A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
91 pág.
3 a 5 anos orientações

Pré-visualização | Página 14 de 20

60 
 Coletivamente, apreciação das fotos do piquenique recuperando os 
momentos do grupo; 
 Produção de um texto contando aos pais a experiência das crianças; 
Exposição das fotos e do texto produzido por elas. 
 
SEQUÊNCIA DE ATIVIDADES: Brincadeiras 
Atendem a contextos diversos – brincadeiras do tempo da vovó, brincadeiras de 
rua, brincadeiras da semana, brincadeiras que queremos aprender, brincadeiras com 
bola, brincadeiras que mais gostamos etc. 
 
Sugestão 1: Brincadeiras favoritas 
 Na Roda de Conversa compartilhar com as crianças as brincadeiras que 
conhecem e quais brincadeiras mais gostam de brincar; 
 Esse momento da roda é apresentar a proposta para as crianças que 
selecionarão, em etapa posterior, uma lista de brincadeiras preferidas para 
serem colocadas na rotina para brincar e também para ler e escrever; 
 Elaboração, juntamente com as crianças, de uma lista com as cinco 
brincadeiras que mais gostam. As crianças ditam as brincadeiras, enquanto 
o professor escreve (professor escriba); 
 Exploração das brincadeiras escolhidas durante todas as etapas da 
sequência, inclusive brincando com variações; 
 Convidar algumas duplas de crianças para lerem a lista de brincadeiras com 
intervenções da professora problematizando sobre onde diz pular corda, por 
exemplo, ou que as duplas encontrem na lista qual é a(s) brincadeira(s) do 
dia colocando em jogo suas próprias estratégias para lerem por si mesmas; 
 Desenhos das brincadeiras que mais gostam. Propor que as crianças façam 
desenhos, em duplas, das brincadeiras da lista escrita no cartaz, sendo que 
metade dos desenhos comporá um grande painel e a outra metade dos 
desenhos, um fichário de brincadeiras, onde na frente terá a ilustração das 
crianças e no verso, as regras ensinando como se brinca. Esses desenhos 
serão utilizados nas etapas posteriores para algumas situações de leitura e 
escrita; 
 
PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO 
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 
61 
 Confecção do painel - colagem dos desenhos das crianças no papel pardo; 
 Na roda, a professora conversa com as crianças comunicando que tem em 
mãos as tarjetas com os nomes das brincadeiras que eles desenharam. 
Nesse momento, a professora lê o que está escrito nas tarjetas sem mostrar 
para as crianças e, na sequência, as organiza uma embaixo da outra como 
se fosse uma lista. Em seguida, perguntar às crianças, por exemplo, onde 
diz “pular corda”. As crianças vão ler justificando suas escolhas. Caso uma 
criança aponte “pé de lata” no lugar de “pular corda” e justifica com o seguinte 
argumento “é porque começa com p”, a professora problematiza com os 
demais, qual é qual e pede que as crianças justifiquem levantando outras 
pistas além da letra inicial. Ao término da atividade de leitura, as crianças 
colam as tarjetas embaixo da ilustração do painel (a ideia não é associar a 
imagem da ilustração à tarjeta em outras atividades, mas sim dar um contexto 
à atividade de leitura das tarjetas – vão lê-las e depois utilizá-las como 
etiquetas para as ilustrações do painel; esse painel será exposto no pátio da 
escola para que outras crianças possam conhecer as brincadeiras preferidas 
da turma); 
 Escrita com letras móveis de uma das brincadeiras – em duplas (essa etapa 
pode ser dividida em dois momentos – primeiro dupla define qual brincadeira 
vai escrever, a professora anota em seus registros para fazer possíveis 
intervenções; em outra situação com letras móveis a professora diz qual é a 
brincadeira que a dupla vai escrever); 
 Pesquisa – as crianças receberão uma folha impressa com a lista das 
“brincadeiras que mais gostam” (as mesmas brincadeiras registradas no 
cartaz, porém em outra ordem para que as crianças busquem pistas para 
lerem por si mesmas) organizadas em uma planilha. A proposta é que 
pesquisem crianças de outras turmas perguntando se conhecem as 
brincadeiras daquela lista e quais mais gostam, fazendo a marcação na 
frente da brincadeira indicada pelo pesquisado. Em um segundo momento, 
as crianças levarão essa mesma lista de brincadeiras, com as palavras 
organizadas em outra ordem (novo desafio), para pesquisarem junto aos 
familiares. No primeiro momento, a professora poderá problematizar algumas 
questões com as crianças, pois a pesquisa acontecerá no ambiente escolar 
 
PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO 
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 
62 
e as crianças poderão trocar informações, socializar e justificar suas 
hipóteses nas duplas. Já no segundo momento, as crianças podem trabalhar 
individualmente com seus familiares; 
 Escrita da brincadeira que está faltando. Papel e lápis. Em duplas, as 
crianças receberão uma folha com a lista de “brincadeiras que mais gostam” 
faltando duas das brincadeiras (nesse momento o cartaz foi retirado da 
parede para que as crianças não se apoiem na ordem das palavras da lista, 
porém poderão consultar a lista de nomes da turma, o alfabeto da parede e 
outros portadores disponíveis na sala como pesquisa para suas escritas). A 
proposta é que as crianças leiam as brincadeiras da lista e escrevam as 
brincadeiras que estão faltando, onde um dita e outro escreve, depois vice-
versa; 
 As crianças ditarão o título da brincadeira que ilustraram à professora. Essa 
atividade deve acontecer coletivamente para que todos participem da 
situação do professor como escriba. A tarjeta será colada no verso da 
ilustração onde estarão as regras de como se brinca; 
 Em roda, apresentação de um ou mais livros de brincadeiras para que as 
crianças apreciem e escolham novas brincadeiras para aprenderem e 
comporem o fichário; 
 Organização desse material (fichário) com as brincadeiras conhecidas e as 
novas brincadeiras aprendidas ao longo do ano. Esse fichário ficará 
acessível para o uso diário na rotina da turma para escolherem do que brincar 
e também como fonte de consulta pelas crianças para outras escritas. 
 
Sugestão 2: Brincadeiras de rua 
 Na Roda de conversa, com as crianças, levantar os conhecimentos que têm 
sobre brincadeiras de rua. Levar imagens, fotos e obras de pintores, como 
por exemplo, Portinari que retrata brincadeiras em suas obras, para 
enriquecer a conversa; 
 A professora propõe às crianças para que pesquisem junto aos pais: se 
brincavam na rua, quais eram suas brincadeiras preferidas e o porquê de 
hoje em dia quase não se brincar mais na rua; 
 
PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO 
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 
63 
 Combinar com as crianças que brinquem em casa e depois contem para 
turma um pouco desta experiência, 
 Em uma roda de conversa compartilhar as experiências de brincar. 
Confeccionar, junto com as crianças, a escrita do nome das brincadeiras em 
tarjetas, atentando-se ao tamanho, forma e organizá-las em uma lista que 
ficará exposta na sala de aula; 
 Sempre que for oportuno e fizer sentido para as crianças, propor a leitura das 
palavras da lista fazendo as problematizações e incentivando as crianças a 
usarem suas estratégias de leitura; 
 Como estas brincadeiras farão parte da rotina das crianças durante algumas 
semanas, combinar com a turma as regras, construir outras; as crianças 
ditam e o professor escreve para confeccionar cartazes (um ou dois por 
semana) e afixá-los na sala; 
 Colocar em prática essas brincadeiras se possível, em uma praça próxima 
da escola ou no pátio; 
 Atividade de leitura - Qual é Qual - Levar tarjetas com os nomes das 
brincadeiras e informá-los sobre o que está escrito. Em roda propor que 
leiam, para que as tarjetas sejam colocadas nos respectivos cartazes com 
as regras elaboradas por eles, pois essas