A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
103M_N_03.02.11_Poder_Legislativo_-_Processo_Legislativo_Dr._João_Mendes

Pré-visualização | Página 3 de 5

14
Processo Sumário – cont.
� Violação do Prazo: 
� sobrestamento das demais deliberações legislativas, com exceção das que 
tenham prazo constitucional determinado (exemplo, Medidas Provisórias).
� Projeto de Códigos: impossibilidade de regime de urgência 
constitucional.
� Observação: ainda que não se cuide de processo legislativo, deve-se 
acrescentar que a CRFB, art. 223, §1°, determina que o Congresso 
Nacional apreciará o ato do Poder Executivo de outorga e 
renovação de concessão, permissão e autorização para o serviço de 
radiodifusão sonora e de sons e imagens no prazo do art. 64, § 2º e 
§ 4º, a contar do recebimento da mensagem.
Lei Delegada
� Lei Delegada
� Órgão Competente: Presidente com a delegação do Congresso 
Nacional.
� Procedimento Legislativo
� Delegação Típica ou Própria
� Delegação Atípica ou Imprópria – caso em que o projeto deve ser apreciado pelas 
casas, em votação única, vedada qualquer emenda.
� Instrumento Formal viabilizador da delegação: resolução, o que significa a 
impossibilidade de delegar atribuições do legislador ao executivo, 
genericamente, por meio de lei, sob pena de violação da Separação de Poderes. 
Em outras palavras, o próprio legislador não pode abdicar de seu encargo 
constitucional.
� ADI 1.296-MC, Rel. Min. Celso de Mello, DJ 10/08/95
� Declaração Prescritiva: vedações – art. 68, § 1°
15
Lei Delegada
Congresso
Nacional
Pres. República
Lei Delegada
Resolução
1° 2°
3°
Votação Única
Vedada Emenda Parlamentar
Delegação
Típica
Delegação
Atípica
Lei Delegada
� Limites
� Art. 68, §1°.
� Extrapolação – art. 49, V
� Art. 49. É da competência exclusiva do Congresso Nacional: V -
sustar os atos normativos do Poder Executivo que exorbitem do 
poder regulamentar ou dos limites de delegação legislativa;
� Sustação da LD pelo Congresso Nacional
� Instrumento: Decreto Legislativo
� Efeitos: Ex Nunc
16
Medida Provisória
� Natureza Jurídica
� Ato Administrativo
� Ato Político
� Projeto de Lei com força cautelar de lei
� José Afonso da Silva: Ato Legislativo sob condição 
resolutiva.
� Manoel Gonçalves Ferreira Filho e STF: ato 
normativo primário, pois busca seu fundamento de 
validade na Constituição, inovando na ordem 
jurídica: 
Medida Provisória
� Duplo Efeito da MP
� Efeito Normativo
� Efeito Procedimental
� "A edição de Medida Provisória gera dois efeitos imediatos. 
O primeiro efeito é de ordem normativa, eis que a Medida 
Provisória, que possui vigência e eficácia imediatas, inova, 
em caráter inaugural, a ordem jurídica. O segundo efeito é 
de natureza ritual, eis que a publicação da Medida 
Provisória atua como verdadeira provocatio ad agendum, 
estimulando o congresso nacional a instaurar o adequado 
procedimento de conversão em lei." (ADI 293-MC, Rel. Min. 
Celso de Mello, DJ 16/04/93)
17
Medida Provisória
� MP e Separação de Poderes: 
� situação de excepcionalidade que enseja a mitigação da separação
� “O que justifica a edição dessa espécie normativa, com força de lei, em 
nosso direito constitucional, é a existência de um estado de necessidade, 
que impõe ao Poder Público a adoção imediata de providências, de caráter 
legislativo, inalcançáveis segundo as regras ordinárias de legiferação, em 
face do próprio periculum in mora que fatalmente decorreria do atraso na 
concretização da prestação legislativa. (...) É inquestionável que as medidas 
provisórias traduzem, no plano da organização do Estado e na esfera das 
relações institucionais entre os Poderes Executivo e Legislativo, um 
instrumento de uso excepcional. A emanação desses atos, pelo Presidente 
da República, configura momentânea derrogação ao princípio constitucional 
da separação dos poderes.” (ADI 221-MC, voto do Min. Celso de Mello, DJ 
22/10/93)
Medida Provisória
� MP para Instituição ou Majoração de Impostos
� Regra Específica: Medida provisória que implique 
instituição ou majoração de impostos, exceto os previstos 
nos arts. 153, I, II, IV, V, e 154, II, só produzirá efeitos no 
exercício financeiro seguinte se houver sido convertida 
em lei até o último dia daquele em que foi editada
� Regra Geral: II, IE, IPI, IOF, IEG (Efeito Normativo Imediato)
18
Medida Provisória
� Pressupostos da MP.
� Relevância e Urgência
� Caracterizam conceitos jurídicos indeterminados.
� Relevância: pressuposto material.
� Idéia que se relaciona com a matéria. Revela Estado de Necessidade 
Legislativa.
� Urgência: pressuposto formal
� Idéia que se relaciona com o procedimento, ou seja, não é adequada 
a espera dos 90 dias do procedimento sumário.
� "Medida Provisória. Superação, por sua conversão em lei, da 
contestação do preenchimento dos requisitos de urgência e 
relevância." (ADI 1.417, Rel. Min. Octavio Gallotti, DJ 
23/03/01)
Medida Provisória
� Fiscalização dos pressupostos pelo Judiciário:
� ADI 2.213-MC, Rel. Min. Celso de Mello, DJ 23/04/04
� O Controle Jurisdicional da Urgência e Relevância deve 
fundamentar-se em critérios objetivos: 
� "No que concerne à alegada falta dos requisitos da relevância e da 
urgência da Medida Provisória (que deu origem à Lei em questão), 
exigidos no art. 62 da Constituição, o Supremo Tribunal Federal 
somente a tem por caracterizada quando neste objetivamente 
evidenciada. E não quando dependa de uma avaliação subjetiva, 
estritamente política, mediante critérios de oportunidade e 
conveniência, esta confiada aos Poderes Executivo e Legislativo, que 
têm melhores condições que o Judiciário para uma conclusão a 
respeito." (ADI 1.717-MC, Rel. Min. Sydney Sanches, DJ 25/02/00)
19
Medida Provisória
� Limites
� Explícitos: art. 62, § 1°
� Implícitos: os mesmos da Delegação Legislativa
� Instituição ou majoração de impostos 
� Produção de efeitos no exercício financeiro seguinte se houver sido 
convertida em lei até o último dia daquele em que foi editada 
� Exceção:
� II, IE, IPI, IOF, IEG (aplicação da regra geral)
Medida Provisória
� Prazo: 60 Dias
� Início do Prazo: publicação
� Não Cumprimento: perda da eficácia desde a edição da MP.
� Prorrogação: uma vez por igual período 
� Recesso do Cong. Nac.: suspensão do prazo
� Regime de Urgência: se a medida provisória não for apreciada em 
até quarenta e cinco dias contados de sua publicação, entrará em 
regime de urgência, subseqüentemente, em cada uma das Casas do 
Congresso Nacional, ficando sobrestadas, até que se ultime a 
votação, todas as demais deliberações legislativas da Casa em que 
estiver tramitando. 
20
Bloqueio da Pauta
• “Reconhecendo a subsistência do bloqueio da pauta daquela Casa 
legislativa quanto às proposições normativas que veiculem matéria 
passível de regulação por medidas provisórias (não 
compreendidas, unicamente, aquelas abrangidas pela cláusula de 
pré-exclusão inscrita no art. 62, § 1º, da Constituição, na redação 
dada pela EC nº 32/2001) – preserva, íntegro, o poder ordinário de 
legislar atribuído ao Parlamento. Mais do que isso, a decisão em 
causa teria a virtude de devolver, à Câmara dos Deputados, o 
poder de agenda, que representa prerrogativa institucional das 
mais relevantes, capaz de permitir, a essa Casa do Parlamento 
brasileiro, o poder de selecionar e de apreciar, de modo 
inteiramente autônomo, as matérias que considere revestidas de 
importância política, social, cultural, econômica e jurídica para a 
vida do País, o que ensejará – na visão e na perspectiva do Poder 
Legislativo (e não nas do Presidente da República) - a formulação e 
a concretização, pela instância parlamentar, de uma pauta temática 
própria, sem prejuízo da observância do bloqueio procedimental a 
que se refere o § 6º do art. 62 da Constituição, considerada, quanto 
a essa obstrução ritual, a interpretação que lhe deu o Senhor 
Presidente da Câmara dos Deputados.”