A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Macroeconomia I - Tópico 05

Pré-visualização | Página 2 de 2

de ativos bem como à influência da taxa de juros sobre as 
decisões de investimentos.
OFERTA DE MOEDA TAXA DE JUROS INVESTIMENTO RENDA
Aumento Redução Aumento Aumento
Redução Aumento Redução Redução
Análise Macroeconômica I Tópico 5
Política Fiscal
Entende-se por política fiscal a atuação do governo sobre as variáveis G e T, definindo 
o nível de gastos e o volume de arrecadação de impostos. O gasto público é um elemento direto 
da demanda e afeta o volume de gastos autônomos. Os impostos, por sua vez, afetam indireta-
mente a demanda ao alterar a renda disponível e, por conseguinte, o consumo, afetando a propen-
são marginal a gastar e, portanto, o multiplicador. Chama-se de política fiscal expansionista o au-
mento dos gastos públicos ou a redução dos impostos e de política fiscal contracionista a redução 
de gastos públicos ou aumento de impostos.
O impacto inicial da variação do gasto público é o deslocamento da IS para 
a direita, pois a demanda de bens será maior para qualquer taxa de juros. A 
força desta expansão é definida pelo valor do gasto público vezes o multipli-
cador. O impacto final desta medida será o aumento da renda e da taxa de 
juros. Porque a taxa de juros sobe? Porque como o gasto inicial aumenta a 
renda, aumenta também a demanda por moeda. Como a oferta de moeda é 
fixa, eleva-se a taxa de juros para manter o equilíbrio no mercado monetá-
rio. Essa elevação faz com que o investimento se reduza, amenizando o im-
pacto da política fiscal expansionista, mas mantendo um impacto ainda po-
sitivo sobre a renda. Assim, aumentos do gasto público provocam reduções 
do investimento privado. 
LM1
IS1
r
yy*
r*
Política Fiscal Expansionista
y*2
r*2
IS2
Análise Macroeconômica I Tópico 5
Eficácia da Política Fiscal
O principal fator a determinar a eficácia da política fiscal é o tamanho do multiplica-
dor. Quanto maior for o multiplicador, maior será o deslocamento da IS para a direita e, portanto, 
maior será a variação da renda. Os demais fatores que determinam a eficácia da política fiscal são 
os mesmos que determinam a eficácia da política monetária, quais seja a elasticidade da demanda 
por moeda em relação à taxa de juros e a elasticidade do investimento em relação também à taxa 
de juros.
Quanto mais sensível for a demanda por moeda em relação à taxa de juros, maior será 
o efeito sobre a renda de uma política fiscal expansionista. Quanto maior a elasticidade do inves-
timento em relação à taxa de juros, maior será a redução do investimento em virtude do aumento 
da taxa de juros, diminuindo a eficácia da política fiscal. 
Nos casos da armadilha da liquidez a eficácia da política fiscal é total, pois a taxa de 
juros não aumentará em virtude do aumento do gasto público. No caso oposto, onde a curva LM 
é totalmente vertical, a política fiscal é ineficaz pois apenas gera uma variação na taxa de juros, 
fazendo com que o investimento reduza na mesma magnitude do aumento do gasto. Há nesse 
caso apenas a substituição de gasto privado por gasto público.
POLÍTICA FISCAL RENDA TAXA DE JUROS INVESTIMENTO
Expansionista Aumento Aumento Redução 
Contracionista Redução Redução Aumento
Análise Macroeconômica I Tópico 5
Combinação de Políticas
É possível também que haja uma combinação das políticas monetária e cambial para 
alcançar um objetivo pré-determinado. Por exemplo, pode ser que o objetivo seja uma política 
fiscal expansionista, mas que não ocorra aumento da taxa de juros para que os investimentos não 
reduzam. Nesse caso, teríamos:
Política Fiscal Expansionista combinada
com Política Monetária Expansionista
No exemplo ao lado, um aumento dos gastos desloca a IS para a 
direita, deslocando o equilíbrio do ponto A para o ponto B. Como 
o governo não deseja que o investimento reduza, ele adota uma 
política monetária expansionista para suprir a demanda por moe-
da adicional gerada pelo aumento da renda. Assim, o investimen-
to não reduz e temos uma política fiscal mais eficaz. 
LM1
IS1
r
yy*
r*
y*2
r*2
IS2
LM2
A
B
C
yy*3
Política Monetária Expansionista combinada
com Política Fiscal Contracionista
LM1
IS1
r
y*
r*
y*2
r*2
IS2
LM2A
B
Cr*3
No exemplo acima, uma política monetária expansionis-
ta reduziu a taxa de juros e aumentou a renda, devido ao 
aumento do investimento. Como o governo gostaria de 
manter o nível de preços, impôs uma política fiscal con-
tracionista, que reduziu a renda e ainda mais a taxa de 
juros. No final, trocou-se gastos públicos por investi-
mentos privados.
Análise Macroeconômica I Tópico 5
LM
IS
r
yy*
r*
Política Fiscal Expansionista
y*2
r*2
OA
DA
P
yy*
P*
y*2
P*2
Política Monetárial Expansionista
LM
IS
r
yy*
r*
y*2
r*2
y
P*
P*2
OA
DA
P
y* y*2
Unindo o Modelo IS-LM ao Modelo OA-DA
G r y P M r y P
Análise Macroeconômica I Tópico 5
INTERLIGAÇÃO ENTRE LADO MONETÁRIO E LADO REAL
Condição de Equilíbrio: IS = LM
Equilíbrio do Lado Real = IS 
Equilíbrio do Lado Monetário = LM 
Estabelecidos r* e y*, pode-se determinar 
As demais variáveis, bastando substituir nas 
equações 
anteriores.
LM
IS
r
yy*=100
r*