A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Revisão A2 FLGM

Pré-visualização | Página 1 de 3

*
 MRP
*
A evolução do conceito de gestão da qualidade
A preocupação com a qualidade, no sentido mais amplo da palavra, começou com W.A. Shewhart, estatístico norte-americano que, já na década de 20, tinha um grande questionamento com a qualidade e com a variabilidade encontrada na produção de bens e serviços. 
*
ORIGEM
Bell Telephone e 
Western Electric 
Necessidade: Aprimorar a
uniformidade de peças
manufaturadas em uma
linha de produção.
Walter Andrew Shewhart Cartas de Controle
*
A evolução do conceito de gestão da qualidade
Shewhart desenvolveu um sistema de mensuração dessas variabilidades que ficou conhecido como Controle Estatístico de Processo (CEP). 
*
ORIGEM
Gráficos de Controle ou Cartas de Controle, como um método para a análise e ajuste da variação de um processo em função do tempo.
*
A evolução do conceito de gestão da qualidade
Shewhart criou também o Ciclo PDCA (Plan, Do, Check e Action). Método é essencial para gestão da qualidade.
Dr. W. Edwards Deming, que é considerado por muitos como o pai do controle de qualidade moderno, modificou o "ciclo de Shewhart“, passando de PDCA para PDSA (Plan, Do, Study, Act)
*
A evolução do conceito de gestão da qualidade
Os altos executivos da Toyota repetem mensagens como:
“Nunca se sinta satisfeito”
“Deve haver uma opção melhor”
 A favorita
“Reforme o negócio quando o negócio está bom”
*
A evolução do conceito de gestão da qualidade
A competitividade e o desempenho das organizações são afetados negativamente em termos de qualidade e produtividade por uma série de motivos. Dentre eles destacam-se:
d) posturas e atitudes que não induzem à melhoria contínua.
a) deficiências na capacitação dos recursos humanos; 
b) modelos gerenciais ultrapassados, que não geram motivação; 
c) tomada de decisões que não são sustentadas adequadamente por fatos e dados; e
*
Qualidade e gestão: A gestão da qualidade total
O termo qualidade total tem inserido em seu conceito seis atributos ou dimensões básicas que lhe conferem características de totalidade. 
Essas seis dimensões são: qualidade intrínseca; custo, atendimento, moral, segurança e ética.
*
Por qualidade intrínseca entende-se a capacidade do produto ou serviço de cumprir o objetivo ao qual se destina.
Qualidade e gestão: A gestão da qualidade total
A dimensão custo tem, em si, dois focos: custo para a organização do serviço prestado e o seu preço para o cliente. 
*
Qualidade e gestão: A gestão da qualidade total
Atendimento é uma dimensão que contém três parâmetros: local, prazo e quantidade, que por si só demonstram a sua importância na produção de bens e na prestação de serviços de excelência.
Moral e segurança dos clientes internos de uma organização (funcionários) são fatores decisivos na prestação de serviços de excelência: funcionários desmotivados, mal-treinados, inconscientes da importância de seus papéis na organização não conseguem produzir adequadamente.
*
Qualidade e gestão: A gestão da qualidade total
A ética, é representada pelos códigos ou regras de conduta e valores que têm que permear todas as pessoas e todos os processos de todas as organizações que pretendem sobreviver no mundo competitivo de hoje.
*
A Gestão da Qualidade Total (GQT) é uma opção para a reorientação gerencial das organizações. Tem como pontos básicos: foco no cliente; trabalho em equipe permeando toda a organização; decisões baseadas em fatos e dados; e a busca constante da solução de problemas e da diminuição de erros.
Qualidade e gestão: A gestão da qualidade total
*
A técnica, meta ou filosofia de Gestão Just in Time tem merecido grande destaque em todo mundo, tendo em vista a grande necessidade de redução de custos na  área de produção.
Just in Time 
Takt time (do alemão Taktzeit, onde Takt significa compasso, ritmo é o tempo disponível para a produção dividido pela demanda de mercado. Se uma fábrica trabalha 9 horas/dia (540 minutos) e a demanda do mercado é de 180 unidades/dia, o takt time é de 3 minutos. 
*
Sistema da cultura japonesa (berço do Just in Time  nos anos 70) é composta de práticas gerenciais que podem ser aplicadas em qualquer parte do mundo e em qualquer empresa, que tem por objetivo a melhoria contínua do processo produtivo. 
Just in Time 
*
Just in Time 
O Just in Time (JIT) surgiu no Japão em meados da década de 70.
*
Just-In-Time (Conceitos Básicos)
Definição: JIT é uma filosofia de manufatura que se baseia na eliminação planejada de todo desperdício e na melhoria contínua da produtividade. Ela envolve a execução bem sucedida de todas as atividades de manufatura necessárias para produzir um produto final, da engenharia de projetos a entrega e inclusão de todos os estados de transformação da matéria-prima em diante. 
*
Nem todas as empresa usam o termo Just-In-Time
 IBM – Usa o termo manufatura de fluxo contínuo;
 HP – O chama tanto de Produção Sem Estoques como Manufatura de Fluxo Contínuo;
 GE – Administração através da visão;
 BOEING – Manufatura limpa;
*
Nem todas as empresa usam o termo Just-In-Time
MOTOROLA – Manufatura de ciclo breve; 
 Muitas empresas japonesas referem-se ao JIT como Sistema Toyota; e
 Algumas empresas estão usando a expressão Competição Baseada no Tempo (TBC) 
*
O sistema de "puxar (pull)" a produção a partir da demanda, produzindo somente os itens necessários, nas quantidades necessárias e no momento necessário, ficou conhecido no ocidente como sistema Kanban. 
*
Aspectos da "filosofia” Just in Time 
Eliminação de estoques e desperdícios;
Manufatura do fluxo contínuo;
Esforço contínuo na resolução de problemas; e
Melhoria contínua dos processos.
*
Aspectos da "filosofia” Just in Time 
Diferença JIT Abordagem tradicional
*
os estoques são considerados nocivos por ocuparem espaço e representarem altos investimentos de capital, mas também, por esconderem ineficiências do processo produtivo, com problemas de qualidade, altos tempos de preparação de máquina para troca de produtos e falta de confiabilidade de equipamentos;
*
coloca ênfase na redução dos lotes de fabricação através da redução dos tempos de preparação de equipamentos (máquina);
Set Up
*
assume a meta de eliminação de erros. Contudo, não considerando como inevitáveis;
*
coloca ênfase no fluxo de materiais e não na maximização da utilização da capacidade;
*
transfere a responsabilidade de funções como balanceamento das linhas, o controle da qualidade e a manutenção preventiva à mão de obra direta, deixando à mão de obra indireta as funções de apoio e auditoria;
*
Prioridade na ordem e limpeza da fábrica como pré requisitos fundamentais para se atingir os objetivos pretendidos.  
5 S
É a capacidade de aplicar corretamente a razão para apreciar, julgar, entender e discernir cada passo particular da vida; 
É a capacidade de apreciar usando a razão; e
É saber agir usando a razão.
Seleção;
Ordenação;
Limpeza;
Bem Estar; e
Auto Disciplina
*
Seiri: Senso de utilização;
Seiton: Senso de ordenação, ou seja, ter um espaço organizado;
Seiso: Senso de limpeza;
Seiketsu: Senso de Normalização e
Shitsuke: Senso de autodisciplina.
*
Aspectos da "filosofia” Just in Time 
Fim aos Desperdícios e Melhoria Contínua
*
Eliminação dos Desperdícios
Transporte (Projete layouts de instalações que reduzem ou eliminem o manuseio e embarque de materiais);
Superprodução (Faça somente aquilo que é necessário);
Material esperando no processo (Coordene os fluxos entre as operações);
Processamento (Elimine todos os passos de produção desnecessários);
Movimento nas operações (Elimine movimentos humanos desnecessários) ;
Produzir produtos defeituosos (Elimine defeitos e inspeções) ;
Estoques (Elimine-os).  
*
As metas do JIT em relação a produção são: 
zero defeitos e tempo zero de preparação(Set up);
estoque