PsicologiaDaArte Vigotsky atépg80
50 pág.

PsicologiaDaArte Vigotsky atépg80

Disciplina:Psicologia da Arte16 materiais189 seguidores
Pré-visualização25 páginas
Psic%gia da Arte
L. S. Vigotski

Martins Fontes

liev SemlOnovitc:h Vig( ,tski (1 896-
1936) e uma das figuras mais
importantes da escola psicol6gica
russa . Entre as suas mais destacadas

contribui90es estao os estudos
sobre a psicologia geral, infantil,
pedag6gica e genetica, assim como
sobre a psicopatologia. No entanto
devem ser lembradas especialmente
as suas teorias sobre a origem
s6cio-hist6rica das fun90es psfquicas
superiores e sobre as fun90es do
ensino no desenvolvimento psfquico
da crian9a. Suas investiga90es
sobre psicologia da arte come9am
a influenciar as principais
tendencias ocidentais preocupadas
com esta area da atividade
humana. Vigotski coloca e resolve
questoes sobre psicologia da arte
que marcam uma reviravolta
completa nas concep90es
trad iciona is.

CA~A

PSICOLOGIA
DAARTE

Esra obra fo; publicada origina/mente em russo com 0 titulo PS/JOLOGUIA ISKUSSTVA.
Copyright © L. Vigolski's silcessor ill title - Vigotskayo Gira Lic\'ol'lIo.

Copyright © 1999, Livraria Martills Fontes Editora Ltcla.,
Sao Paulo, para a presellfe edi{ ilO.

j;} edic;ao
je\'ereiro de 1999
2~ tiragern

lIovembro de 2001

Tradu«;:fto
PA ULO BEZERRA

Revisao da tradu~ao
Vadim Valentinovitel! Nikirin

Revisao gratica
Soiange Martins

Ivete Batista dos Santos
Alldrea Stahel M. da Silva

Produc;ao grafica
Cera/do Alves

Capa
Katia Harumi Terasaka

Dados Internacionais de Catalogac;ao na Publicac;ao (eIP)
(Camara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Vygolsky, Lev Semenovitch, 1 896~ 1 934.
Psicologia da arte I L. S. Vigotski ; trad u~ao Paulo Bezerra. ~ Sao

Paulo: Martins Fontes, 1999.

Titulo original: Psijologuia iskusstva.
Bibliografia.
ISBN 85·336· 1003·3

I. Artes - Aspectos psicol6gicos I. Titulo.

99·0098
indices para catalogo sistematico:

1. Arte : Psicoiogia 701. 15

CDD·70 1.15

Todos os direitos para a lingua portuguesa reservados a
Livraria Martins Fontes Editora Llda.

Rua Conselheiro Ramalho, 3301340 01325·000 Sao Paulo SP Brasil
Tel. (1 / )3241.3677 Fax (11) 3105.6867

e-mail: info@martinsfontes.com.br http://www.martinsfonres.com.br

.. Sum a rio

Pre/acio a edifiio brasileira
Pre/acio

METODOLOGIA DO PROBLEMA

1. 0 problema psico16gico da arte
"Estetica de cima" e "estetica de baixo ". A teoria mar-
xista da arte e a psicologia. Psicologia social e indivi-
dual da arte. Psicologia subjetiva e objetiva da arte. 0
metodo objetivo-analitico e sua aplicafaO.

CRiTlCA

2. A arte como conhecimento
Principios 'cia critica. A arte como conhecimento. 0 intelec-
tualismo dessa formula. Critica a teo ria da jigurafaO. Re-
sultados praticos dessa teoria. A nao compreensao da psi-
cologia da forma. Dependencia em face da psicologia
associativa e sensualista.

3. A arte como procedimento
Reafao ao intelectualismo. A arte como procedimento.
PSicoiogia do enredo, da personagem, das ideias literarias,

Xl
1

7

"'----- 1
_ 1

31

59

dos sentimentos. A contradi(:iio p sicologica do Forma-
lismo. A niio compreensiio da psicologia do material. A
pratica do Formalismo. Um hedonismo elementar.

4. Arte e psicamilise ........ .. .. .... .... ........ .. ............................... 81
o inconsciente na psicologia da arte. A psicanalise da arte.
A niio compreensiio da psicologia social da arte. Critica
ao pansexualismo e ao infantilismo. 0 papel dos momen-
los conscientes em arte. A aplica(:iio pratica do metodo
psiC'Clnalitico. -

ANALISE DA REA9AO ESTETICA

5. Analise da fabula ... .......... ... ................... ...... .. ...... .... .... ..... 103
A fabula, a novela, a tragedia. A teoria da fabula de Les-
sing e Potiebnya. Afabula em poesia e prosa. Elementos
da constru(:iio da fabula: a alegoria, 0 uso de animais, a
moral, a narra(:iio, 0 estilo poetico e os procedimentos.

6. "Veneno sutil". A sintese .... ...... ...... .. .... .... .... .. .. .. ...... .. .... .. 141
o germe da lirica, do epos e do drama na fabula. As fabu-
las de Krilov. Sintese da fabula. A contradi(:iio emocional
como base psicologica dafabula. A catastrofo dafabula.

7. Leve alento .. ..... .......... ... ......................... ... ... .. .. .... .... .... ..... 177
"Anatomia "e "ftsiologia" da narra(:iio. Disposi(:iio e com-

posi(:iio. Caracteristica do material. Sentido funcional da
composi(:iio. Procedimentos auxiliares. Contradi(:iio emo-
cional e destrui(:iio do conteudo pela forma .

8. A tragedia de Hamlet,principe da Dinamarca .... .... .... .... .. .. 207
o enigma de Hamlet. Solu(:oes "subjetivas "e "objetivas".
o problema do carater de Hamlet. Estrutura da tragedia:
fabula e en redo. Identifica(:iio do heroi. A catastrofo.

PSICOLOGIA DA ARTE

9. A arte como catarse .............................. .... ........ .. .. .. .......... 249
A teoria das emo(:oes e a fantasia. A lei do menor esfor(:o.
A teo ria do tom emocional e da empatia. A lei da "dupla

CI

expressiio das emo(:oes". A lei da "realidade das emo-
(:oes ". A descarga central e periferica das emo(:oes. A con-
tradi(:iio emocional e 0 principio da antitese. A catarse. A
destrui(:iio do conteudo pela forma.

10. Psicologia da arte .............................. ...... ........ .... ........ .. .. . 273
Verifica(:iio da formula. Psicologia do verso. Lirica, epos.
Herois e personagens. 0 drama. 0 camico e 0 tragico. 0
teatro. A pintura, 0 graftco, a escultura, a arquitetura.

11. Arte e vida .... ............................ ...... .................. .... ........ .... · 303
Teoria do contagio. Sentido vital da arte. Sentido social da
arte. Critica da arte. Arte e pedagogia. A arte do futuro.

Comentarios
Notas ......... ... ... ............... .. ... ...... ... .. ... .. .... ... .
Obras sobre Vigotski
Bibliografia

\
1
t- I ! \ !,,'-
~f

\

331
339
367
369

r i k I
I

{I

Ate hoje ninguem definiu aquilo de que 0 corpo e
capaz ... mas dizem que seria impossivel deduzir apenas
das leis da Natureza, uma vez considerada exclusiva-
mente como corp6rea, as causas das edifica<;oes arqui-
tetonicas, da pintura e coisas afins que s6 a arte huma-
na produz, e que 0 corpo humano nao conseguiria cons-
truir nenhum templo se nao estivesse determinado e
dirigido pela alma, mas eu ja mostrei que tais pessoas
nao sabem de que e capaz 0 corpo e 0 que concluir do
simples exame da sua natureza ...

ESPINOSA
(Etica, III, Teorema 2, Esc6lio)

....

~
enorAprena

eneficios da -AI

ABESP I

r icio: 04 109 J
1
i

r amento:
OBJETIVO A Fl

rdos I Eficacia

I:himento:
rlir.;:!nno a notal

~'--'r -- _ .. ~ .-.... az) . ,
,iU 0 Objetivo ~1
I \1
DU em seu tral

Motivo da naci

r"

I'

Pre/acio a edifiio brasileira

Psicologia da arte chega as maos do publico brasileiro um
ana depois do centemirio de nascimento do seu autor, ja bastante
conhecido entre n6s, particularmente entre aqueles que trabalham
nos campos da Lingiiistica, da educa9ao e psicologia da educa-
9ao. A Editora Martins Fontes ja publicou dele Pensamento e lin-
guagem, Aformar;iio social da mente (1984), Os metodos em psi-
cologia (1995) e esta com Psicologia pedagogica e uma edi9ao
integral e traduzida do original russo de Pensamento e linguagem
no prelo. 0 estudo especifico que Vigotski dedicou a Hamlet e
vinha em anexo no original russo saira em livro a parte com 0 titu-
lo A tragedia de Hamlet, principe da Dinamarca.

Em Psicologia da arte, salta a vista a preocupa9ao sistemica
que acompanha t~ a reflexao do a~ A arte aparece como urn
fen6meno humano, que decorre da rela9ao_direta ou mediata do

- ~~~-lIomem com urn cosmo fisico, social e cultural, onde se cons-
troem e se multiplicam variedades de facetas e nuan9as que caraCf
terizam 0 homem como integrante