A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
68 pág.
Resumo_da_disciplina_Teoria_Geral_do_Processo_-_TGP_Ada,_Cintra_e_Dinamarco

Pré-visualização | Página 7 de 25

divergente da que lhe haja atribuído outro tribunal(ex.: suponhamos que o TJ de São Paulo dê interpretação a uma lei federal de forma diferenciada do que tenha dado o TJ do Amapá. Desde que provada que há divergências de interpretação, cabe Recurso Especial para o STJ para que venha a ser pacificada essa divergência jurisprudencial. Portanto, se as leis federais estiverem sendo interpretadas de forma diferenciada pelos tribunais cabe Recurso Especial ao STJ.
OBS. Em um mesmo processo pode haver Recurso Especial e Recurso Extraordinário, isto quando a mesma decisão do tribunal envolver questão constitucional(Recurso Extraordinário) e questão de lei federal(Recurso Especial). Para ser julgado o Recurso Extraordinário é preciso antes que haja julgamento do Recurso Especial.
CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA(ART. 103-B, CF)
Órgão criado pela Emenda Constitucional 45/2004, para exercer controle externo do Poder Judiciário.
CARACTERÍSTICAS DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA
1- Órgão do Poder Judiciário;
2- Tem apenas funções administrativas e financeiras(Art. 103-B, § 4º, CF), que são as seguintes:
4- Velar pela autonomia do Poder Judiciário;
5- Recebe e julga reclamações contra membros dos órgãos do Poder Judiciário. 
6- Elaborar relatórios estastísticos sobre movimento judiciário, a fim de que este poder possa ser planejado;
7)- É órgão superior do Poder Judiciário, sediado em Brasília;
CARACTERÍSTICAS DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA(ART.103-B CF)
a)- Composto de 15 membros - Escolhidos da seguinte forma:
- Um Ministro do STF, indicado pelo respectivo tribunal.
- Um Ministro do STJ, indicado pelo respectivo tribunal.
- Um Ministro do TST, indicado pelo respectivo tribunal.
- Um Desembargador de TJ, indicado pelo STF.
- Um Juiz Estadual, indicado pelo STF.
- Um Juiz de TRFindicado pelo Superior Tribunal de Justiça.
- Um Juiz Federal, indicado pelo STJ .
- Um Juiz de TRT, indicado pelo TST.
- Um Juiz do Trabalho, indicado pelo TST.
- Um membro do Ministério Público da união, indicado pelo Procurador Geral da República.
- Um membro do Ministério Público Estadual, escolhido pelo Procurador Geral da República dentre os nomes indicados pelo órgão competente de cada instituição estadual.
- Dois advogados, indicados pela OAB.
- Dois cidadãos, de notável saber jurídico e reputação ilibada, um indicado pela Câmara dos Deputados e outro indicado pelo Senado Federal.
Requisitos para ser membro:
a)- Pleno gozo dos direitos políticos;
b)- Ter entre 35 e 66 anos(cuidado! Não é 65 anos).
c)- Ser brasileiro nato ou naturalizado;
d)- Possuir notável saber jurídico;
e)- Possuir reputação ilibada;
Detalhes:
c)- Mandato de 2 anos(com uma recondução). É escolha e não eleição.
d)- O Presidente é um Ministro do STF.
e)- O Corregedor é um Ministro do STJ.
f)- São nomeados pelo Presidente da República após aprovação do Senado Federal.
DIVISÃO DA JUSTIÇA DA UNIÃO
a)- Justiça Federal Comum;
b)- Justiça Militar Federal;
c)- Justiça do Trabalho;
d)-Justiça Eleitoral.
JUSTIÇA FEDERAL – HISTORIA
A Justiça Federal foi criada 1891 e extinta pela Constituição de 1937, ocorrendo o seu retorno com a Constituição de 1946, mas apenas na esfera de 2° Instância. A Constituição de 1967, através do Ato Institucional número 6, fez surgir a Justiça Federal e a Constituição Federal de 1988 a consolidou nos moldes atuais, inclusive criando os Tribunais Regionais Federais em substituição aos Tribunais Federais de Recursos.
Isso posto, a Justiça Federal começa a ser regulada pelo Art. 106 da CF/88 que denomina como Órgão da Justiça Federal os Tribunais Regionais Federais(2° Instância) e os Juízos Federais(1° Instância). A Justiça Federal é subordinada ao STJ – Superior Tribunal de Justiça, que faz toda a supervisão administrativa e orçamentária daquela Justiça. São órgão da justiça Federal:
1)- TRIBUNAIS REGIONAIS FEDERAIS 
- É o Órgão de 2° Instância da Justiça Federal;
- São 5 os Tribunais Regionais Federais do País(Art. 27, § 6°, ADCT):
a)- 1ª Região – sede no Distrito Federal;
b)- 2ª Região – sede no Rio de Janeiro;
c)- 3ª Região - sede em São Paulo;
d)- 4ª Região – sede em Porto Alegre;
e)- 5ª Região – sede em Recife.
- Compostos por no mínimo 7 Juízes(auto-denominados Desembargadores) com mais de 30 e menos de 65 anos de idade e com mais de 5 anos de exercício profissional.
- 1/5(Quinto Constitucional) dos membros do TRF estão divididos entre Advogados e Membros do Ministério Público.
- Têm competência Originária e competência também Recursal(Art. 108, CF). Originalmente têm competência para julgar os Juízes Federais nos crimes comuns e de responsabilidade e têm competência recursal para julgar decisões dos Juizes Federais.
2)- SEÇÃO JUDICIÁRIA - É equivalente nos Estados às Comarcas. O Juiz Federal faz parte de uma Seção Judiciária. O Art. 110 CF estabelece a obrigatoriedade de haver, no mínimo, uma Seção Judiciária em cada Estado da Federação. 
3)- JUÍZES FEDERAIS
- O ingresso na carreira é mediante concurso público;
- Têm competência principal(têm outras) para julgar qualquer processo movido pela ou contra a União, Autarquia Federal ou Empresa Pública Federal(Art. 109 CF).
OBS.: Nas ações movidas contra a Previdência Social, não existindo na Comarca Seção da Justiça Federal, a competência é da Justiça Estadual, mas apenas em 1ª Instância, porque o Recurso para a 2ª Instância será julgado pelo TRF.
JUSTIÇA MILITAR DA UNIÃO
Julga apenas os crimes militares definidos em lei, pouco importando se praticados por militar ou por civil. É regulada pela Lei Orgânica da Justiça Militar da União(lei 8457/92). A Justiça Militar é dividida em:
a)- STM – SUPERIOR TRIBUNAL MILITAR – É o órgão de 2ª Instância(e também de cúpula) da Justiça Militar, tem sede em Brasília e composto de 15 Ministros, sendo 10 Militares(4 do Exército, 3 da Marinha e 3 da Aeronáutica) e 5 Civis(3 Advogados e 2 Membros do Ministério Público). A competência do STM é apenas Penal(ex. :se o Militar quiser ingressar com ação contra a União terá que procurar a Justiça Comum, mas se cometeu um crime militar ele será julgado pela Justiça Militar);
b)- CONSELHO DE JUSTIÇA MILITAR – Tem sede na respectiva Região Militar(são 12). É o órgão de 1° grau da Justiça Militar. É um órgão colegiado(mais de um julgador). Dependendo do crime e da matéria a ser julgada o Conselho de Justiça Militar é dividido em:
-Conselho Especial de Justiça – Julga os militares com patentes acima de Sub-Tenentes(os Oficiais).
-Conselho Permanente de Justiça – Julga os civis e os militares até a patente de Sub-Tenente. 
JUSTIÇA ELEITORAL
Tem competência apenas eleitoral, mas dentro da matéria eleitoral tem competência tanto Penal como Civil. Os membros da Justiça Eleitoral não são vitalícios, têm mandato de 2 anos. A Justiça Eleitoral é formada pelos seguintes Órgãos:
1-TSE – TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL(ART. 119, CF)
- É o órgão máximo da Justiça Eleitoral;
- Sede em Brasília;
- Composto por 7 membros(3 do STF, 2 do STJ e 2 Advogados). O Presidente do TSE é sempre um dos membro do STF.
2-TRE -TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL(ART.120, CF) 
– É o órgão de 2ª Instância da Justiça Eleitoral;
– A Constituição prevê a existência de um TRE em cada Estado;
– É composto por 7 membros(2 Desembargadores, 2 Juízes Estaduais(de 1ª Instância), 1 Juiz do TRF e 2 Advogados).
3)- JUIZES ELEITORAIS/JUNTAS ELEITORAIS
- São órgãos de 1ª Instância da Justiça Eleitoral;
- São Juizes de Direito que acumulam a função de Juizes Eleitorais com competência Eleitoral jurisdicional e também competência administrativa, ou seja eles julgam e organizam administrativamente as questões eleitorais.
4)- JUNTAS ELEITORAIS
- A Junta eleitoral é composta pelo juiz Eleitoral da Comarca e 2 a 4 Cidadãos indicados pelo próprio Juiz;
- A Junta Eleitoral tem competência apenas administrativa, auxilia o Juiz na administração da justiça eleitoral.
JUSTIÇA DO