o que o investidor deve concluir disso, vamos a um exemplo numérico: 
Suponha que, ao analisar o gráfico do suporte e resistência, o investidor observe que, no passado, a linha subiu até R$ 20, caindo posteriormente e chegando até R$ 10. Se a curva chegar aos R$ 20 e começar a cair, como já havia acontecido, é o momento certo de venda. Isso porque a tendência será de queda e, conseqüentemente, os investidores começam a realizar lucro para não pegar maiores quedas. 
Mas, em contrapartida, se os preços ultrapassarem o nível de resistência observado anteriormente (R$20), quebrando a resistência, a tendência é de que o preço continue subindo. Isso faz com que seja bom momento para adquirir mais papéis.
No caso da análise do nível de suporte, também pode-se concluir qual é o melhor momento de compra e venda. Caso a linha de suporte, no passado, tenha ficado em R$ 20 e, posteriormente, tenha caído para R$ 10, há a possibilidade de dois movimentos. Ou o preço volta a subir, respeitando o suporte de R$ 10 ou rompe este nível, caindo mais. 
Ao chegar ao nível de R$ 10, suporte observado anteriormente, pode-se concluir que é um bom momento para compra, já que, a partir deste ponto, a tendência será de alta. Caso, depois de atingir o nível de R$ 10, o preço continue caindo, rompendo assim o suporte, o investidor deve vender as ações, que entraram em tendência de queda.
Infelizmente, a análise técnica, não faz milagres. Mas ao utilizá-la, o investidor pode evitar grandes perdas durante as negociações através dos conceitos de suporte e de resistência. Ninguém pode saber qual será o andamento do mercado, mas através da análise dos níveis de suporte e resistência é possível ao menos reduzir as perdas nas negociações.
Quando e como é cobrada a taxa de administração
Observar a taxa de administração é uma das recomendações feitas aos investidores que estão escolhendo um fundo de investimentos.Eessa observação pode influenciar diretamente na rentabilidade do fundo. “Se o investidor adere a um fundo com taxa de 4%, por exemplo, o investidor não terá grande retorno, já que descontará esse percentual e não uma taxa menor, de 1%, por exemplo”, 
Neste caso, é importante que os investidores saibam como esta taxa é cobrada e entendam que um fundo com taxa menor não necessariamente irá apresentar rentabilidade maior que um fundo com taxa maior. Pois isso depende muito dos ativos nos quais o fundo aplica seus recursos.
A taxa de administração, que é o que o gestor ganha para fazer a administração do capital investido, é anual, cobrada mensalmente e apropriada diariamente. Os fundos fazem a divulgação da taxa anual para que os investidores possam compará-las, mas é o cálculo diário que determina quanto será retirado da cota do fundo. 
“A transferência diária é feita para que a cota não sofra grandes solavancos, o que influenciaria muito na rentabilidade, e também para que seja possível que a cobrança da taxa seja feita pela média do patrimônio do fundo. Assim, cada cotista paga o relativo ao que tem”, 
Vale lembrar que o percentual cobrado de taxa fica a critério de cada gestor e deve constar no regulamento de cada fundo. Isso ocorre devido ao fato de cada administradora ter estrutura e serviços diferenciados. “As taxas podem variar de acordo com a complexidade do fundo, com os serviços oferecidos por cada gestor e também devido à estrutura de cada um deles ”, 
Ainda há os fundos que não cobram taxa de administração, mas mesmo assim, os custos do gestor continuam os mesmos. “As despesas legais que o gestor tem para movimentar o capital do investidor continuará sendo repassado, havendo ou não cobrança de taxa de administração”,.Este pode ser o caso de um fundo que cobre taxa de performance. Ou seja, um prêmio pago ao gestor que conseguir melhor desempenho. 
Veja o exemplo : Levando em consideração um patrimônio de abertura de R$ 10 mil e uma taxa de administração de 2%, deve-se dividir os 2% por 252, que é a média de dias úteis que o ano tem, e multiplicar pelos R$ 10 mil. Neste caso, o resultado seria cerca de 0,79. Ou seja, o investidor estaria pagando aproximadamente 0,79 centavos por dia de taxa de administração. 
Confira a fórmula utilizada: 
Valor da taxa no dia: taxa/100 x 1/252 x Patrimônio líquido
“Tag Along”
Nos últimos meses, empresas, como Itaú, Gerdau e Sabesp têm aumentado ou modificado a distribuição do seu tag along para atrair investidores. O resultado é uma maior transparência no relacionamento com o acionista e nas negociações que envolvem a venda do controle da empresa negociada. Mas o que isso quer dizer? O que significa “tag along” e como isso mexe com a vida dos acionistas? 
A expressão virou o tema da vez especialmente após a promulgação das mudanças na antiga Lei das Sociedades por Ações, a Nova Lei das SAs, que incluiu – entre outros - o artigo 254-A, assegurando a todos os acionistas de papéis ordinários um pagamento de, no mínimo, 80% do valor pago aos controladores pelo bloco de controle. O tag along é justamente essa proporção do valor pago ao grupo controlador que é pago aos minoritários. 
Veja um exemplo: 
	Valor da ação ordinária da empresa 
	R$ 5,00 
	Valor por ação pago pelo comprador aos controladores 
	R$ 9,00 
	Tag Along 
	80% 
	Valor por ação pago aos demais acionistas 
	R$ 7,20 (80% de R$ 9,00) 
É importante que o tag along seja estabelecido porque o que acontece de fato é que o bloco controlador de uma empresa normalmente é vendido por um valor bastante superior ao preço da ação no mercado, se fosse adquirida individualmente. “Quando o controlador vende a sua parte, está vendendo mais do que o papel pelo valor do mercado, mas está negociando o controle, que tem um valor agregado maior”, 
Pelos mesmos motivos, tem sentido o percentual não ser maior. “Poderia não ser justo com quem tinha o controle, receber exatamente o mesmo percentual de prêmio”, lembrando dos riscos e responsabilidades que assume quem detém o