A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
288 pág.
FUNDAMENTOS  DE TOPOGRAFIA

Pré-visualização | Página 30 de 41

com GEMAEL (1987, p.9.1) pode ser definida como um 
conjunto de pontos materializados no terreno (referências de nível - RN) 
e identificados por uma coordenada, a altitude, determinada a partir de 
um ponto origem do datum vertical. 
 
No Brasil o datum altimétrico é o ponto associado com o nível 
médio do mar determinado pelo marégrafo de Imbituba, Santa Catarina. 
 
Um resumo histórico da rede de nivelamento brasileira é 
apresentado em IBGE (2004): 
 “Em 13 de Outubro de 1945, a Seção de Nivelamento (SNi) 
iniciava os trabalhos de Nivelamento Geométrico de Alta 
Precisão, dando partida ao estabelecimento da Rede 
Altimétrica do Sistema Geodésico Brasileiro (SGB). No 
Distrito de Cocal, Município de Urussanga, Santa Catarina, 
onde está localizada a Referência de Nível RN 1-A, a equipe 
integrada pelos Engenheiros Honório Beserra - Chefe da SNI, 
José Clóvis Mota de Alencar, Péricles Sales Freire e Guarany 
Cabral de Lavôr efetuou a operação inicial de nivelamento 
geométrico no IBGE. 
Em Dezembro de 1946, foi efetuada a conexão com a Estação 
Maregráfica de Torres, Rio Grande do Sul, permitindo, então, 
o cálculo das altitudes das Referências de Nível já 
ABAB HHH ∆+=
FUNDAMENTOS DE TOPOGRAFIA 
 
Luis A. K. Veiga/Maria A. Z. Zanetti/Pedro L. Faggion 
 
189 
 
implantadas. Concretizava-se, assim, o objetivo do Professor 
Allyrio de Mattos de dotar o Brasil de uma estrutura 
altimétrica fundamental, destinada a apoiar o mapeamento e 
servir de suporte às grandes obras de engenharia, sendo de 
vital importância para projetos de saneamento básico, 
irrigação, estradas e telecomunicações. 
Em 1958, quando a Rede Altimétrica contava com mais de 
30.000 quilômetros de linhas de nivelamento, o Datum de 
Torres foi substituído pelo Datum de Imbituba, definido pela 
estação maregráfica do porto da cidade de mesmo nome, em 
Santa Catarina. Tal substituição ensejou uma sensível 
melhoria de definição do sistema de altitudes, uma vez que a 
estação de Imbituba contava na época com nove anos de 
observações, bem mais que o alcançado pela estação de 
Torres. 
O final da década de 70 marcou a conclusão de uma grande 
etapa do estabelecimento da Rede Altimétrica. Naquele 
momento, linhas de nivelamento geométrico chegaram aos 
pontos mais distantes do território brasileiro, nos estados do 
Acre e de Roraima. 
Após aproximadamente 35 anos de ajustamento manual das 
observações de nivelamento, o IBGE iniciou, nos primeiros 
anos da década de 80, a informatização dos cálculos 
altimétricos. Tal processo possibilitou a implantação, em 
1988, do Projeto Ajustamento da Rede Altimétrica, com o 
objetivo de homogeneizar as altitudes da Rede Altimétrica do 
SGB. Depois da recente conclusão de um ajustamento global 
preliminar, o Departamento de Geodésia prepara-se agora 
para dar continuidade ao projeto, com a realização de cálculos 
ainda mais rigorosos, considerando-se também observações 
gravimétricas. 
FUNDAMENTOS DE TOPOGRAFIA 
 
Luis A. K. Veiga/Maria A. Z. Zanetti/Pedro L. Faggion 
 
190 
 
Fato também marcante foi o início das operações de 
monitoramento do nível do mar, em 1993. Com o objetivo de 
aprimorar o referencial da Rede Altimétrica, o IBGE passou a 
operar a estação maregráfica de Copacabana, transformando-a 
em uma estação experimental para finalidades geodésicas. 
Hoje o IBGE opera outra estação, no Porto de Imbetiba, em 
Macaé, Rio de Janeiro, com a perspectiva de também assumir 
a operação da Estação Maregráfica de Imbituba.” 
A figura 12.2 ilustra a Rede Altimétrica Brasileira 
 
 
Figura 12.2 - Rede altimétrica brasileira. 
Fonte: IBGE (2010). 
FUNDAMENTOS DE TOPOGRAFIA 
 
Luis A. K. Veiga/Maria A. Z. Zanetti/Pedro L. Faggion 
 
191 
 
As altitudes dos pontos que fazem parte desta rede, denominada 
de referências de nível (RRNN, plural de RN) são determinadas 
utilizando o nivelamento geométrico (de precisão ou alta precisão). Este 
é um procedimento lento e delicado, em virtude da precisão com que 
devem ser determinados os desníveis. Maiores detalhes sobre o 
procedimento de nivelamento geométrico utilizado no estabelecimento 
destas redes podem ser encontrados em BRASIL (1998) e MEDEIROS 
(1999). 
 
As RRNN são marcas características de metal (latão ou bronze) 
cravadas em pilares de concreto erguidos nos extremos das seções ou 
pontos notáveis (obras de arte, monumentos, estações ferroviárias ou 
rodoviárias) dos percursos de linhas geodésicas. A figura 12.3 ilustra 
uma Referência de Nível. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Figura 12.3 - Referência de nível - RN 2053-D. 
 
 
É possível obter as informações sobre a rede altimétrica 
brasileira através do site do IBGE. Para tal, deve-se conhecer o nome da 
RN e sua posição (latitude e longitude), tendo em vista que as 
informações foram organizadas com base nas folhas da Carta 
Internacional do Mundo ao Milionésimo. Para a RN ilustrada na figura 
12.3 estas informações são apresentadas no quadro a seguir. 
 
 
 
 
FUNDAMENTOS DE TOPOGRAFIA 
 
Luis A. K. Veiga/Maria A. Z. Zanetti/Pedro L. Faggion 
 
192 
 
Quadro 12.1 - Descrição da RN 2053-D. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: IBGE (2002) 
 
12.2 - Levantamento Topográfico Altimétrico 
 
De acordo com a ABNT (1994, p3), o levantamento 
topográfico altimétrico ou nivelamento é definido por: 
“levantamento que objetiva, exclusivamente, a determinação 
das alturas relativas a uma superfície de referência dos pontos 
de apoio e/ou dos pontos de detalhe, pressupondo-se o 
conhecimento de suas posições planimétricas, visando a 
representação altimétrica da superfície levantada.” 
 
Basicamente três métodos são empregados para a determinação 
dos desníveis: nivelamento geométrico, trigonométrico e taqueométrico. 
 
Nivelamento geométrico ou nivelamento direto: 
“nivelamento que realiza a medida da diferença de nível entre 
pontos no terreno por intermédio de leituras correspondentes a 
visadas horizontais, obtidas com um nível, em miras 
colocadas verticalmente nos referidos pontos.” ABNT(1994, 
p3). 
RN: 2053-D Altitude: 914.3259 m Classe: AP Ajust 
Latitude: -25 26 43 Longitude:-49 14 07 Fonte: C50 
Situação da RN: Bom Última visita: 00/12/1998 
 
 Localização: 
 
 LOCALIZADO EM UM PEQUENO CANTEIRO 
AJARDINADO; 9 M AQUEM DA PAREDE 
 LESTE DO SEXTO BLOCO DO CENTRO POLITECNICO 
DA UNIVERSIDADE, DESTA 
 CIDADE, E 1,14 KM ALEM DA RN 2053-C. 
FUNDAMENTOS DE TOPOGRAFIA 
 
Luis A. K. Veiga/Maria A. Z. Zanetti/Pedro L. Faggion 
 
193 
 
 
Nivelamento trigonométrico: 
 
“nivelamento que realiza a medição da diferença de nível 
entre pontos no terreno, indiretamente, a partir da 
determinação do ângulo vertical da direção que os une e da 
distância entre estes, fundamentando-se na relação 
trigonométrica entre o ângulo e a distância medidos, levando 
em consideração a altura do centro do limbo vertical do 
teodolito ao terreno e a altura sobre o terreno do sinal visado.” 
ABNT (1994, p.4). 
 
Nivelamento taqueométrico: 
 
“nivelamento trigonométrico em que as distâncias são obtidas 
taqueometricamente e a altura do sinal visado é obtida pela 
visada do fio médio do retículo da luneta do teodolito sobre 
uma mira colocada verticalmente no ponto cuja diferença de 
nível em relação à estação do teodolito é objeto de 
determinação.” ABNT (1994, p.4). 
 
A NBR 13133 estabelece, em seu item 6.4, quatro classes de 
nivelamento de linhas ou circuitos e de seções, abrangendo métodos de 
medida, aparelhagem, procedimentos, desenvolvimentos e 
materialização (ABNT, 1994, p.15): 
 
 a) Classe IN - nivelamento geométrico para implantação de 
referências de nível (RN) de apoio altimétrico. 
 b) Classe IIN - nivelamento geométrico para a 
determinação de altitudes ou cotas em pontos de segurança 
FUNDAMENTOS DE TOPOGRAFIA 
 
Luis A. K. Veiga/Maria A. Z. Zanetti/Pedro L. Faggion 
 
194 
 
(Ps) e vértices de poligonais para levantamentos topográficos 
destinados