Apostila Portugues Instrumental
45 pág.

Apostila Portugues Instrumental


DisciplinaPortuguês Instrumental I560 materiais2.585 seguidores
Pré-visualização12 páginas
Caminho pelo qual se atinge um objetivo. 2. Programa que regula previamente uma série de operações que se devem realizar, apontando erros evitáveis em vista de um resultado determinado (esperado). 4. Modo de proceder; maneira de agir; meio.
No sentido literal, metodologia é a ciência integrada dos métodos. O método, é o caminho racional do espírito para descobrir a verdade ou resolver um problema.
Técnica é o procedimento ou o conjunto de procedimentos que têm como objetivo obter um determinado resultado, seja no campo da Ciência, da Tecnologia, das Artes ou em outra atividade.
Estes procedimentos não excluem a criatividade como fator importante da técnica. como os conhecimentos técnicos e a capacidade de improvisação. A técnica não é privativa do homem, pois também se manifesta na atividade de todo ser vivo e responde a uma necessidade de sobrevivência. No animal, a técnica é característica de cada espécie. No ser humano, a técnica surge de sua relação com o meio e se caracteriza por ser consciente, reflexiva, inventiva e fundamentalmente individual. O indivíduo a aprende e a faz progredir. Só os humanos são capazes de construir, com a imaginação, algo que logo podem concretizar na realidade. Campos de ação: o campo da técnica e da Tecnologia responde ao interesse e à vontade do homem de transformar seu ambiente, buscando novas e melhores formas de satisfazer suas necessidades ou desejos. Esta atividade humana e seu produto resultante é o que chamamos técnica e Tecnologia, segundo o caso.
A palavra se origina do grego techné cuja tradução é arte. A técnica, portanto, confundia-se com a arte, tendo sido separada desta ao longo dos tempos.
CONHECIMENTO CIENTÍFICO
É um produto resultante da investigação científica.Surge da necessidade de: encontrar soluções para problemas de ordem prática da vida diária (senso comum) do desejo de fornecer explicações sistemáticas que possam ser testadas e criticadas através de provas empíricas e da discussão intersubjetiva.
MÉTODO CIENTÍFICO
\u201cO Método Científico é um conjunto de regras básicas para um cientista desenvolver uma experiência controlada para o bem da ciência.\u201d
A investigação científica depende de um \u201cconjunto de procedimentos intelectuais e técnicos\u201d (Gil, 1999, p.26) para que seus objetivos sejam atingidos: os métodos científicos.
Método científico é o conjunto de processos ou operações mentais que se devem empregar na investigação. É a linha de raciocínio adotada no processo de pesquisa. Os métodos que fornecem as bases lógicas à investigação são: dedutivo, indutivo,
hipotético-dedutivo, dialético e fenomenológico (GIL, 1999; LAKATOS; MARCONI, 1993).
De forma breve veja a seguir em que bases lógicas estão pautados tais métodos.
MÉTODO DEDUTIVO
Método proposto pelos racionalistas Descartes, Spinoza e Leibniz que pressupõe que só a razão é capaz de levar ao conhecimento verdadeiro. O raciocínio dedutivo tem o objetivo de explicar o conteúdo das premissas. Por intermédio de uma cadeia de raciocínio em ordem descendente, de análise do geral para o particular, chega a uma conclusão. Usa o silogismo, construção lógica para, a partir de duas premissas, retirar uma terceira logicamente decorrente das duas primeiras, denominada de conclusão (GIL, 1999; LAKATOS; MARCONI,1993). 
Veja um clássico exemplo de raciocínio dedutivo:
Exemplo:
Todo homem é mortal. ...........................................(premissa maior)
Pedro é homem. .....................................................(premissa menor)
Logo, Pedro é mortal. .............................................(conclusão)
MÉTODO INDUTIVO
Método proposto pelos empiristas Bacon, Hobbes, Locke e Hume. Considera que o conhecimento é fundamentado na experiência, não levando em conta princípios preestabelecidos. No raciocínio indutivo a generalização deriva de observações de casos da realidade concreta. As constatações particulares levam à elaboração de generalizações (GIL, 1999; LAKATOS; MARCONI, 1993). Veja um clássico exemplo de raciocínio indutivo:
Exemplo:
Antônio é mortal.
João é mortal.
Paulo é mortal. (...)
Carlos é mortal.
Ora, Antônio, João, Paulo... e Carlos são homens.
Logo, (todos) os homens são mortais.
MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO
Proposto por Popper, consiste na adoção da seguinte linha de raciocínio: \u201cquando os conhecimentos disponíveis sobre determinado assunto são insuficientes para a explicação de um fenômeno, surge o problema. Para tentar explicar a dificuldades expressas no problema, são formuladas conjecturas ou hipóteses. Das hipóteses formuladas, deduzem-se conseqüências que deverão ser testadas ou falseadas. Falsear significa tornar falsas as conseqüências deduzidas das hipóteses. Enquanto no método dedutivo se procura a todo custo confirmar a hipótese, no método hipótetico-dedutivo, ao contrário, procuram-se evidências empíricas para derrubá-la\u201d (GIL, 1999, p.30).
MÉTODO DIALÉTICO
Fundamenta-se na dialética proposta por Hegel, na qual as contradições se transcendem dando origem a novas contradições que passam a requerer solução. É um método de interpretação dinâmica e totalizante da realidade. Considera que os fatos não podem ser considerados fora de um contexto social, político, econômico, etc. Empregado em pesquisa qualitativa (GIL, 1999; LAKATOS; MARCONI, 1993).
MÉTODO FENOMENOLÓGICO
Preconizado por Husserl, o método fenomenológico não é dedutivo nem indutivo. Preocupa-se com a descrição direta da experiência tal como ela é. A realidade é construída socialmente e entendida como o compreendido, o interpretado, o comunicado. Então, a realidade não é única: existem tantas quantas forem as suas interpretações e comunicações. O sujeito/ ator é reconhecidamente importante no processo de construção do conhecimento (GIL, 1999; TRIVIÑOS, 1992). Empregado em pesquisa qualitativa.
5. CIÊNCIA PURA E APLICADA
1. Formais: Ciências Puras: 
Os objetos das ciências formais ou puras são os ideais.
Seu método é a dedução e, seu critério de verdade é a consistência ou não de seus enunciados.
Todos os enunciados são analíticos. Teoremas
Sociais: Sociologia, Psicologia, Antropologia, Comunicação, Administração, Economia etc.
Naturais: Física (Geologia, Astronomia, Engenharia, Informática, Etc.); Química (Bioquímica, Farmácia, Físico-Química etc.); Biologia (Medicina, Enfermagem, Botânica, Zoologia, Veterinária, Agricultura, Ecologia etc.).
2. Factuais: Ciências Aplicadas: Ciências Factuais ou Aplicadas
Os objetos das ciências factuais ou aplicadas são materiais, seu método é a observação e a experimentação.
O enunciado é predominantemente a síntese .
Filosofia Matemática
6. BASES DO RACIOCÍNIO CIENTÍFICO
HIPÓTESE: 
Estabelece uma relação provisória de causa e efeito entre dois fenômenos até que os fatos ou a experimentação venham contradizer ou afirmar. A PESQUISA enuncia e verifica as hipóteses.
As hipóteses têm por função:
\udbc0\udcb9 teórica: orientar o pesquisador na direção da causa provável ou da lei que se procura;
\udbc0\udcb9 prática: coordenar e completar os resultados já obtidos, agrupando-os num conjunto completo de fatos, a fim de facilitar a sua inteligibilidade.
A hipótese deve ser:
\udbc0\udcb9 plausível : indica situação possível de ser aceita;
\udbc0\udcb9 consistente: indica se o enunciado está ou não em contradição com a teoria ou com o conhecimento científico
\udbc0\udcb9 específica: identifica o que deve ser observado
\udbc0\udcb9 verificável: pelas técnicas conhecidas
\udbc0\udcb9 clara; ajuda compreender os fenômenos
\udbc0\udcb9 simples: ter somente termos necessários à compreensão
\udbc0\udcb9 explicativa:explica o problema enunciado.
As hipóteses são obtidas a partir da:
\udbc0\udcb9 Dedução :de resultados já conhecidos (da experiência);
\udbc0\udcb9 Indução:se a suposta causa do fenômeno é um dos seus antecedentes, que parece apresentar todos os caracteres de antecedente causal;
\udbc0\udcb9 Analogia:quando são inspiradas por certas semelhanças entre os fenômenos um que se