A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
AV1 modelo 2 corrigida

Pré-visualização | Página 1 de 2

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO DE SÁ DE SANTA CATARINA
DIREITO PENAL II – PROFESSOR: LEONARDO SCHMITT DE BEM
NOME: Daniela Silva de Campos Vasconcellos NOTA:_________
Observações: a) Apenas serão consideradas respostas legíveis; b) As respostas devem ser apresentadas com caneta azul ou preta; c) É proibida a consulta a qualquer tipo de material; d) A utilização indevida de cola acarretará a retirada da prova e a atribuição de nota zero; e) Desliguem os celulares.
AS QUESTÕES DISCURSIVAS DEVEM TER AS RESPOSTAS DEVIDAMENTE FUNDAMENTAS. 
1) A médica Myriam Castro, 34 anos, foi presa na noite de ontem no interior paulista. Era foragida da polícia após ter sido condenado pelo crime de lesão corporal gravíssima. Ela contratou outros dois homens para cortar o pênis do noivo, porquanto este rompera o noivado três dias antes da cerimônia. Nesse contexto, como juiz de direito, na segunda fase da dosimetria, quais circunstâncias agravantes você deve considerar? Justifique de forma fundamentada sua resposta. 
De acordo com o artigo descrito abaixo o caso concreto se enquadra na letra “a”, motivo fútil (rompimento do noivado) ou torpe (pagamento para execução do crime).
Art. 61 - São circunstâncias que sempre agravam a pena, quando não constituem ou qualificam o crime:
I - a reincidência;
II - ter o agente cometido o crime:
a) por motivo fútil ou torpe;
b) para facilitar ou assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou vantagem de outro crime;
c) à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação, ou outro recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa do ofendido;
d) com emprego de veneno, fogo, explosivo, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou de que podia resultar perigo comum;
e) contra ascendente, descendente, irmão ou cônjuge;
f) com abuso de autoridade ou prevalecendo-se de relações domésticas, de coabitação ou de hospitalidade, ou com violência contra a mulher na forma da lei específica;
g) com abuso de poder ou violação de dever inerente a cargo, ofício, ministério ou profissão;
h) contra criança, maior de 60 (sessenta) anos, enfermo ou mulher grávida;
i) quando o ofendido estava sob a imediata proteção da autoridade;
j) em ocasião de incêndio, naufrágio, inundação ou qualquer calamidade pública, ou de desgraça particular do ofendido;
l) em estado de embriaguez preordenada.
Rafael, agindo com desígnios autônomos e no mesmo contexto fático, comete dois crimes de homicídio doloso contra vítimas distintas. O togado, na dosimetria, aplicou a regra da continuidade delitiva, exasperando a pena de acordo com o número de delitos. Rafael contrata os seus serviços. Apresente fundamentadamente a tese defensiva que deverá ser alegada no recurso de apelação para combater a respectiva sentença.
A configuração da continuidade delitiva exige a prática de um ou mais crimes da mesma espécie em condições de tempo, lugar e modo de execução do delito indicativas de serem, as condutas subsequentes, continuação da primeira. A exasperação só pode ser aplicada quando houver desígnio único.
É correta a decisão do magistrado que, no concurso formal entre os crimes de homicídio qualificado e lesão corporal leve, derivado de desígnio único do agente, aplicou a pena por meio do princípio da cumulatividade? Justifique de forma fundamentada.
De acordo com art. 70 CP, 1ª parte, quando o agente, mediante uma só ação ou omissão, pratica dois ou mais crimes, idênticos ou não, aplica-se a mais grave das penas cabíveis ou, se iguais, somente uma delas, mas aumentada, em qualquer caso, de um sexto até metade. Na questão acima temos concurso formal próprio,porque havia um desígnio único,sendo assim,o sistema de aplicação de pena deverá ser o da exasperação, portanto a decisão é incorreta.
Jorge e Mateus, irmãos, em um dia de fúria, violentaram sexualmente Maria e mataram Raul. As vítimas eram, respectivamente, irmã e pai dos agentes. O juiz, na dosimetria da pena, quanto ao delito de estupro, considerou duas causas de aumento de pena previstas na parte especial, isto é, o concurso de agentes e o parentesco. Por sua vez, qualificou o crime de homicídio considerando o simples parentesco. Finalmente, após dosar a pena de cada infração, exasperou a maior considerando a incidência do concurso formal próprio ou perfeito (art. 70, 1ª parte, CP). Os irmãos contratam os seus serviços. Apresente de forma fundamenta as teses defensivas que deverão ser alegadas no recurso de apelação interposto para combater a respectiva sentença.
Neste caso temos concurso material,art. 69 CP Quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão, pratica dois ou mais crimes, idênticos ou não, aplicam-se cumulativamente as penas privativas de liberdade em que haja incorrido. No caso de aplicação cumulativa de penas de reclusão e de detenção, executa-se primeiro aquela.
§ 1º - Na hipótese deste artigo, quando ao agente tiver sido aplicada pena privativa de liberdade, não suspensa, por um dos crimes, para os demais será incabível a substituição de que trata o art. 44 do CP .
§ 2º - Quando forem aplicadas penas restritivas de direitos, o condenado cumprirá simultaneamente as que forem compatíveis entre si e sucessivamente as demais.
Quanto ao parentesco,não pode ser considerado qualificadora e sim agravante.Desta forma deve ser considerado homicídio simples.
Assinale a alternativa CORRETA após analisar as proposições abaixo:
I – Leonardo pretendendo lesionar seu vizinho Raimundo, e visualizando que este se encontrava na sala distraído, arremessa uma pedra através da vidraça da residência de Raimundo. Entretanto, por erro na execução do crime, além da pedra atingir e lesionar superficialmente o vizinho, também acaba por acertar e danificar o aparelho de TV da sala. Leonardo responderá apenas por crime de lesões corporais leves. 
II – Leonardo, pretendendo matar seu pai Sérgio, desfere disparos de arma de fogo contra este, enquanto o genitor conversava com Raimundo. Entretanto, por erro na execução, Leonardo acaba apenas por atingir e matar Raimundo. Leonardo responderá pelo crime de homicídio doloso, com a incidência da agravante genérica prevista no art. 61, II, “e” do CP (ter praticado o crime contra ascendente).
III – Leonardo pretendendo lesionar seu vizinho Raimundo, e visualizando que este se encontrava na sala distraído, arremessa uma pedra através da vidraça da residência de Raimundo. Entretanto por erro na execução do crime, a pedra atinge o aparelho de som, danificando-o. Neste caso Leonardo responderá por crime de dano.
Somente a III está correta.
Somente a II está correta.
Somente a I está correta.
Somente as proposições I e II estão corretas.
Todas as proposições estão incorretas.
 
6) Assinale a alternativa CORRETA após analisar as proposições a seguir:
I – No concurso formal há unidade de ação típica com pluralidade de resultados típicos iguais, já que a pluralidade de resultados típicos desiguais descaracteriza a aplicação do princípio da exasperação da pena.
II – O concurso formal próprio e a continuidade delitiva seguem a exasperação da pena como sistema de dosimetria; o concurso formal impróprio e o concurso material benéfico seguem o princípio da cumulação da pena.
III – A aplicação da regra do crime continuado específico não é compatível com a prática de pluralidade de crimes culposos, e a aplicação da regra do crime continuado genérico, demanda, entre outros requisitos, análise de determinadas circunstâncias judiciais.
No concurso formal, o agente pratica uma única ação ou omissão, gerando como consequência dois ou mais resultados típicos, que podem ser idênticos ou distintos entre si.
Em ocorrendo o concurso formal perfeito (ou próprio) deverá ser aplicado à regra da exasperação da pena. Caso trate-se de concurso formal imperfeito (ou impróprio) caberá a regra do cúmulo material (soma das penas). O entendimento consolidado na jurisprudência é que o acréscimo de pena decorrente do crime continuado, que irá variar de 1/6 a 2/3,