A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
21 pág.
PESSOAS NATURAIS exercícios

Pré-visualização | Página 2 de 8

exprimir, mesmo que temporariamente, sua 
vontade. 
 
39. (CESPE- Analista Judiciário – TRE-GO/2008) O indivíduo que dissipa seu 
patrimônio torna-se absolutamente incapaz de exercer qualquer atos da vida civil. 
 
40. (CESPE – servidor nível IV – Direito – MC/2008) Nos termos da legislação em 
vigor, os excepcionais, sem desenvolvimento mental completo, são absolutamente 
incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil. 
 
 Prof. Flávio Louzada 
41. (CESPE – Oficial de diligência – MPE-RR/2008) A capacidade relativa da pessoa 
natural começa aos dezesseis anos, quando pode praticar os atos da vida civil, 
assistida por seu representante legal. 
 
42. (CESPE – Oficial de diligência – MPE-RR/2008) Um jovem com dezesseis anos de 
idade deverá ser assistido — por exemplo, por sua mãe — para propor ação judicial. 
 
43. (CESPE – Analista Judiciário – TRT-ES/2009) Os maiores de dezesseis anos e 
menores de dezoito anos de idade são destituídos da personalidade jurídica, razão 
pela qual são absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil. 
 
44. (CESPE – Analista jurídico – FINEP-MCT/2009) Os excepcionais, sem 
desenvolvimento mental completo, são considerados pessoas absolutamente 
incapazes. 
 
45. (CESPE - Analista judiciário - TJ-ES/2011) A pessoa que, em razão de 
enfermidade, não tenha o necessário discernimento para a prática de atos da vida civil 
deve ser considerada absolutamente incapaz de exercer pessoalmente os atos da vida 
civil. 
 
46. (CESPE – Delegado – SESP-AC/2007) O suprimento da incapacidade absoluta da 
pessoa natural é feito por meio da representação, sendo nulo o ato jurídico praticado 
pela pessoa absolutamente incapaz sem a participação de seu representante legal. 
 
47. (CESPE – Técnico judiciário – STJ/2004) O alcoólatra e o toxicômano são 
totalmente incapazes de praticar atos negociais. 
 
48. (CESPE – Especialista – ANAC/2009) Segundo o Código Civil, são relativamente 
incapazes os menores de dezesseis anos e os que, mesmo por causa transitória, não 
puderem exprimir sua vontade. 
 
49. (CESPE – Analista judiciário – TRT-RN/2007) De acordo com o que dispõe o 
Código Civil, um indivíduo maior de 18 anos de idade que faz uso eventual de 
entorpecente é considerado relativamente incapaz. 
 
50. (CESPE – Promotor – MPE-ES/2010) É anulável ato praticado por usuário 
eventual de substância entorpecente, se, por efeito transitório dessas substâncias, 
ficar impedido de exprimir plenamente sua vontade. 
 
51. (CESPE/Analista – TRE–GO/2008) O indivíduo que dissipa seu patrimônio torna-
se absolutamente incapaz de exercer qualquer ato da vida civil. 
 
52. (CESPE – Estagiário – DPE-SP/2008) De acordo com o Código Civil brasileiro 
atual, são absolutamente incapazes os menores de 18 anos. 
 
53. (CESPE – Procurador – PGRR/2004) São absolutamente incapazes de exercer 
pessoalmente os atos da vida civil as pessoas que, mesmo por causa transitória, não 
puderem exprimir sua vontade. 
 
54. (CESPE – Procurador – PGRR/2004) São relativamente incapazes para certos 
atos pessoas maiores de 16 anos e menores de 21 anos de idade. 
 
55. (CESPE – Estagiário – DPE-SP/2008) De acordo com o Código Civil brasileiro 
atual, são absolutamente incapazes os pródigos. 
 
 Prof. Flávio Louzada 
56. (CESPE – Estagiário – DPE-SP/2008) De acordo com o Código Civil brasileiro 
atual, são absolutamente incapazes os excepcionais, sem desenvolvimento mental 
completo. 
 
57. (CESPE – Estagiário – DPE-SP/2008) De acordo com o Código Civil brasileiro 
atual, são absolutamente incapazes os que, mesmo por causa transitória, não 
puderem exprimir sua vontade. 
 
58. (CESPE – Analista judiciário – TRE-MA /2009) A incapacidade relativa de uma das 
partes pode ser arguida pela outra como exceção pessoal. 
 
59. (CESPE – Exame de Ordem 1.2007 – OAB/2007) Representante legal é a pessoa 
munida de mandato, expresso ou tácito, outorgado pelo representado. 
 
60. (CESPE – Juiz de Direito – TJ-SE/2007) Entende-se por curador o representante 
do incapaz em razão da idade ou da pessoa incapaz por motivos diversos, como pela 
enfermidade ou deficiência mental, ou ainda impossibilidade transitória. 
 
61. (CESPE – Analista judiciário – TRF 1ª Região/2008) Antônia, esposa de Fernando, 
requereu ao juiz competente para tanto que este declarasse a morte presumida de seu 
marido, fundamentando seu pedido na única afirmação de que recebeu a notícia do 
desaparecimento daquele em naufrágio de embarcação pequena, ocorrido durante 
grave tempestade em alto-mar. Considerando essa situação hipotética, no caso, a 
consequência do provimento do pedido será a arrecadação de bens e nomeação de 
curador, após o que, com o decurso de um ano, será declarada a morte presumida de 
Fernando. 
 
62. (CESPE – Analista jurídico FINEP-MCT/2009) Pedro, seu filho Paulo, dez outras 
pessoas, o piloto e o copiloto viajavam de avião quando sofreram grave acidente 
aéreo. Após vinte dias, a equipe de resgate havia encontrado apenas 10 corpos, em 
grande parte, carbonizados, fato que dificultou a identificação, e encerrou as buscas. 
Nove corpos foram identificados e nenhum era de Pedro ou de Paulo. A perícia 
concluiu pela impossibilidade de haver sobrevivente. Considerando tal hipótese, o 
desaparecimento de Pedro e Paulo impõe preliminarmente a nomeação de curador 
para administrar os bens dos ausentes, se houver, devendo o juiz, de ofício, declarar 
ambos como ausentes e promover, em seguida a sucessão provisória. 
 
63. (CESPE – Analista de Controle Externo – TCU/2008) Os pais de Hoterlino, jovem 
de 19 anos de idade, faleceram em grave acidente automobilístico, herdando ele todos 
os bens e passando a residir com seus avós maternos. Tempos depois, necessitando 
saldar dívidas contraídas com cartão de crédito, fez, sozinho e de boa-fé, a venda de 
uma casa de praia a um casal de argentinos residentes na França. Nessa situação, 
essa venda é anulável, pois trata-se de negócio jurídico efetuado por indivíduo 
relativamente incapaz não assistido por seus representantes legais. 
 
64. (CESPE - Juiz - TJPB/2010) O menor relativamente incapaz pode aceitar mandato, 
independentemente da presença de assistente. 
 
65. (CESPE- Analista Judiciário – TRE-GO/2008) A pessoa maior de dezesseis e 
menor de dezoito anos poderá ser constituída mandatária. 
 
66. (CESPE – EXAME DE ORDEM 137º – OAB-SP/2008) A incapacidade relativa da 
pessoa natural não pode ser suprida. 
 
 Prof. Flávio Louzada 
67. (CESPE - Juiz Federal - TRF - 1ª Região/2009) A lei confere ao tutor o poder de 
emancipar, mediante instrumento público, o tutelado que tiver 16 anos de idade 
completos. 
 
68. (CESPE - Analista judiciário - TJ-ES/2011) Admite-se a outorga, por concessão 
dos pais, de capacidade civil a menor com dezesseis anos de idade completos, 
mediante instrumento público, e independentemente de homologação legal. 
 
69. (CESPE – Analista judiciário – STM/2011) O menor que for emancipado aos 
dezesseis anos de idade em razão de casamento civil e que se separar judicialmente 
aos dezessete anos retornará ao status de relativamente incapaz. 
 
70. (CESPE – Analista jurídico – FINEP-MCT/2009) A emancipação pela concessão 
dos pais ocorre mediante instrumento público, independentemente de homologação 
judicial. 
 
71. (CESPE – Advogado – CEHAP-PB/2009) Somente a pessoa natural com idade 
acima de 18 anos completos pode exercer a atividade de empresário. 
 
72. (CESPE – Promotor – MPE-AM/2007) A emancipação voluntária pode ser 
revogada por sentença judicial, desde que os pais comprovem que o filho, por fato 
superveniente, tornou-se incapaz de administrar a si e aos seus bens. Nesse caso, o 
emancipado retorna à anterior situação de incapacidade civil, e os pais podem ser 
responsabilizados solidariamente pelos danos causados pelo filho que emanciparam. 
 
73. (CESPE – Exame de Ordem 1.2007