A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
56 pág.
Aula 7 Tintas

Pré-visualização | Página 1 de 3

AULA 7 – Tintas na construção civil
MATERIAIS DE 
CONSTRUÇÃO I
UNIVERSIDADE FEDERAL R. DO SEMI ÁRIDO
CAMPUS ANGICOS
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS 
CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL
Prof. Ma. Janaina Salustio
O que é uma tinta?
 É um material que se apresenta
na forma líquida e que, quando
aplicado, com ou sem diluição
sobre uma superfície, deve
resultar em um filme sólido,
contínuo, uniforme e aderente
após a secagem/cura.
Tem a função de revestir uma dada superfície com a
finalidade de tornar o seu aspecto mais agradável e
conferir proteção.
Quais as funções das tintas?
 Proteção da base
 > durabilidade
 corrosão nos metais
 lixiviação em argamassas
 madeiras...
 < permeabilidade
 à água
 Estética
 Higiene (limpeza)
 Funções especiais
 retardar chama
 Sinalização horizontal de
estradas, identificação
de tubulações
 Anti-corrosivas
Quando seca e curada, a tinta forma um filme sobre a superfície,
minimizando o seu contato com o meio ambiente devido à
formação de uma barreira ao ingresso de agentes agressivos ao
seu interior.
Risco: manifestações patológicas
Eficiência da pintura
• Qualidade da tinta;
• Tipo da tinta;
• Substrato;
• Aplicação.
Principais substratos de
aplicação das tintas
 Alvenaria;
 Gesso;
 Concreto;
 Substratos à base de cimento (argamassa);
 Metal;
 Madeira. 
O Brasil é um dos 5 maiores mercados mundiais para tintas. O
segmento da tinta imobiliária ou linha arquitetura representa cerca
de 77% do volume total produzido e 59% a 62% do faturamento!
Constituintes básicos das tintas
Nem sempre todos 
esses 
componentes 
estão 
simultaneamente 
presentes.
Ex: verniz (não 
contém 
pigmentos).
Pigmentos
Resina
 Solvente
 Aditivos
Resina (não volátil) – serve para aglutinar (unir) as partículas de
pigmentos e formar o filme. O veículo ou resina ou aglutinador
inclui óleos, látex e resinas naturais e sintéticas.
Principais funções:
 resistência ao intemperismo (raios UV, água, poluentes,etc.);
 propriedades mecânicas, como tração e elasticidade
 resistência química, como a alcalinidade da argamassa;
 aderência. 
 São obtidas pela indústria petroquímica. São na verdade
homopolímeros e copolímeros na forma de emulsões com
elevada durabilidade.
Resina
Propriedades da tinta como dureza, resistência à abrasão,
resistência aos álcalis e adesão são governadas basicamente
pela resina.
Quando a pintura é aplicada e seca, seu poder de aderência à
superfície deve-se à resina que, dependendo do tipo e
quantidade adicionada à formulação da tinta será fundamental
para dar resistência ou retenção de cor, brilho, flexibilidade ao
filme e, finalmente, durabilidade.
Deduz-se, portanto, que uma tinta com pouca ou nenhuma
resina terá uma performance deficiente e, por fim uma
durabilidade extremamente baixa.
A caiação é uma tinta que, essencialmente, não contém
resina.
Pigmentos – usados para dar cor, cobertura, e durabilidade
à tinta, por meio do seu poder de reflexão da luz. Podem ser
orgânicos ou inorgânicos, coloridos, brancos ou pretos e,
geralmente, constituídos por partículas extremamente finas,
com dimensões entre 0,1 μm e 5 μm. São praticamente
insolúveis no meio onde estão dispersos.
Orgânico: contém carbono. Usado para aplicações onde há necessidade 
de alto poder de tingimento e brilho. 
Inorgânico: contém dióxido de titânio, óxido de zinco, carbonato de 
cálcio, etc. Usado onde há necessidade de elevada opacidade.
Existe também os
pigmentos anticorrosivos
(ex: zarcão – que é tóxico
por conter chumbo) e as
cargas. Estes últimos,
apresentam custo bem
inferior aos pigmentos e
servem para dar
principalmente, resistência
mecânica, no entanto
apresentam baixo poder
de cobertura.
E
x
e
m
p
lo
 d
e
 c
o
re
s
 d
e
 tin
ta
s
Pigmentos – a fração volumétrica de pigmentos da tinta,
denominado PVC, é o fator que influi diretamente na
porosidade da pintura, resultando em diferenças na
permeabilidade, no grau de proteção ao substrato, na
aderência e no brilho. As tintas foscas possuem um elevado
volume de pigmentos, ao passo que uma tinta semibrilho
possui um volume baixo.
100*
VV
V
PVC
SP
P


 
Onde : VP = volume de pigmento + cargas 
VS = volume de sólidos no veículo (resina + aditivo) 
 
Solventes (volátil) – são adicionados às
tintas para torná-la mais fluida. Mantém a
resina e os pigmentos dissolvidos nele,
conferindo viscosidade adequada; influi na
secagem, na espessura e no aspecto
estético da pintura. O solvente mais
comum: aguarrás. Outros solventes:
gasolina especial e alcatrão de hulha.
É conveniente estocar as tintas na forma
de misturas de alta viscosidade e diluí-las
no momento da aplicação.
Materiais constituintes no solvente:
hidrocarbonetos, presentes na aguarrás;
os glicóis, acetatos, cetonas, etc.
 100 % volátil;
 Principais propriedades:
 Solvência: facilidade de dissolver óleos e resinas;
 Volatilidade: capacidade de evaporação. 
Solventes (volátil)
A solubilização da resina é
necessária para que haja um
melhor contato da tinta com o
substrato, favorecendo a
aderência.
A utilização de solventes
inadequados, que não tenham
poder de solvência sobre a
resina, pode causar problemas
nas tintas, como a coagulação
ou precipitação da resina,
perda de brilho, diminuição da
resistência à água.
Aditivos – substâncias que, adicionadas às tintas,
proporcionam características às mesmas ou melhorias nas
suas propriedades. Existe uma variedade enorme de aditivos
usados na indústria de tintas e vernizes. Os teores variam
entre 0,1 a 2%.
o Reológico
• mantém os pigmentos em 
suspensão, facilitando a 
aplicação
o Dispersantes
• auxiliam na produção da tinta, 
facilitando a diminuição da 
viscosidade do sistema
o Secantes
• aceleram a secagem 
o Biocida (resistência a 
microrganismos biológicos)
• fungicida e bactericidas
o Antibolhas
• Impedem formação de 
bolhas
Aditivos reológicos: comportamento de fluxo da
solução. O principal uso é a prevenção de
escorrimento em superfícies verticais.
Teste de escorrimento.
Composição básica de uma tinta
Composição básica de uma tinta
Processo de fabricação
 Pesagem das matérias primas: os insumos (resinas,
solventes, pigmentos, etc) são separados de acordo com a
quantidade determinada pela formulação, propriedades
requeridas da tinta e quantidade a ser produzida;
 Pré - mistura: os insumos são adicionados a um tanque
provido de agitação adequada. O conteúdo é agitado
durante um período de tempo pré-determinado a fim de se
conseguir uma relativa homogeneização.
Processo de fabricação
 Dispersão (moagem): o produto pré misturado é
encaminhado a moinhos onde ocorre a
dispersão/separação dos pigmentos e cargas da mistura.
Com a dispersão há uma otimização de cobertura e
tonalidade da tinta. Este processo é contínuo, o que
significa que há a transferência do produto de um tanque de
pré mistura para o tanque de completagem.
Processo de fabricação
 Completagem: é a etapa em que são adicionadas as
matérias primas restantes determinadas pela formulação,
como o restante das resinas, aditivos, solventes, etc.,
sempre sob agitação.
 Tingimento: Nesta fase são feitos os acertos finais para
que a tinta apresente os parâmetros desejados; assim é
feito o acerto de cor, de viscosidade, etc.
Processo de fabricação
 Filtração e envase: após a completagem e aprovação pela
equipe de controle de qualidade, a tinta