Apostila Portugues Instrumental
45 pág.

Apostila Portugues Instrumental


DisciplinaPortuguês Instrumental I560 materiais2.588 seguidores
Pré-visualização12 páginas
É a apresentação da idéia central do trabalho, tendo-se o cuidado de evitar termos equívocos e inexpressivos. É um desenvolvimento da definição clara e exata do assunto a ser desenvolvido.
O pesquisador deve contextualizar de forma sucinta o tema de sua pesquisa. Contextualizar significa abordar o tema de forma a identificar a situação ou o contexto no qual o problema a seguir será inserido. Essa é uma forma de introduzir o leitor no tema em que se encontra o problema, permitindo uma visualização situacional da questão (OLIVEIRA, 2002, p. 169).
 A escolha de um problema, para Rudio (apud MINAYO, 1999), merece indagações:
 Trata-se de um problema original e relevante?
 Ainda que seja \u201cinteressante\u201d, é adequado para mim?
 Tenho hoje possibilidades reais para executar tal estudo?
 Existem recursos financeiros para o estudo?
 Há tempo suficiente para investigar tal questão?
 O problema, geralmente, é feito sob a forma de pergunta(s). Assim, torna-se fator primordial que haja possibilidade de responder as perguntas ao longo da pesquisa. Da mesma forma, aconselha-se a não fazer muitas perguntas, para não incorrer no erro de não serem apresentadas as devidas respostas.
Exemplos[1]:
	O direito sobre o corpo é de natureza pessoal ou patrimonial? Caso seja patrimonial, trata-se de propriedade individual ou coletiva? (VENTURA, 2002, p. 74).
	Quais as causas determinantes para o rompimento do sigilo bancário de agentes públicos? (OLIVEIRA, 2002, p. 218).
[1] Antes de fazer a(s) pergunta(s) de pesquisa, é fundamental contextualizar o tema em questão.
FASES DA PESQUISA
1. fase decisória: referente à escolha do tema, à definição e à delimitação do problema de pesquisa;
2. fase construtiva: referente à construção de um plano de pesquisa e à execução da pesquisa propriamente dita;
3. fase redacional: referente à análise dos dados e informações obtidas na fase construtiva. É a organização das idéias de forma sistematizada visando à elaboração do relatório final.
A apresentação do relatório de pesquisa deverá obedecer às formalidades requeridas pela Academia.
\ufffd
8. REDAÇÃO DE TEXTOS CIENTÍFICOS 
Redação científica é um tipo especializado de escrita, assim como a redação de novelas, poesia, peças, artigos de jornais, memorandos, relatórios e cartas de amor.
Redação científica inclui artigos científicos, relatórios, teses, protocolos de laboratórios, livros texto e monografias.
Todos os tipos de redação científica, embora apresentem diferenças em termos de objetivos, estrutura e uso da linguagem, tem aspectos comuns.
A redação científica deve ser:
Direcionada aos profissionais que possuam um nível razoável de conhecimento sobre o tópico.
Lógica, isto é, todos os principais passos dedutivos devem ser identificáveis. 
Direta, sem hipérboles. 
Clara, sem ambigüidades.
Redação científica de boa qualidade e efetividade pode ser feita em qualquer língua.
Alguns aspectos da redação científica mudam com o tempo, de acordo com o consenso dos editores científicos. A tendência atual é a concisão, devido aos custos de produção de uma revista.
Leia um trabalho de sua área publicado há 20 ou 30 anos atrás e observe a diferença: não somente no espaço disponível para o desenvolvimento de um idéia, mas também na quantidade de informação dada.
A redação científica moderna é compacta, direta e, infelizmente, algumas vezes\u2026 tediosa, devido a estas duas características. 
a. Para iniciantes, redigir textos científicos de boa qualidade é difícil, mesmo utilizando sua própria língua.
b. Requer treinamento para escrever e treinamento para ler.
A Escrita Do texto científico tem relação com EXATIDÃO 
A atividade científica se desenvolve a partir de PROBLEMAS, o texto científico EXPÕE, ANALISA, DISCUTE, COMPARA fatos, dados, hipóteses.
O cientista é um \u201cescriba\u201d
Não há ciência sem escrita 	a escrita é um instrumento, por excelência, da produção e circulação do conhecimento .
Por que o texto científico tem que ser PADRONIZADO? 
Transmissão Veiculação do Conhecimento !
Ciência 	 trabalha com verdades provisórias.
A ciência não se produz sobre o que não se escreve sobre ela.
ELEMENTOS CHAVE DO TEXTO CIENTÍFICO 
TEMÁTICA
Gira sempre em torno de um problema, de uma indagação. Não é objeto de reflexão científica aquilo que não levanta dúvidas e tampouco aquilo que concerne ao senso\u2013comum. O tema da redação científica tem que obedecer ao critério de relevância!
FORMA DE EXPOSIÇÃO 
Organização em partes, seções, capítulos... Estratégias discursivas: perguntas retóricas, contra-argumentações que se antecipam a eventuais questionamentos do leitor.
OBJETIVOS: todo texto científico tem um objetivo, expresso ou não de forma explicita (no corpo do texto ou sob a forma de itens destacados do corpo do texto). O objetivo é o lugar em que se pede para chegar com a reflexão.
d) ARGUMENTAÇÃO: um dos pilares de sustentação da escrita cientifíca 	devo levar meu leitor a acreditar na legitimidade de minhas hipóteses. As citações e a referência do trabalho de outros autores fazem parte da estratégia argumentativa.
e) CITAÇÕES E REFERÊNCIAS: como e porque inseri-las no texto?
Segundo Eco (1983) são duas as razões para inserir citações 
cita-se um texto a ser depois interpretado;
cita-se um texto para apoiar nossa interpretação.
Estar atento para situações irrelevantes e situações discordantes! Não há necessidade de citar um autor para dizer o óbvio.
f) COERÊNCIA INTERNA DOS ARGUMENTOS: Sentido que se expressa no texto de acordo com as relações que se vais estabelecendo.
Coerência interna = trajeto do ponto inicial ao final sem a perda de elementos.
g) ADEQUAÇÃO DA LINGUAGEM: sempre que escrevemos, temos um leitor em mente:
1.Para quem escrevo o texto?
2.Qual é o meu público alvo?
Definido o receptor, sintoniza-se a linguagem 	grau mais ou menos formal de interlocução, uso de termos e expressões técnicas, etc.
h) NORMAS TÉCNICAS (ABNT, série documentação): sempre sujeitos a adaptações locais.
LINGUAGEM ADEQUADA AO DISCURSO CIENTÍFICO:
Evitar vícios de linguagem (repetições também, então, por isso, assim)
Evitar o uso da 1ª pessoa do singular, optando-se pela 1ª do plural (nós) ou pelo modo impessoal (descobriu \u2013se que) 
Não utilizar termos e expressões coloquiais (decoreba, não serve pra nada, besteira, mentira).
Estar atento para generalizações, tais como: \u201ctodos os estudos negam que...\u201d, \u201cninguém acredita que...\u201d \u201cé impossível encontrar x ...\u201d Dê preferência a modalizações. 
 
O texto científico tem EXIGE diplomacia!
PARA ESCREVER BEM....
Primeiro passo: estude a estrutura e use a linguagem dos trabalhos publicados no periódico para o qual você pretende submeter seu trabalho. Se possível, identifique um ou mais trabalhos similares àquele que você pretende escrever.
Segundo passo: seus resultados são a parte central do seu trabalho. Todas as outras partes devem complementá-los. Porque os resultados diferem de trabalho a trabalho, não existe uma fórmula ou soluções para todos as dificuldades que atendam à construção de um trabalho científico. As variáveis são:
Área de pesquisa
Periódico
Questões específicas
Abordagem experimental
Nível de documentação exigida
Terceiro passo: Inicie com um esquema, fazenda uma lista das principais idéias e fatos a serem incluídos em cada seção. Use a seguinte ordem:
RESULTADOS
MÉTODOS
DISCUSSÃO
INTRODUÇÃO
Quarto passo: Faça um levantamento da literatura no sentido de atualizar sua bibliografia e depois ajuste seu esquema. As coisas podem ter mudado desde que você preparou seu projeto original, ou você pode descobrir que seus resultados já foram publicados por Louis Pasteur! Se necessário,