A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
cárie

Pré-visualização | Página 1 de 1

08/06/2014 
1 
MICROBIOLOGIA DA CÁRIE 
DENTÁRIA 
Ministério da Educação 
Universidade Federal de Pelotas 
Instituto de Biologia 
Disciplina de Microbiologia e Imunologia 
Profª Daniela I. B. Pereira 
 
Conceito 
 Doença infecciosa e transmissível aos tecidos calcificados 
dos dentes, resultando em uma perda localizada dos 
tecidos duros 
 
 
Cárie como doença 
 
 Endógena 
 Etiologia microbiana e 
Multifatorial 
Dinâmica da formação da lesão de cárie 
 Superfície do esmalte dentário apresenta 
comportamento dinâmico com o meio ambiente bucal 
 
 pH superior a 5,5 – Tendência do dente em ganhar 
cálcio e fosfato do meio bucal 
 
 pH abaixo de 5,5 – Tendência do dente em perder 
cálcio e fosfato para o meio bucal. 
DESMINERALIZAÇÃO 
 
 pH abaixo de 5,5 considerado crítico!!!! 
CARBOIDRATOS 
FERMENTÁVEIS 
ADERÊNCIA AO 
BIOFILME 
REMINERALIZAÇÃO 
pH 
DESMINERALIZAÇÃO 
o Requisito 1: Atividade acidogênica intensa 
 metabolismo predominantemente sacarolítico = de ác lático 
o Requisito 2: Aderência ou Retenção a Superfície Dental 
(BIOFILME DENTAL) 
 
o Requisito 3: Produção de polissacarídeos de reserva, 
principalmente de glucano insolúvel 
o Requisito 4: Acidofilia ou aciduricidade 
 - Streptococcus mutans (pH 4,0) 
 - Lactobacillus (pH 3,0) 
Requisitos Bacterianos de Cariogenicidade 
08/06/2014 
2 
Microrganismos Cariogênicos 
 Streptococcus 
 
 Lactobacillus 
 
 Actinomyces 
Streptococcus 
 Cocos gram positivos, em correntes, catalase 
negativa 
 Streptococcus grupo β hemolítico piogênico 
 Streptococcus grupo viridans α (alfa) hemolíticos 
Estreptococos Grupo Mutans - EGM 
 Streptococcus mutans: 
 Principal espécie em biofilmes 
 Etiopatologia da cárie 
 Streptococcus sobrinus: 
 Microbiota bucal 
 Provável envolvimento na etiologia da 
cárie 
 
Capacidade cariogênica se deve: 
 
•Capacidade de colonizar o dente: colonizam superfícies que 
não descamam (dentes, acrílico); 
•Capacidade de formar polissacarídeos extracelulares a 
partir da sacarose; facilitam a retenção e agregação dos 
micro-organismos a superfície do dente; 
 
Estreptococos Grupo Mutans – EGM 
S. mutans e S. sobrinus 
 Capacidade acidogênica: degradação da sacarose e 
produção de grande quantidade de ácido lático que leva 
à desmineralização do esmalte 
 
 Capacidade acidúrica: permanecem viáveis por longos 
períodos em pH ácido (3,8), capacidade de continuar 
metabolizando a sacarose. 
 
Estreptococos Grupo Mutans – EGM 
S. mutans e S. sobrinus 
08/06/2014 
3 
Metabolismo da Sacarose pelo S. mutans 
Sacarose 
Glicose Frutose 
Dextrana 
 solúvel 
Mutana 
 insolúvel 
 > aderência 
Amilopectina 
 glicogênio 
PEC 
PIC 
Ácido Lático 
Grupo Salivarus: 
Streptococcus salivarius 
 Habitat natural é o dorso da língua 
 Produzem Levana – PEC (frutose da sacarose) 
 Estabelece-se muito cedo na boca de recém-nascidos 
 Uma das primeiras colonizadoras na formação do 
biofilme 
 Baixo potencial cariogênico 
Grupo mitis: 
 Streptococcus sanguis 
 Colonizam os dentes em grande número 
 Consistentemente isolado de biofilmes dentários 
 Baixo potencial cariogênico 
 Produz polissacarídeo extracelular glicano 
 Não toleram pH ácido por muito tempo 
 Cáries ocorrem principalmente em sulcos 
 Envolvido em 50% dos casos de endocardites de 
válvulas humanas 
Lactobacillus 
• Representam 1% da microbiota bucal 
• L. casei (biofilme dentário e dentina cariada) 
• L. fermentum 
• L. acidophilus (saliva) 
• L. salivarius 
• L. plantarum 
• L. cellobiosus 
• L. brevis 
• L. buchinerii 
 
 
Lactobacillus 
 Bastonetes Gram + 
 Anaeróbios facultativos 
 0,01% no biofilme 
 Considerados agentes progressores da cárie, ou seja, a 
cárie não evolui sem a presença deles 
 Diretamente correlacionados com a alta e frequente 
ingestão de carboidratos 
 Contagem pode ser utilizada p/ avaliação do risco de 
carie como p/ avaliar o efeito da alterações dietéticas 
 
 
08/06/2014 
4 
 Actinomyces viscosus 
 Actinomyces naeslundii 
 Actinomyces adontyticus 
 Actinomyces israelli 
Actinomyces Actinomyces 
 Bactérias Gram + 
 Polimórficas (bacilos curvos – cocobacilos) 
 Anaeróbios 
 Imóveis 
 Fermentam glicose, produzindo ácido lático 
 Envolvidos em cáries de raíz e doença periodontal 
 
Bactérias e os Tipos de Cáries 
Tipos de cáries Bactérias isoladas Significado nas 
cáries 
Sulcos e Fissuras Streptococcus mutans +++ 
S. sanguis + 
S. mitis - 
Lactobacillus +++ 
Actinomyces ++ 
Superfície Lisa S. mutans +++ 
S. salivarius + 
Cáries de Dentina Lactobacillus +++ 
A. naeslundii +++ 
A. viscosus +++ 
S. mutans ++ 
Cáries de Raízes A. naeslundii +++ 
A. viscosus +++ 
Bacilos filamentosos +++ 
Imunologia da 
cárie dentária 
 Mecanismos inespecíficos da cavidade 
bucal: 
 Saliva (substâncias antimicrobianas: lisozima, 
lactoperoxidase, lactoferrina, mucinas, ...) 
 Fluído gengival (fagócitos, componentes do 
complemento) 
 Mecanismos específicos da cavidade 
bucal: 
 Saliva e Fluído gengival: IgAs, IgG e IgM 
 
08/06/2014 
5