A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
Tema_3_Tipologia_dos_Meios_de_Hospedagem__C_pia_em_conflito_de_Mari-PC_2013-06-14_

Pré-visualização | Página 1 de 1

Tipologia dos Meios de Hospedagem 
Universidade Federal de Pernambuco 
Centro De Ciência Sociais Aplicadas 
Departamento de Hotelaria e Turismo 
 Mariana Falcão 
TIPOLOGIA DOS MEIOS DE HOSPEDAGEM 
 
• Desafio para a hotelaria Nacional; 
 
• Identificar hotéis por critérios padronizados permite a 
comparação e a compreensão mais aprofundada da 
indústria. 
 
• O critério geralmente aceito para a identificação de 
hotéis está baseado em três conceitos distintos: 
– Porte; 
– Localização; 
– Tipo de produto. 
PORTE 
Classificação Número de Unidades 
Habitacionais (UH) 
Pequenos De 1 a 150 
Médios De 151 a 400 
Grandes De 401 a 1.500 
Mega Acima de 1.500 
PORTE 
• Os salários crescem de maneira proporcional ao 
número de UH’s. 
• Um hotel maior será teoricamente mais difícil de se 
administrar. 
• Hotéis de maior porte também necessitarão de um 
número maior de posições gerenciais especializadas. 
• No Brasil um hotel com 250 apartamentos já é 
considerado grande. 
LOCALIZAÇÃO 
• “Localização, localização, localização” – é o 
cliente que se desloca até o hotel... 
 
• Os quatro tipos principais de localização de 
hotéis são: 
– Centrais; 
– Resorts; 
– Em aeroportos; 
– Em subúrbios. 
HOTÉIS CENTRAIS 
• Não significa que o 
hotel deva se localizar 
no centro da cidade. 
 
• Tradicionalmente se 
localizam onde se 
concentram os negócios 
ou perto de um centro 
de convenções. 
 
RESORTS 
• Atividades recreativas – 
tênis, kids club, golfe, 
esqui, quadras 
poliesportivas – parque 
aquático atrativo, 
equipe de recreação e 
lazer... 
AEROPORTOS 
• A maioria dos 
aeroportos ao redor do 
mundo tem um ou mais 
hotéis localizados muito 
próximo a eles. 
• Tranfers, horários de 
funcionamento 
diferenciados e 
funcionários fluentes 
em vários idiomas. 
 
SUBÚRBIOS 
• Não se classificam em 
nenhum dos outros tipos de 
localização. 
 
• São hotéis que se localizam 
ao longo de rodovias e 
próximos a pequenos 
centros corporativos. 
 
• Um complexo industrial 
pode garantir, por meio de 
sua atividade, demanda 
necessária a operação de 
um hotel suburbano. 
TIPO DE PORDUTOS 
Intermediário 
Econômico Budget Superior Luxo 
Serviços Limitados Serviços Completos 
Combinação dos Serviços 
Nível de Serviço: 
HOTÉIS FULL SERVICE 
• Podem incluir mas não se limitar aos seguintes 
serviços: 
– Restaurantes que ofereçam pelo menos as três refeições; 
– Room service; 
– Áreas para eventos; 
– Business center; 
– Salas de ginástica e instalações para atividades recreativas; 
– Serviços de Concierge; 
– Lojas; 
– Serviços de cortesia como abertura de cama e entrega de 
jornais; 
– Andares executivos.... 
 
 
• Mercado alvo: 
– Padrão. 
– Longa permanência 
 
TIPOS DE PRODUTO 
CLASSIFICAÇÃO HOTELEIRA 
• Em muitos países o governo desempenha um 
papel importante no processo de classificação 
dos serviços dos hotéis. 
• A classificação por é o sistema mais 
frequentemente usado para demonstrar o 
nível de qualidade e de serviços. 
• No Brasil, o sistema de classificação proposto 
pela EMBRATUR não foi aceito pelos 
hoteleiros. 
CLASSIFICAÇÃO HOTELEIRA 
Sistemas de Classificação 
• Auto-classificação 
• Classificação Privada 
• Classificação Oficial 
Categoria Símbolo 
Super Luxo SL 
Luxo 
Superio 
Turístico 
Econômico 
Simples 
 
SEGMENTAÇÃO DE ACORDO COM PIRÂMIDE 
DE MASLOW 
BASE DA PIRÂMIDE 
Oferta Básica de abrigo e 
alimentos: 
• Hotéis Beira de estrada; 
• Motéis; 
• Albergues; 
• Hostels; 
• Bed and Breakfast; 
• Hotéis Econômicos 
BASE DA PIRÂMIDE 
Serviços Padronizados, porém 
limitados: 
• Hotéis de Aeroporto 
• Check in e Check out flexíveis; 
• Lavanderia Expressa; 
 
Obs: Há uma mudança nesse cenário, 
principalmente no mercado internacional, 
uma vez que serviços de convenções são 
inseridos no produto. 
BASE DA PIRÂMIDE 
Meios de hospedagem que haja 
interação social intensa: 
• Centros e hotéis de conferência; 
• Acomodações planejadas para receber 
grupos e reuniões; 
• Situam-se a uma distância razoável do 
aeroporto; 
• Devem estar perto do acesso à vários 
meios de transporte; 
• Hotéis de negócios; 
TOPO DA PIRÂMIDE 
Necessidade de confiança, 
reconhecimento e respeito dos 
outros: 
• Resorts 
• Hotéis Fazenda; 
TOPO DA PIRÂMIDE 
Necessidade de moralidade, 
criatividade, 
autodesenvolvimento e prestígio 
• Hotéis – Boutique 
• Alternativa aos formatos 
padronizados das marcas e cadeias 
mais famosas; 
• Diferencia-se pela arquitetura e 
design; 
• Personalização do serviço. 
SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE 
MEIOS DE HOSPEDAGEM 
SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE 
MEIOS DE HOSPEDAGEM 
• Articulação entre instituições como: Ministério 
do Turismo, Inmetro, Sociedade Brasileira de 
Metrologia e a Sociedade Civil; 
 
• Classificação como forma de assegurar a 
competitividade do país no mercado 
internacional; 
SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE 
MEIOS DE HOSPEDAGEM 
“Os empreendimentos ou estabelecimentos, 
independentemente de sua forma de constituição, 
destinados a prestar serviços de alojamento 
temporário, ofertados em unidades de freqüência 
individual e de uso exclusivo do hóspede, bem como 
outros serviços necessários aos usuários, denominados 
de serviços de hospedagem, mediante adoção de 
instrumento contratual, tácito ou expresso, e cobrança 
de diária”. 
 
(Artigo 23 da Lei nº11.771/2008). 
SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE 
MEIOS DE HOSPEDAGEM 
Oito Princípios: 
1. Legalidade 2. Consistência 3. Transparência 
4. Simplicidade 5. Agregação de Valor 
6. Imparcialidade 7. Melhoria Contínua 8. Flexibilidade 
SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE 
MEIOS DE HOSPEDAGEM - TIPOLOGIA 
SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE 
MEIOS DE HOSPEDAGEM - TIPOLOGIA 
SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE 
MEIOS DE HOSPEDAGEM - TIPOLOGIA 
SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE 
MEIOS DE HOSPEDAGEM -REQUISITOS 
FIQUE POR DENTRO 
http://www.inmetro.gov.br/legislacao/rtac/pdf/RTAC001640.pdf; 
 
http://www.turismo.gov.br/turismo/o_ministerio/publicacoes/cadernos_publica
coes/23classificacao_hoteleira.html; 
 
http://www.camaecafe.com.br/funciona.php; 
 
http://www.hostel.org.br/pg.php 
 
ISMAIL, Ahmed. Hospedagem: Front Office e Governança. São Paulo: 
Pioneira Thompson Learning, 2004. 
 
KANITZ et al; A hospitalidade familiar como negócio no sertão 
nordestino: um estudo de caso do Programa Cama, Café e Rede. V 
ANPTUR, Belo Horizonte, 2008. 
 
 
Tipologia dos Meios de 
Hospedagem 
 marifalcao03@hotmail.com