A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
43 pág.
AULA DE  RESPIRATORIO II 2012.2

Pré-visualização | Página 1 de 2

APARELHO RESPIRATÓRIO 
APARELHO RESPIRATÓRIO 
 DIVISÃO FUNCIONAL 
 PARTE CONDUTORA 
• NARIZ 
• FARINGE 
• LARINGE 
• TRAQUÉIA 
• BRÔNQUIOS 
 PARTE RESPIRATÓRIA 
• PULMÕES: 
 >BRONQUÍOLOS 
RESPIRATÓRIOS 
 >ALVÉOLOS 
PULMONARES 
 
TRAQUÉIA 
 
 
 CONCEITO 
 TRAJETO 
 DIVISÃO: 
 CERVICAL 
 TORÁCICA 
TRAQUÉIA 
PULMÃO 
DIREITO 
Principal 
 ESTRUTURA DA TRAQUÉIA 
 MUCOSA 
 SUBMUCOSA 
 MUSCULOCARTILA
GINOSA (placas 
cartilaginosas + 
tecido fibrelástico + 
músculo traqueal) 
 ADVENTÍCIA 
MUCOSA 
CARTILAGEM 
ADVENTÍCIA 
MÚSCULO 
TRAQUEAL 
BOVINO 
CÃO 
FORMA DOS ANÉIS 
TRAQUEAIS 
direito 
CARACTERÍSTICAS DA 
TRAQUÉIA 
 A traquéia tem que funcionar como um tubo rígido ou entraria em colapso 
quando os pulmões se expandissem. 
 
 A traquéia tem que ser capaz de expansão para que possa acomodar 
qualquer aumento de volume do ar que passa do e para os pulmões. A 
traquéia é capaz desta expansão porque: 
1. A cartilagem hialina possui determinada flexibilidade inerente; 
2. As placas cartilaginosas são incompletas dorsalmente; 
3. A túnica mucosa forma pregas longitudinais; 
4. Há considerável quantidade de tecido elástico na submucosa. 
 
 A traquéia tem que capturar e remover as partículas finas de matérias 
estranhas admitidas com o ar inspirado. 
 
 Toda a traquéia precisa ser tanto flexível quanto extensível para dar 
margem aos movimentos da cabeça, pescoço e laringe. 
 
 
BIFURCAÇÃO DA TRAQUÉIA 
 
 BRÔNQUIO 
PRINCIPAL 
 CARINA DA 
TRAQUÉIA 
CAVIDADE TORÁCICA 
Parede dorsal 
 
 
 
 
 
 
Paredes 
Laterais 
 
Parede ventral 
FÁSCIA ENDOTORÁCICA 
 Camada de tecido conjuntivo frouxo que reveste 
a cavidade torácica 
MEDIASTINO 
 Significa o intervalo entre os dois sacos 
pleurais 
 Estende-se da entrada torácica até o 
diafragma 
 Limites: dorsalmente pela coluna 
vertebral, ventralmente pelo esterno e 
lateralmente pelos sacos pleurais 
 Divisão:cranial, médio e caudal 
MEDIASTINO CRANIAL 
MEDIASTINO CAUDAL 
DIAFRAGMA 
PLEURA 
 Delgada túnica serosa, brilhante e 
escorregadia que está disposta na forma 
de dois sacos denominados de sacos 
pleurais. 
 Divide-se em: pleura visceral e pleura 
parietal (costal,diafragmática, 
mediastínica e pericárdica). 
 Reflexões da pleura: recesso 
costomediastinal, recesso 
costodiafragmático e prega da veia cava. 
 
PLEURA COSTAL MEDIASTINO 
CRANIAL 
MEDIASTINO CAUDAL 
RECESSO 
COSTODIAFRAGMÁTICO 
PREGA DA VEIA CAVA 
PULMÕES 
 CONCEITO 
 ESTRUTURA: 
 CAPSULA (PLEURA PULMONAR) 
 TECIDO INTERSTICIAL 
INTERLOBULAR 
 ÁRVORE BRÔNQUICA 
 PARÊNQUIMA 
 
 INCISURA CARDÍACA 
ÁRVORE TRAQUEO- 
BRÔNQUICA 
 DIVISÃO 
1. PORÇÃO CONDUTORA : 
 BRÔNQUIOS PRINCIPAIS 
DIREITO E ESQUERDO 
 BRÔNQUIOS LOBARES 
CRANIAL, MÉDIO, CAUDAL E 
ACESSÓRIO 
 BRÔNQUIOS SEGMENTARES 
 
 
2. PORÇÃO RESPIRATÓRIA: 
 BRONQUÍOLO TERMINAL 
 BRONQUÍOLO RESPIRATÓRIO 
 DUCTOS ALVEOLARES 
 ALVÉOLOS 
ÁRVORE TRAQUEO- 
BRÔNQUICA 
 
CÃO SUÍNO 
3ª PAR COSTELAS 
GATO CÃO 
SUÍNO 
BOVINO EQUINO 
HEMATOSE 
SEGMENTAÇÃO PULMONAR 
 
 ETMOLOGICAMENTE, O TERMO SEGMENTO 
ORIGINA-SE DO LATIM SEGMENTUM, QUE 
SIGNIFICA DIVISÃO, PARTE DE UM TODO, 
FRAGMENTO OU PORÇÃO DO MESMO. 
 EM ANATOMIA E CIRURGIA, O TERMO PODE SER 
DEFINIDO COMO TERRITÓRIO DE UM ORGÃO OU 
VÍSCERA COM FUNÇÃO, SUPRIMENTO E 
DRENAGEM INDEPENDENTES, SEPARADAS, ONDE 
ANASTOMOSES PODEM SER ENCONTRADAS, MAS 
NÃO IMPEDEM À IDENTIFICAÇÃO OU PREJUDICAM 
A REMOÇÃO CIRÚRGICA PERMANENTE (DI DIO, 
1982). 
LOBOS PULMONARES 
 SÃO PARTES RELATIVAMENTE GRANDES DOS 
PULMÕES, DELIMITADOS POR FISSURAS NA SUA 
MARGEM VENTRAL. 
 PODE SER DEFINIDO COMO UMA GRANDE PARTE 
DE TECIDO PULMONAR QUE É VENTILADO POR UM 
GRANDE BRÔNQUIO ( BRÔNQUIO LOBAR) SURGIDO 
OU DE UM BRÔNQUIO PRINCIPAL OU 
DIRETAMENTE DA TRAQUÉIA ( RUMINANTES E 
SUÍNOS). 
EQUINO 
 
 
 
 PE= LOBOS CRANIAL E CAUDAL 
PD= LOBOS CRANIAL, CAUDAL E ACESSÓRIO 
APARELHO RESPIRATÓRIO 
 
BOVINO, OVINO E CAPRINO 
 
 PE= LOBOS CRANIAL( PORÇÕES 
CRANIAL E CAUDAL) E CAUDAL 
 
 
 
 
PD= LOBOS CRANIAL ( PORÇÕES 
CRANIAL E CAUDAL), MÉDIO, 
CAUDAL E ACESSÓRIO 
 
BOVINO 
 
BOVINO 
 
SUÍNO 
 
PE = LOBOS 
CRANIAL(PORÇÕES 
CRANIAL E 
CAUDAL) E CAUDAL 
 
 
 
 
PORÇÃO CRANIAL 
PORÇÃO CAUDAL 
PD = LOBOS CRANIAL, 
MÉDIO, CAUDAL E 
ACESSÓRIO 
 
CANINO 
 
 PD= LOBOS CRANIAL, 
MÉDIO, CAUDAL E 
ACESSÓRIO 
 PE= LOBOS 
CRANIAL(PORÇÕES 
CRANIAL E CAUDAL) E 
CAUDAL 
 
CANINO 
 
LÓBULO PULMONAR 
É a unidade estrutural do pulmão. Os limites interlobulares são 
observados macroscopicamente e mais nitidamente no adulto. 
 
FORMA: 
Quando observadas da superfície pulmonar são irregularmente 
poligonais. 
Nos bovinos é muito visível o desenho dos lóbulos na superfície 
pulmonar, menos marcadas no suíno, ainda menos no equino, no 
ovino e caprino e sem marcação nos carnívoros. O bronquíolo 
terminal, os bronquíolos respiratórios, os ductos alveolares e 
alvéolos, individualizam o lóbulo pulmonar. 
 
VASCULARIZAÇÃO 
 SANGÜÍNEA 
 
1. Circulação funcional – artérias e veias 
pulmonares 
2. Circulação nutridora – artérias e veias 
bronquiais 
VASCULARIZAÇÃO 
 LINFÁTICA 
 
 Os vasos linfáticos são muitos numerosos e 
estão dispostos em duas séries. A série 
superficial está distribuída na pleura e debaixo 
da mesma e a profunda acompanha os 
brônquios e vasos pulmonares. A maior parte 
desses vasos converge para raiz do pulmão e 
penetra nos linfonodos bronquiais. 
INERVAÇÃO 
 Os nervos provêm do simpático e 
parassimpático(vago), penetram pelo hilo e 
emitem ramificações que acompanham as 
artérias bronquiais e os bronquíolos. Estes 
nervos regulam o calibre dos vasos sanguíneos, 
assim como o tônus das fibras musculares lisas 
que rodeiam os ductos alveolares e os 
brônquios. 
QUESTIONÁRIO 
 
 1. Defina traquéia, descrevendo sua constituição anatômica. 
2. Descreva o trajeto da traquéia. 
3. Cite a razão pela qual a traquéia é constituída de anéis cartilaginosos incompletos. 
4. Cite a que nível ocorre a emergência do brônquio traqueal nos ruminantes e suínos. 
5. Cite a que nível ocorre a bifurcação da traquéia, em todas as espécies. 
6. Defina brônquios principais, lobares e segmentares. 
7. Defina árvore traqueobrônquica. 
8. Defina pleura, e cite sua divisão. 
9. Defina cavidade pleural. 
10. Cite os limites do espaço mediastínico. 
11. Denomine as reflexões da pleura. 
12. Cite os lobos pulmonares, em todas as espécies e as respectivas fissuras que os separam. 
13. Denomine a porção condutora da árvore traqueobrônquica nos animais domésticos. 
14. Cite a porção respiratória da árvore traqueobrônquica no equino. 
15. Defina lobo e lóbulo pulmonar. 
16. Dê a circulação funcional e nutridora do pulmão. 
17. Cite as características inerentes do pulmão do equino. 
18. Cite as características inerentes do pulmão do bovino. 
19. Cite as características inerentes do pulmão do suíno. 
20. Cite as características inerentes do pulmão do cão. 
21. Dê a situação da fissura interlobar cranial. 
22. Dê a situação da fissura interlobar caudal. 
23. Cite os limites dorsal e