A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
raciocinio_logico_m06 A2

Pré-visualização | Página 2 de 3

de bons argumentos? É só resolver, com calma e 
atenção, os exercícios de auto avaliação apresentados a seguir . Mãos à obra! 
 
EXERCÍCIO 
 
1. Abaixo há uma série de argumentos. Redija uma tese (ou proposição) 
adequada a cada conjunto. 
 
Conjunto 1 
a) Os restaurantes a quilo são mais baratos que os restaurantes à la carte. 
b) Os restaurantes a quilo oferecem maior variedade de comida que os à la carte. 
c) Os restaurantes a quilo oferecem maior rapidez no atendimento que os à la 
carte. 
 _______________________________________________________ Tese: 
 
 
Conjunto 2 
a) A correção de provas dá muito trabalho aos professores. 
b) As provas causam nervosismo aos alunos. 
c) As provas não avaliam adequadamente os alunos. 
 ________________________________________________________ Tese: 
 
Conjunto 3 
a) Carros importados não possuem assistência técnica. 
b) Carros importados têm impostos mais caros. 
c) Carros importados sofrem maior desvalorização. 
 _______________________________________________________ Tese: 
 
2. Sempre que passamos de uma premissa diretamente a uma conclusão, 
assumimos como verdadeira alguma ideia intermediária. Quais são as idéias 
assumidas como verdadeiras nos seguintes raciocínios? 
 
1. O motorista do carro da frente é uma mulher; é melhor ultrapassá-lo. 
 
2. Cheguei, em meu exercício, à mesma resposta dada pelo livro; acertei mais um! 
 
3. O sinal do colégio está tocando; estou atrasado! 
 
4. Minha mãe a viu com outro no cinema; vou terminar o noivado. 
 
5. O Ibope mostrou que o Flamengo é o time de maior torcida; vou ser 
flamenguista! 
 
6. O outdoor diz que este sabão é melhor. Minha roupa vai ficar mais branca. 
 
7. São cinco horas no meu relógio. Vou chegar atrasado à consulta. 
 
8. Ela me cumprimentou. Acho que não está mais zangada comigo. 
 
9. A médica recomendou este xarope. Ele vai ficar bom logo. 
 
 
 
5 
Percebeu que argumentos fazem parte de nosso dia a dia? Dominar a percepção e 
elaboração de argumentos nos torna, com certeza, usuários mais eficientes de 
nosso idioma. 
 
Tipos de argumentos e estratégias 
argumentativas 
 
A) Argumento pró-tese 
 
Caracteriza-se por ser extraído de fatos reais de conhecimento geral. A estrutura 
adequada para desenvolvê-lo seria: Tese + porque + e também + além disso. Cada um 
desses elos coesivos introduzem fatos distintos. 
 
Por exemplo, a necessidade de melhorar a cidade do Rio de Janeiro visando à 
realização da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016. Poderíamos, a partir 
desse fato, elaborar o seguinte argumento: 
 
Precisamos buscar de todas as formas resolver os principais problemas que o Rio 
apresenta, como transporte e segurança, porque receberemos milhares de turistas em 
ambas as ocasiões, e também o mundo todo estará de olho em nossa cidade por 
ocasião dos eventos esportivos; além disso, será uma ótima oportunidade para 
melhorar inclusive a vida dos próprios cariocas. 
 
B) De autoridade (ex auctoritate ou ab auctoritate) 
 
Argumento constituído com base nas fontes autorizadas, em pesquisas científicas 
comprovadas. 
 
Veja o exemplo! 
O Ministério da Saúde adverte: fumar faz mal à saúde. 
(Mensagem veiculada em maços de cigarro; neste caso, a autoridade que dá 
credibilidade ao argumento é o próprio Ministério da Saúde.) 
 
C) Argumento de senso comum 
 
Consiste no aproveitamento de uma afirmação que goza de consenso geral, que está 
amplamente difundido na sociedade. 
 
Exemplo: Quando ocorre um crime no qual uma mãe mata um filho, por exemplo, fica 
fácil argumentar em torno da condenação da acusada, uma vez que, perante o senso 
comum, trata-se de um crime sem perdão, pois uma mãe morre pelos filhos, mas não 
os mata. 
 
D) Argumento de causa e consequência 
 
Estabelece a relação de causalidade. São apresentadas as causas e as consequências 
de um ato praticado. 
 
 
 
6 
Exemplo: quando se defende a adoção de leis mais rígidas para motoristas que 
dirigem alcoolizados, em geral os argumentos utilizados associam o alcoolismo (causa) 
ao aumento de acidentes de trânsito (consequência). 
 
E) Argumento de prova 
 
É construído a partir de um indício extraído de um fato real. 
 
Exemplo: quando se comprova que o motorista responsável por um acidente estava de 
fato alcoolizado, fica fácil argumentar em torno de sua condenação, uma vez que há 
um fato real (o nível de álcool em seu sangue) que serve como prova para embasar a 
argumentação. 
 
Não foi fácil lidar com argumentos válidos e sua tipologia? Agora, vai ficar muito mais 
fácil defender suas opiniões com argumentos bem estruturados e variados, não é 
mesmo? 
 
No próximo tópico, apresentaremos um conceito novo: a contra-argumentação. Com 
isso, além de defender nossos próprios pontos de vista, aprenderemos a enfraquecer 
os argumentos contrários. Mãos à obra! 
 
 
7 
 
Argumentação e contra-argumentação 
 
Neste tópico, você estudará como contra-argumentar, ou seja, a dialogar com 
argumentos contrários à sua tese, visando enfraquecê-los ou até mesmo neutralizá-
los. Vamos lá! 
 
Argumentação e contra-argumentação 
 
Quando lidamos com a elaboração de argumentos, escrevendo um texto 
argumentativo ou participando de um debate, por exemplo, não podemos fingir que 
somos donos da verdade e que não há posições antagônicas às que estamos 
defendendo. Ao contrário, um bom argumentador antecipa os argumentos contrários 
que podem ser levantados contra a tese que está defendendo e busca neutralizá-los. 
 
Veja o exemplo abaixo: 
 
Vamos supor que você esteja participando de um debate cujo tema central é 
“Vestibular, um mal necessário”, e um de seus colegas, que defende o fim do 
vestibular, se sai com o seguinte argumento: 
 
O vestibular é injusto porque privilegia os candidatos pertencentes às classes mais 
favorecidas economicamente, uma vez que os candidatos que estudaram em escolas 
com infraestrutura deficiente, como as escolas públicas do Brasil, por mais que se 
esforcem, não têm condições de concorrer com aqueles que frequentaram bons 
colégios. 
 
Num primeiro momento, esse argumento parece imbatível, já que faz referência a uma 
realidade de nosso país, ou seja, a discrepância existente entre o ensino público e o 
privado, principalmente o das escolas tidas como de primeira linha. Mas é possível 
contra-argumentar, com base em outros fatos concretos. 
 
Observe a seguir! 
 
Mesmo que o acesso à universidade fosse facilitado para candidatos de condição 
econômica inferior, com a adoção de outras formas de seleção que não o vestibular, o 
problema não seria resolvido, pois a falta de um aprendizado sólido, no Ensino 
Fundamental e Médio, comprometeria o ritmo de aproveitamento desse aluno no curso 
superior. A questão, portanto, não seria eliminar o vestibular em si, mas as diferenças 
entre as escolas públicas e privadas; essas diferenças são as verdadeiras responsáveis 
pela seleção dos candidatos mais favorecidos economicamente. 
 
Percebeu como é importante saber contra-argumentar? Além de marcar sua posição, a 
contra-argumentação propicia um bom andamento para o debate, pois permite 
focalizar vários ângulos de uma mesma questão. 
 
Veja agora um uso criativo para a contra-argumentação, a partir de um caso real: 
 
 
 
 
 
 
8 
 
Em 2005, em entrevista no Programa do Jô, a modelo Daniela Cicarelli admitiu 
roubar em jogos de cartas com amigos. Tentando fazer piada, ela completou: “Roubo 
profissionalmente. Parece que nasci em Brasília”. Embora Jô Soares, imediatamente, 
tentasse amenizar o clima, afirmando que a imensa maioria dos brasilienses não se 
enquadrava nessa categoria, o estrago estava feito. 
 
Houve, é claro, as reações inusitadas e ineficazes, como a de alguns deputados, 
que cogitaram declarar