A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Artigo TDAH Oficial PDF

Pré-visualização | Página 2 de 3

de banco: “por que tem 10 guichês e só dois caixas funcionando? ’’. 
Coisas que outras pessoas conseguem superar numa boa. “Eu tinha dificuldade e 
ficava muito irritado”, explica. 
5 
 
Porém existem dicas simples, que irá facilitar o dia-a-dia dessas pessoas, 
como abusar de calendários e agendas para organizar os compromissos e tarefas; 
passar contas no debito automático; deixar às chaves, a carteira e o celular sempre 
juntos. Contudo não significar dizer que este será um indivíduo sem sucesso na vida 
e na carreira de trabalho, tendo este o correto diagnóstico e tratamento, também 
como uma cuidadosa seleção do emprego, o reconhecimento honesto de suas 
limitações e de um trabalho de controle sobre seus sintomas, ele poderá viver 
normalmente e inserir-se no mercado de trabalho. Pode-se observar que a 
descoberta do transtorno na fase adulta é um alivio e uma resposta para todas as 
perguntas feitas na infância por essas pessoas, que não entediam o porquê de tudo 
aquilo ou por que eram diferentes de todos. 
Diante do atual contexto histórico, no mercado de trabalho todo dia vence-se 
batalhas, a maioria das pessoas têm de superarem-se todos os dias para conquistar 
seu espaço, em especial àqueles que ficam a “margem do mercado nessa 
sociedade” como as mulheres, os negros, os portadores de alguma necessidade 
especial, enfim seres humanos que lutam diariamente para conquistar seu lugar e 
manter-se nele. Essas conquistas diárias vêm quebrando paradigmas, pois esses 
indivíduos provam que são capazes de construir uma carreira de sucesso e que 
merecem não só por direito, mas sim por merecimento seu espaço. Contudo está 
explicito que o mercado de trabalho superou grandes dificuldades, e eliminou grande 
parte do pré-conceito que o rodeava. 
Novas relações de trabalho, um novo emprego, todo começo, é sempre difícil, 
é uma fase de adaptação. Independente da condição do indivíduo, não existe 
trabalho ideal, todo emprego demanda esforço ou ajustes da parte de qualquer 
profissional. Existem aptidões em cada ser que fará com que ele se identifique com 
determinada área de atuação, conhecer a si mesmo, reconhecendo honestamente 
suas limitações e ser flexível é primordial para manter-se nesse mercado. 
Sendo assim, existem quatro tipos de TDAH, que são: O desbravador, 
acionista, artístico e performático. Cada um desses tem grande potencial para atuar 
em áreas especificas com as características de cada um, que são até pré-requisito 
para ingressar-se no mercado de trabalho, passando assim de mentes inquietas 
para mentes brilhantes, pois, a maioria que atua na área que se identificam, 
conquistam destaque e sucesso. Portanto, o mercado é amplo e flexível, sempre 
6 
 
estará disponível para as pessoas que tem talento, que se qualificam e buscam 
fazer o melhor. O que ele é capaz de fazer é o que fará toda diferença. 
Tendo em vista que a educação é a base fundamental para qualquer 
indivíduo, principalmente aquele que desejar ingressar-se no mercado de trabalho, é 
fundamental que este direito seja assegurado. Ter um ensino diferenciado, com um 
pessoal qualificado, capacitado para lhe dar com as dificuldades destes é um direito 
necessário, que deve ser exercido. 
Muitas escolas utilizam um método de ensino tradicional, convencional, 
parecem fábricas em que alunos são tratados como robôs: tudo que importa é que 
eles se formem e passem em algum vestibular, não existe um ensino diferenciado e 
qualificado para aqueles que necessitam de tal. Já no mercado de trabalho, muitos 
acreditam que um bom profissional é aquele que mostra competência em tudo o que 
faz. Porém nem toda criança aprende da mesma forma e nem todo tipo de trabalho 
serve para todo adulto, mas a sociedade como um todo precisa pensar desse modo. 
A pessoa portadora do TDAH tem os mesmos direitos e deveres daqueles 
que não possuem o transtorno, não há privilégio algum para eles, como por 
exemplo, em relação às cotas. Eles são seres especiais, porém não adquirem 
direitos da previdência social, sendo comparado com pessoas que têm 
necessidades especiais e lhe são garantido este ônus. 
Uma educação especial, diferenciada, de acordo com a necessidade de cada 
um é direito de todos. O Estado Brasileiro tem a obrigação constitucional de garantir 
educação a todos os cidadãos, seguindo diretrizes claras e oferecendo garantias de 
tal direito social. E caso sejam necessárias ações especiais para proporcionar a 
oferta desse direito a todos, o Estado é obrigado a adotá-las, como no caso dos 
deficientes, tal como definido na legislação. 
A Lei 9.394/96, que estabelece as diretrizes e bases da educação brasileira, 
reforça, nos artigos 58 e 59, a importância do atendimento educacional a pessoas 
com necessidades especiais, ministrado preferencialmente em escolas regulares. 
Estabelece, também, que sejam criados serviços de apoio especializado e 
assegurados currículos, métodos e técnicas, recursos educativos e organizações 
específicas para atender às peculiaridades dos alunos. Destaca, ainda, a 
necessidade de capacitar docentes das dificuldades de aprendizagem. 
No Brasil, os atuais critérios de definição da clientela da educação especial 
encontram-se elencados no documento Política Nacional de Educação Especial, 
7 
 
publicado em 1994 pela Secretaria de Educação Especial – SEESP – do Ministério 
da Educação e Desporto – MEC. 
De acordo com esse documento, tal clientela é constituída por três grandes 
grupos, que são eles: Os portadores de altas habilidades, portadores de condutas 
típicas e portadores de deficiência. As pessoas portadoras do TDAH se enquadram 
no segundo grupo, que apresentam alterações no comportamento social e/ou 
emocional, acarretando prejuízo no seu relacionamento com as demais pessoas. 
Porém o pessoal capacitado, treinado para dar subsidio e auxiliar essas 
pessoas na escola para que se desenvolvam e qualifiquem-se para o mercado de 
trabalho é escasso. Os que possuem TDAH têm uma capacidade criativa imensa, 
elas têm iniciativas por serem considerados impulsivos e não gostam de atividades 
monótonas, por isso estão sempre inovando, criando, buscando coisas novas, que 
as motivem, que prendam a atenção delas, e é disso que o mercado de trabalho 
precisa. 
 
CONSIDERAÇÕES FINAIS 
 
Contudo, necessita-se de uma sociedade que seja mais flexível e 
compreensiva, na qual se entenda que diferentes pessoas têm não só diferentes 
talentos, como também diferentes dificuldades e desafios. O mercado de trabalho é 
amplo e diversificado, tendo espaço para todos que se qualificam e tem talento. O 
TDAH é um transtorno que afeta grande número de seres humanos. Muitas pessoas 
ainda não estão cientes de que elas próprias ou seus filhos sofrem desse transtorno. 
Tendo em vista, que os portadores de TDAH devem ter um suporte familiar, 
social e profissional para desenvolverem-se com qualidade, é imprescindível que 
nossa sociedade esteja informada e aprenda mais sobre o TDAH, afim de que se 
façam esforços para tratar daqueles que sofrem desses transtornos. Portanto, a 
família deve ser referência para essas pessoas, os profissionais devem estar aptos 
para aplicar o diagnóstico correto e tratamento adequado de acordo com as 
necessidades de cada um, as escolas precisam se modernizar e se adaptar para 
atender crianças e jovens com esses e outros transtornos. Caso contrário, muitas 
delas serão não apenas maus alunos, mas também maus profissionais, e terão 
dificuldades em se relacionar com o próximo, de se tornar pessoas produtivas e 
felizes. 
8 
 
Conclui-se que a priori ao fazer uma leitura a cerca do tema, todos imaginam 
que possuem o TDAH, mas ao realizar uma analise profunda