A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
AD1 Ciencia da Educação 2 (Salvo Automaticamente) (1)

Pré-visualização | Página 1 de 2

Fundação Centro de Ciências e Educação a Distância do Estado do Rio de Janeiro
Centro de Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Licenciatura em Pedagogia
Avaliação à Distância 1 (2018-1)
Disciplina: Ciências e Educação 2
Coordenadora: Profª. Fátima Branquinho
Tutora a Distância: Profa. Adriana Matias da Silva
	
Nome: Maria José Tavares Cardoso
Matrícula: 15212080042
Polo: Paracambi
QUESTÕES
AULA 1
1 - Complete as lacunas com os conceitos que correspondem às definições abaixo:(1,0 pontos)
a) Epidemia surto de doença contagiosa que atinge várias pessoas ao mesmo tempo.
b) Pandemia - epidemia que abrange vasta região.
c) Material Genético - responsável pelas características hereditárias de determinado organismo.
d) Infecção - invasão dos tecidos orgânicos por microrganismos patogênicos, provocando reação do organismo a sua presença.
e) Seleção Natural - seleção realizada pelo ambiente natural de organismos cujas características hereditárias garantem-lhes melhor capacidade de adaptação ao referido ambiente: sobrevivência e reprodução da espécie.
f) Mutação - alteração da constituição hereditária que pode provocar variação de característica, inexistente nas gerações anteriores.
AULA 2
2- Na aula 2, você pode estudar as diferentes concepções a respeito do fazer científico. Diferencie e explique os conceitos de campo cientifico e comunidade científica apresentados por Bourdieu e Kuhn. (1,0)
R: Kuhn cunhou o conceito de comunidade científica como um conjunto de homens que partilham de um método de resolução de problemas, a comunidade científica para Kuhn, pode ser traduzida como um grupo autônomo, fundado no consenso, estável e detentor de uma finalidade específica. Em contrapartida, Bourdieu inaugura o conceito de campo científico como espaço de lutas no qual os cientistas buscam o monopólio da competência científica. Para Bourdieu,a comunidade é o lugar da competição e da luta desigual entre indivíduos que reproduzem o diferencial de poder existente na sociedade.
3 - A Sociologia e a Antropologia das Ciências concebem noções sobre a Ciência e compreendem suas implicações na vida cotidiana. Do ponto de vista da Antropologia da Ciência, os objetos produzidos pelos cientistas geram polêmicas na sociedade e são, em parte, “sujeitos”. Explique esta afirmativa. (1,0 pontos)
R: Podemos perceber que se o átomo está ligado a questões como a guerra e a produção de energia, que por sua vez trazem risco ao meio ambiente e a saúde humana e demandam debates e controle político de tais atividades, uma indissocialidade entre a natureza (urânio) e os fatos sociais (guerra e produção de energia), portanto há uma cobrança da sociedade em relação a uma postura ética dos cientistas quanto a construção de objetos em laboratórios, mesmo que estes tenham conhecimento da Natureza.
Não se pode esquecer que tanto a Sociologia quanto a Antropologia das Ciências concebem noções sobre a Ciência e compreendem suas implicações na vida cotidiana.
AULA 3
4 - O antropólogo Mauss relata que as técnicas corporais são adquiridas pela educação, cultura e não apenas naturais, biológicas. 
Explique a indissociabilidade entre o biológico e o social proferida por ele.(1,0 pontos)
R: Para Mauss não se pode ter uma visão clara de todos os fatos citados na referida comunicação: o nado, a corrida, o andar..., se não considerarmos uma tríplice consideração em lugar de uma única consideração – o biólogo, o social e o psicológico. Julgar que a aprendizagem seja apenas resultado da repetição ou do uso de técnicas educativas bem sucedidas seria um erro. Cada indivíduo apresenta suas limitações e aptidões físicas que o habilita para o melhor desempenho de determinadas atividades e cada sociedade tem seus “hábitos” que variam de acordo com seus indivíduos, as educações, as conveniências e as modas. Logo, tanto as necessidades biológicas quanto as informações são socialmente determinadas, construídas e selecionadas pelos grupos culturais, de acordo com o ambiente.
AULA 4
5 - A produção do conhecimento científico sobre as plantas medicinais, baseia-se:(1,0 pontos)
Nas experiências de laboratório
Apenas no conhecimento popular
Na espiritualidade
Nas benzedeiras
AULA 5
6 - De acordo com a Aula 5, a Ciência gera um domínio da Natureza pelo homem. Porque essa forma de apresentar a Ciência na escola, contribui para exclusão social de grandes parcelas das classes populares?(1,0 pontos)
R: O poder que a Ciência confere, propaga-se por meio do discurso do professor que enaltece o saber científico como único conhecimento verdadeiro da Natureza. Dessa forma, o saber do aluno é ignorado e como os currículos escolares geram um conhecimento compartimentalizado, onde os alunos não estabelecem conexões entre os mesmos e entre estes e suas vidas.
Foucault (1998) vem tratar deste tema, quando afirma que a escola aparece como instituição que escolhe quais são os saberes fundamentais para a formação dos “novos homens” e o saber científico se institui como instrumento dessa formação. Logo, não é sem razão que os saberes escolares aparecem como neutros e sem história.
AULA 6
7 - A construção do conhecimento científico pelo cientista é análoga à construção do conhecimento pelo estudante. Levando em consideração tal analogia, como se dá a formulação de uma orientação para uma pesquisa cuja finalidade é a construção do conhecimento? (0,5 pontos).
R: Deve-se considerar os seguintes pontos: formular a dúvida, a hipótese ou o problema como primeira etapa para uma pesquisa com a finalidade de construir conhecimentos.
8 - “A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por vetores. Em áreas florestais o vetor pode ser o mosquito Haemagogus e no meio urbano o mosquito Aedes aegypti.De acordo com dados do governo federal, foram notificados entre 1º de julho de 2017 e 23 de janeiro de 2018, 601 casos de febre amarela, sendo 130 confirmados e 53 mortes”.
Fonte: http://www.bio.fiocruz.br; http://saude.estadao.com.br/noticias/geral,casos-de-febre-amarela-quadruplicam-em-uma-semana-no-brasil,70002162587
Sabendo - se do aumento da ocorrência de casos de febre amarela no Brasil. Elabore um plano de ação que você realizaria na escola para conscientizar a comunidade da sua cidade, utilize sites confiáveis e notícias recentes para sua pesquisa. Utilize as etapas do plano de ação apresentadas na aula 6: (1,5 pontos)
R: Febre amarela: a prevenção de epidemia é urgente!
Data de publicação: 15/02/2017. Autor: Regina Di Ciommo
A febre amarela pode adquirir forma epidêmica no Brasil, se não for rapidamente combatida. Saiba quais os sintomas e o que fazer se eles aparecerem.
Epidemia, ontem e hoje
Ponto de Partida
Leitura da Notícia da Folha Online, sobre a epidemia de Dengue na cidade do Rio de Janeiro
Ler o texto Revolta da Vacina: Oswaldo Cruz e Pereira Passos tentam sanear Rio no site Educação do UOL.
Comentário 
Em abril de 2008, a cidade do Rio de Janeiro é palco de uma das maiores epidemias de dengue, que tem como seu transmissor o mosquito "Aedes aegypti". Mas a cidade do Rio de Janeiro já é conhecida na história por ser palco de surtos e epidemias em outras épocas.
No início do século 20, a cidade do Rio de Janeiro foi alvo de um surto de febre amarela, que era transmitida por um mosquito "Stegomya fasciatta", hoje, renomeado "Aedes aegypti".
Estudar estes dois momentos históricos permite estabelecer relações entre os acontecimentos, as épocas e os lugares, tendo como sujeitos históricos a população de um lado e o poder público de outro.
Objetivos
Identificar o problema ocorrido na cidade do Rio de Janeiro, em diferentes momentos históricos por meio da leitura e análise de diferentes linguagens
Comparar temporalidades históricas distintas (passado e presente
Identificar semelhanças e diferenças, mudanças e permanências a partir de um tema de estudo proposto no ensino da história
Proporcionar