Relatório de Aula Prática Química Inorgânica II
16 pág.

Relatório de Aula Prática Química Inorgânica II


DisciplinaQuímica dos Materiais e Química Inorgânica III13 materiais252 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Relatório de Aula Prática Química Inorgânica II
Estudo dos Metais
Professor: Diego Lopes.
Turma: QM141 \u2013 4º período do curso técnico de química.
Grupo: Arthur Warlen, Daniel Cavalcante, Henrique Freitas e Nathan Falcão.
Data de entrega: 01/12/2017
Rio de Janeiro
2017
Objetivo
 Analisar os metais de transição: cromo, manganês, ferro, cobalto e cobre em soluções que possuam seus respectivos íons. Observando seus comportamentos em cada meio, ácido e básico, e seus poderes oxidantes de redutores através da observação da mudança das colorações, formação de precipitado e corpo de chão no meio reacional.
Materiais e Reagentes
Materiais utilizados.
	Materiais
	Tubos de ensaio
	Béqueres de 50 mL e 100 mL
	Bastão de vidro
	Cilindros graduados de 500 mL
	Bico de Bunsen
	Pipetas de 5 mL e 10 mL
	Cadinho
	Vidro de relógio
Reagentes utilizados
	Reagentes
	Concentração
		Dicromato de potássio 
	Ácido sulfúrico 
	Cloreto de cromo (III) 
	Hidróxido de sódio 
	Ácido clorídrico 
	Peróxido de hidrogênio 
	Permanganato de potássio 
	Iodeto de potássio 
	Ferricianeto de potássio 
	Tiocianato de potássio 
	Ferrocianeto de potássio 
	Sulfato ferroso amoniacal 
	Ferro metálico 
	Nitrato de cobalto (II) 
	Sulfato de cobre (II) 
	Cobre metálico 
	Ácido nítrico 
		0,10 mol/L 
	0,10 mol/L 
	0,10 mol/L 
	5% 
	5% 
	10 % 
	0,20 m/v 
	0,10 mol/L 
	0,10 mol/L 
	0,10 mol/L 
	0,10 mol/L 
	0,10 mol/L 
	- 
	0,10 mol/L 
	0,10 mol/L 
	- 
	Concentrado 
Procedimento Experimental
Cromo
Redução do íon Cr2O7-
Adicionou-se 1,0 mL de solução de dicromato de potássio e 2,0 mL de ácido sulfúrico 0,10 mol/L a um tubo de ensaio. Em outro tubo, foram adicionados cristais de sulfito de sódio. Então, transferiu-se a mistura do primeiro tubo ao tubo contendo os cristais. Observou-se o ocorrido.
Caráter anfótero do Cr (OH)3
Adicionou-se 1,0 mL de solução de cloreto de cromo III a dois tubos de ensaio. Após essa adição, adicionou-se solução de hidróxido de sódio 5% até que ocorresse a precipitação de hidróxido de cromo.
Em um dos tubos gotejou-se solução de ácido clorídrico até que o término da precipitação. No outro tubo, adicionou-se excesso de hidróxido de sódio 5%. Os dois tubos foram reservados para a próxima etapa.
Oxidação ao íon CrO42- 
Aos dois tubos da etapa anterior foram adicionadas gotas de peróxido de hidrogênio e observou-se o ocorrido.
Cromo 
Números de oxidação do manganês (demonstrativo)
Um cadinho contendo uma pequena porção de permanganato de potássio foi aquecido até a liberação de gás ser notada. Então, transferiu-se essa porção para três diferentes provetas, uma proveta com pH ácido, uma com pH neutro e outra com pH básico. Os resultados foram observados.
Formação do íon manganato
Num tubo de ensaio adicionou-se 2,0 ml de solução de permanganato de potássio e 3,0 ml de solução de hidróxido de sódio 5%, adicionou-se cristais de sulfito de sódio e observou-se a mudança na coloração.
Poder oxidante do íon MnO4- 
Meio ácido
Em um tubo de ensaio, adicionou-se 2,0 ml de solução de permanganato de potássio e 1,0 ml ácido sulfúrico 0,10 mol/L. Então, transferiu-se 1,0 ml de solução de iodeto de potássio para esse mesmo tubo. Observou-se a mudança na coloração. Em seguida, inseriu-se uma tira de folha de caderno nesse tubo e observou-se a coloração dessa tira
Meio básico
O mesmo procedimento da etapa anterior foi realizado, usando solução de hidróxido de sódio 5% em vez de solução de ácido sulfúrico.
Ferro
Identificação do Fe2+
Adicionou-se a quatro tubos de ensaio 2 ml de solução de sulfato ferroso amoniacal, adicionou-se uma gota de cada solução nos tubos. (Uma solução por tubo). As soluções são: Ferricianato de Potássio, Tiocianato de potássio, ferrocianeto de potássio e Hidróxido de sódio.
Identificação do Fe3+
Em quatro tubos de ensaio contendo solução de cloreto férrico, adicionou-se a cada tubo uma solução diferente das que já foram citadas anteriormente. Observou-se os resultados.
Oxidação do íon Fe2+ a íon Fe3+
Adicionou-se 1,0 ml de sulfato ferroso amoniacal e 1,0 ml de ácido sulfúrico diluído. Em seguida, gotejou-se permanganato de potássio e foi feito o teste de identificação para caracterizar a espécie presente após a reação.
Oxidação do Fe0
Uma pequena poção de ferro metálico foi adicionada a um tubo de ensaio contendo 5,0 ml de solução de ácido clorídrico 5%. Deixou-se o tubo em repouso e em seguida fez-se o teste de identificação de Fe2+ e Fe3+.
Cobalto
Oxidação do íon Co2+
Em um tubo de ensaio, foram adicionados 2,0ml de solução de Co2+ e 2,0ml de solução de hidróxido de sódio. Adicionou-se ao produto formado solução de peróxido de hidrogênio. Observou-se os resultados.
Cobre
Redução do íon Cu2+ ao íon Cu+
Gotejou-se solução de Iodeto de potássio em um tubo de ensaio contendo 2,0ml de solução de sulfato cúprico até que a precipitação parasse. Observou-se todas as mudanças ocorridas. Feito isso, introduziu-se uma tira de folha de caderno ao tubo contendo a solução e observou-se novamente.
Redução do íon Cu2+ ao íon Cu0
Em um tubo de ensaio contendo 3,0 ml de solução de sulfato de cobre II, introduziu-se um pequeno pedaço de ferro metálico, observou-se o ocorrido.
Oxidação do Cu0 ao íon Cu2+
Na capela, foram adicionados a um tubo de ensaio um pedaço de cobre metálico e 2,0 ml de ácido nítrico concentrado, em seguida, adicionou-se água à reação. Observou-se o ocorrido.
Resultados e Discussão.
Manganês
Números de oxidação do manganês.
A liberação de gás proveniente do cadinho pode ser interpretada como a decomposição térmica (reação 1) do permanganato de potássio (KMnO4) que libera o gás O2.
2KMnO4(s) K2MnO4(s) + O2(g) + MnO2(s)
Observe, na reação 1 (VOGEL, p.398), que, nos produtos, há manganês com nível de oxidação +6 e +2, manganeses do manganato de potássio e do dióxido de manganês, respectivamente. Que também divergem do nível de oxidação do manganês, quando reagente, que é de +7.
Após o sólido ser adicionado ás diferentes provetas, observou-se o seguinte.
Resultados.
	Meios
	Coloração Observada
	Acido
	Rosa intenso
	Neutro
	Rosa
	Básico
	Verde
O desproporcionamento de manganato, MnO42-, em solução aquosa ácida produz o óxido de manganês (IV), MnO2, (Reação 2) e o íon permanganato, MnO4-, púrpura intenso, contendo Mn (VII) (ATKINS, p. 323).
3MnO42- (aq.) + 4H+ 2MnO4- + MnO2(s) + 2H2O (l)
Novamente se vê alteração no estado de oxidação do manganês. Antes, esse era +6 e, nos produtos, se oxida para +7, no permanganato, e reduz a +4 no dióxido de manganês.
Entretanto, o manganês (IV) é facilmente reduzido a manganês (II), quando em meio aquoso, que, por sua vez, forma o complexo hexaquomanganato (II), que possui uma coloração levemente rosada.
(VOGEL, 1981, p.296)
A predominância de uma coloração rosa intensa, no meio ácido, pode ser explicada pela combinação de uma tonalidade púrpura intensa com a predominância do complexo rosáceo.
Em meio básico, os manganatos são estáveis e possuem coloração verde (VOGEL, p. 296).
Formação do íon manganato.
Resultados.
	Tempo
	Coloração
	Inicial
	Roxo
	Após mistura
	Verde
	Final
	Amarelo
De acordo com a reação abaixo, pode-se entender que a coloração verde, inicial da mistura, é proveniente do precipitado, MnO2, que não se encontrava no fundo do recipiente ainda. Após a aquietação dos cristais na formação do corpo de fundo, pôde-se ver a real coloração da solução amarela.
2MnO4- + 3SO32- + H2O 2MnO2 + 3SO42- + 2OH-
Também se pode entender que o permanganato é um agente oxidante muito forte em meio básico, pois converteu o sulfito (nível de oxidação do S +4) em sulfato (nível de oxidação do S +6). 
(VOGEL, 1981, p. 397).
Poder oxidante do íon MnO4-.
Resultados.
	Objeto
	Coloração (meio básico)
	Coloração (meio ácido)
	Solução (com iodeto)
	Verde
	Amarelo alaranjado
	Folha de caderno
	Normal
	Roxo escuro
Meio