Trabalho de Infraestruturas
20 pág.

Trabalho de Infraestruturas

Disciplina:Projeto de Infraestrutura de Vias de Transportes Terrestres9 materiais38 seguidores
Pré-visualização3 páginas
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI
CAMPUS ALTO PARAOPEBA
CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

	

	

	Projeto Geométrico Rodoviário
Ortofotocarta 40-3

	
	

Gabíria Rafaela Rodrigues Ferreira – 174150056
Guilherme Gregório Arêdes Vieira – 174100053
Jaqueline de Carvalho Caires – 114150026
Jéssica Cristina Chaves Ramalho – 164150058
Joseane Silva de Souza – 134150042
Larissa Regina Costa Silveira – 174100034
Rhully Cristian Vidal Rocha – 164150070

Ouro Branco - MG
Dezembro de 2017

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI
CAMPUS ALTO PARAOPEBA
CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

Projeto Geométrico Rodoviário
Ortofotocarta 40-3

Trabalho apresentado à disciplina de Infraestrutura de Vias Terrestres do curso de Engenharia Civil da UFSJ como parte da avaliação.

Professor: Paulo Roberto Borges

Ouro Branco - MG

Dezembro de 2017

Lista de Figuras
Figura 1 - Localização da Rodovia no Brasil	7
Figura 2 - Localização da Rodovia no Distrito Federal	7
Figura 3 - Ortofotocarta 40-3. (Fonte: Terracap Map (DF))	8
Figura 4 - Latossolo do Cerrado brasileiro. (Fonte: Código Florestal)	9
Figura 5 - Traçado (AutoCad Civil 3D)	12
Figura 6 - A x L	18

Lista de Tabelas
Tabela 1 - Volume de Tráfegos / Critério de Classificação de Rodovias. (Fonte: Manual de Implementações Básicas de Rodovias, DNIT,2010).	13
Tabela 2 – Largura do Acostamento Externo (m)	14
Tabela 3 – Síntese das Características dos Sistemas Funcionais das Rodovias. (Fonte: Departamento de Estradas de Rodagem).	15
Tabela 4 - Valores Máximos Admissíveis para os Coeficientes de Atrito Transversal f. (Fonte: FONTES, 1995).	16
Tabela 5 – Valores dos Raios Acima dos quais é Dispensável a Superlargura.	17

INTRODUÇÃO
	O planejamento de uma via surge a partir da necessidade de interligar dois ou mais locais. A construção de uma nova via trás influências políticas, ecológicas, sociais e econômicas sobre a região em que será implantada, sendo assim, faz-se necessário maximizar os benefícios e minimizar os impactos e os custos, buscando melhor atender aos interesses da população na escolha do traçado.
	A infraestrutura de vias terrestres inclui o projeto geométrico de rodovias, e este relatório têm como objetivo expor um traçado do modal rodoviário a fim de solucionar uma necessidade exposta pela Ortofotocarta 40-3.
	O traçado final proposto por este projeto foi elaborado tendo em vista a relação de custo-benefício da infraestrutura da via rodoviária, assim como, aspectos sociais e ambientais.
	Este relatório apresentará o traçado desenvolvido, além de justificar a decisão de utilizar o mesmo para a elaboração do projeto. A partir dessa escolha, será desenvolvida uma solução para a construção da rodovia.
	O projeto necessitará de cortes e aterros que também serão expostos e detalhados neste trabalho.

MAPA DE SITUAÇÃO
	Os pontos a serem ligados pela rodovia localizam-se no Distrito Federal.
	Os mapas de localização, representados pelas Figuras 1 e 2 mostram o detalhamento da área onde será executada a rodovia.

Figura 1 - Localização da Rodovia no Brasil

Figura 2 - Localização da Rodovia no Distrito Federal
FASES INICIAIS
	Realizou-se um estudo da região para a implantação da Rodovia, levando em consideração a topografia do local e a demanda de projeto, visando ter um aproveitamento adequado do terreno e o máximo desempenho da rodovia. Alguns fatores foram levados em consideração, tais como, estudos aerofotogramétricos, estudos geotécnicos, estudos topográficos, estudo da fauna e flora.
	Mediante a realização do estudo, obtiveram-se duas alternativas de traçado do trecho.
Estudos Aerofotogramétricos
	Toda base cartográfica e estudos realizados são oriundos da ortofotocarta 40-3 obtida através da Terracap Map (DF).
	Inicialmente, definiu-se uma área que levasse em consideração as características geológicas e geomorfológicas do terreno onde se situavam os cinco pontos pré-determinados para a passagem da rodovia. Na Figura 3, pode-se observar a ortofotocarta em questão, sendo que os círculos em vermelho representam os pontos de passagem da rodovia.

Figura 3 - Ortofotocarta 40-3. (Fonte: Terracap Map (DF))
Estudos Geotécnicos e Topográficos
	A rodovia a ser construída será instalada em uma área localizada no Planalto Central brasileiro, que se situa na região Centro-Oeste do país. Esta região possui o clima tropical semiúmido, vegetação de cerrado e Mata Atlântica. Com relação ao relevo, este é composto de rochas cristalinas e sedimentares, além das grandes extensões de latossolos. Por ser um planalto, o relevo dessa região é plano e alto, com altitudes que variam de 300 a 1650 metros.
	Os estudos topográficos desenvolveram-se entre as estacas 00+00.00 e 109+00.00 das obras de execução do Projeto rodoviário, através de levantamento planialtimétrico cadastral referenciado ao sistema de coordenadas existente na obra, atendendo às normas da ABNT e especificações do DNIT.
	Em relação aos solos abrangentes nessa região, a maioria deles é classificada como latossolos, eles estão presentes em 46% da área. Esse tipo de solo é predominante nas áreas de cerrado e sua coloração varia entre o vermelho e o amarelo, são bem drenados em grande parte do ano, apresentam acidez e toxidez de alumínio. São pobres em nutrientes para as plantas. Mas outros tipos solos também se destacam, como os pedregosos e rasos, geralmente de encostas, os arenosos e os orgânicos, Figura 4.

Figura 4 - Latossolo do Cerrado brasileiro. (Fonte: Código Florestal)
	O estudo geotécnico realizado no local da obra foi o de sondagem a percussão, este ensaio que tem como finalidade:
Determinar o perfil geológico;
Analisar a capacidade de suporte de carga das diferentes camadas de subsolo;
Determinar o nível do lençol freático;
Apontar eventuais zonas de ruptura que possam ocorrer na superfície em questão.
	A execução do ensaio respeitou as determinações da ABNT. Com os resultados obtidos: foi constado que o solo em questão, pertence ao grupo dos Latossolos, onde este possui uma boa resistência apresentando uma excelente capacidade a processos de compressão, proporcionando uma grande facilidade de suporte de cargas sem comprometer a fundação com fissuras ou cisalhamento em seu termo. Levando isso em consideração, chegou-se à conclusão de que não seria necessário a realização de estudos geológicos mais profundos no terreno.
Estudo da Fauna e Flora
	O planalto central possui uma flora bem diversificada, com mais de 3 mil espécies de vegetais, das quais podemos citar o ipê, a aroeira, o pequi, a copaíba e as orquídeas.
	As características dessas espécies são seus galhos tortuosos e de pequeno porte, as raízes destes arbustos são profundas, as cascas destas árvores são duras e grossas e as folhas são cobertas de pelos.
	Além da flora, a fauna é muito rica com mais de 1500 espécies de animais desde aves, mamíferos, répteis, anfíbios e insetos. As principais espécies de animais encontradas no Cerrado são: anta, cervo, onça-pintada, suçuarana, tatu-canastra, lobo-guará, lontra, tamanduá-bandeira, gambá, ariranha, gato-palheiro, veado-mateiro, cachorro-do-mato vinagre, macaco-prego, quati, queixada, porco-espinho, capivara, tapiti e preá.
	Infelizmente, em função do avanço dos agronegócios, principalmente de soja, o cerrado vem diminuindo a cada dia. A pecuária de corte também tem colaborado para a diminuição deste tipo de vegetação. Segundo ambientalistas, nas últimas 5 décadas, a vegetação do cerrado diminuiu 50% de seu tamanho inicial. Dos 2.038.953 km² da área original do cerrado, apenas 1.038.605 km² (50,9%) encontra-se preservada.
DESCRIÇÃO GERAL DA RODOVIA
Descrição Técnica
Com relação à rodovia, esta deve passar por cinco pontos (1, 2, 3, 4 e 5), suas respectivas cotas são 1.050 m, 1.045 m e 1.055