A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
Aula 1 a 5 - Fundamentos da Economia.dot

Pré-visualização | Página 1 de 6

Aula 1: Objeto e Conceitos Básicos da Ciência Econômica
Objeto
É comum, em nossa existência, sermos afetados pelas condições econômicas da sociedade  em que vivemos. 
As roupas que vestimos, a comida que comemos, a escola que frequentamos, o salário que recebemos, os problemas do desemprego e da inflação são todos fatores ligados diretamente às questões econômicas.
Adicionalmente, o homem moderno é bombardeado por uma série de questões para as quais nem sempre ele encontra resposta:
Por que existem umas poucas economias  ditas desenvolvidas, enquanto em um elevado número de países as condições de vida ainda são bastante precárias?
Por que algumas poucas pessoas são ricas, enquanto muitas enfrentam o problema de não ter moradia e alimentação adequada?
Por que algumas pessoas recebem altos salários, enquanto outras ganham apenas o suficiente para a sua sobrevivência?
Por que existe tanto desemprego?
Por que em muitos países os preços sobem persistentemente, apesar das promessas do governo de que a inflação vai baixar?
Por que tantos países têm uma dívida externa tão elevada e parecem incapazes de pagá-la?
O estudo da economia objetiva a compreensão de todos esses problemas, fornecendo respostas a essas e a diversas outras questões. 
A Ciência Econômica pode nos proporcionar  um melhor entendimento de como funciona nossa economia e o que pode ser feito para prevenir, corrigir ou pelo menos aliviar problemas como a pobreza, o desemprego e a inflação.
Definição de Economia
Em geral, os principiantes querem uma definição de Economia. Existem diversas, como, por exemplo, a seguinte: 
“A Economia é o estudo da maneira pela qual a sociedade utiliza recursos produtivos escassos para produzir bens e serviços a fim de satisfazer as necessidades humanas.”
 Essa definição pode ser ilustrada pelo fluxograma abaixo:
Fatores de Produção Processos produtivos Produtos Necessidades Humanas
Fatores de Produção
Para satisfazer o maior número dessas necessidades, a sociedade conta com recursos como terra, mão de obra, máquinas, equipamentos, conhecimentos técnicos etc. Esses recursos, no entanto, são bastante limitados e, assim, nem todas as necessidades podem simultaneamente  ser satisfeitas.
 A escassez desses recursos, então, torna-se o problema fundamental de cada sociedade. Como resultado, a sociedade, através do instrumental fornecido pela Ciência Econômica (princípios, teorias, modelos) procura usar recursos escassos (fatores de produção) tão eficientemente quanto possível, a fim de produzir o máximo de bens e serviços que deseja. O campo de atuação da Economia seria, então, o estudo e a administração da escassez dos fatores de produção. 
 Conclui-se, portanto, que se não houvesse escassez dos recursos, não haveria necessidade de se estudar Economia. A escassez dos fatores de produção e a necessidade de utilizá-los da melhor maneira possível implica que no processo produtivo toda decisão econômica será, sempre, uma “escolha decorrente de um juízo de valor”.
Processo produtivo
 O conceito de processo produtivo explica como os fatores de produção são combinados,  em quantidade e qualidade,  na elaboração dos produtos. 
Não é difícil perceber que cada bem ou serviço produzido possui seu próprio processo produtivo. Tanto nos casos mais elementares de produção, como nos mais sofisticados, o processo produtivo existe e é bem definido. 
Teoricamente, supõe-se que os indivíduos deverão escolher, sempre,  as técnicas mais eficientes para serem empregadas.
Produto
 A resultante do processo produtivo é o produto que pode ser um bem ou um serviço. Para que fique melhor  entendida a diferença entre um e outro, vamos usar os conceitos de tangível e intangível.
Entende-se por tangível tudo aquilo que tem forma ou que sej palpável. No nosso caso, os bens, como um livro ou uma geladeira, enquadram-se perfeitamente nesse conceito.
Por intangível, entende-se o oposto, ou seja, o que não possui forma e tampouco pode ser apalpado. Os serviços, como o atendimento médico ou os ensinamentos de uma professora, são alguns exemplos dessa alternativa.
Necessidades humanas
 Como já foi dito, o objetivo principal da atividade econômica é o de atender as necessidades humanas.  Hoje, pelos novos conceitos e realidades, pode-se ampliar esse conceito para as necessidades do planeta (sustentabilidade).
Um ponto importante a registrar é o fato de que as necessidades humanas são ilimitadas. De um modo geral, quando as necessidades básicas (alimentação, moradia, vestuário) são atendidas, o indivíduo passa a ter outras necessidades como educação, lazer, melhoria do seu padrão de vida (melhor casa, melhores roupas, automóvel etc.).  Uma vez atendidas plenamente as necessidades ditas materiais, o indivíduo passa a sentir outro tipo de necessidade: a estima dos amigos, o reconhecimento e aceitação do grupo social que frequenta, necessidade de status e assim por diante.  
Focando apenas em nós, seres humanos, as necessidades humanas representam os desejos de consumo da sociedade. Observa-se que são: Ilimitadas e Diversificadas
Conceitos básicos da Ciência Econômica
É fato que toda ciência possui sua própria terminologia, e a Ciência Econômica não é diferente.
Por esse motivo, para que você já possa ir se familiarizando e conseguindo mais facilidade nas leituras dos textos, apresentamos, a seguir, alguns dos conceitos mais frequentes encontrados na literatura econômica. Acreditamos que o esquecimento de alguns não invalida a tentativa de ajuda. São eles:
Fatores de produção:
São os meios disponíveis para se gerar os produtos que a sociedade necessita. Sua principal característica é a escassez;
Custo de oportunidade de um fator de produção:
É sua melhor utilização no processo produtivo; 
Bens livres:
São aqueles que existem em relativa abundância e, por isso, não caracterizam um problema econômico (a água do mar, o ar, etc.);
Bens econômicos:
São os bens que existem com uma relativa escassez, não suficientes para todos. Como tal, têm um valor (preço) de mercado;
Processo produtivo:
Vem a ser o processo de produção utilizado naquele produto que a sociedade deseja obter;
Produto:
É o que se obtém do processo produtivo. Subdivide-se em bens e serviços;
 Bens:
É a parte física ou tangível (palpável) do produto gerado na economia (pão, móveis, livros, roupas etc.);
Serviços:
Parte intangível (não palpável) do produto total da economia (educação, saúde, turismo, etc.);
Bens e serviços de consumo:
São os que resultam do processo produtivo destinado ao consumo (alimentos, lazer etc.);
Bens e serviços de capital ou de produção:
Destinam-se à produção de outros bens e serviços (máquinas, construções, equipamentos, etc.);
 Bens e serviços intermediários:
São aqueles que, depois de produzidos, retornam ao processo produtivo para produzir outros bens e serviço;
Curva de possibilidades de produção:
É uma figura gráfica, representada por uma curva,  que mostra as diversas combinações de produção  de uma economia quando todos os seus fatores de produção estão sendo utilizados, ou seja, quando não há desemprego dos fatores de produção. Serão, portanto, alternativas de produção máxima;
Agentes econômicos:
São definidos como sendo as famílias, as empresas e o governo;
 Sistema econômico:
É o modelo escolhido para administrar a economia (capitalismo, socialismo, etc.);
Demanda ou procura de um produto:
Representa as quantidades que se deseja comprar de um determinado produto, por unidade de tempo, aos vários níveis de preços possíveis;
 Oferta de um produto:
Representa as quantidades de um determinado produto que a empresa deseja produzir e vender, por unidade de tempo, aos vários níveis de preços possíveis;
Equilíbrio de mercado:
Uma situação de equilíbrio é aquela que uma vez alcançada, tende a ser mantida;
 Função de produção de um produto:
É a forma como os fatores de produção são combinados no processo produtivo;
 Exportações:
Consiste numa parte do que é produzido por um país