A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
69 pág.
Aula 1 Tecido epitelial REVESTIMENTO

Pré-visualização | Página 1 de 2

TECIDO EPITELIAL
1
Profa. Dra. Sabrina Gomes de Oliveira
Objetivos da aula
O aluno deverá ao final da aula compreender as principais características do tecido epitelial.
2
1. Introdução a Histologia
Apesar da complexidade do organismo dos mamíferos existem 4 tipos básicos de tecidos – conjunto de células com a mesma função.
Epiteliais
Conjuntivos
Musculares
Nervoso
............Juntam-se uns aos outros para formar diferentes órgãos e sistemas. 
3
Origem das células epiteliais
3 folhetos germinativos
Ectoderma – mucosas, glândulas mamárias, epiderme da pele (folículo piloso, glândulas sudoríparas e sebáceas, unhas). 
Mesoderma – revestimento dos néfrons e tubo coletor dos rins) órgãos reprodutores e revestimento interno dos vasos sanguíneos (endotélio). 
Endoderma – fígado, pâncreas, epitélio respiratório – exceto porção nasal, revestimento do trato gastrointestinal
 
4
2. Funções dos EPITÉLIOS
Possuem funções bastante variadas.
1 – Proteção física e imunológica através do revestimento de superfícies como:
Pele e mucosas - impedem a entrada de microorganismos e o dessecamento.
Células epiteliais especializadas na captura de antígenos.
Epitélios espessos devido a quantidade de camadas e pela justaposição celular formam uma barreira física.
 
2 – Revestimento e absorção – epitélio do intestino
3 – Secreção de substâncias (proteínas, lipídeos e carboidratos) é realizada por células organizadas em glândulas.
4 – Percepção de estímulos sensoriais – permite a comunicação entre as superfícies corporais e o sistema nervoso central. O tecido epitelial atua como um via de interação com o meio ambiente.
Dor nos olhos diante e claridade, vento na pele, mucosa oral ardendo depois de comer uma pimenta
Essas sensações são realizadas pelos neuroepitélios – neurônios cujo pericário se localiza entre as células de revestimento.
Epitélio olfatório da cavidade nasal
botões gustativos da língua – quimiorreceptores
Epitélio da retina, córnea e corpos ciliares – fotorreceptores
5
5
3. Características gerais dos epitélios
As células dos epitélios são justapostas*, separadas por escasso/pouco material intercelular que é constituído por substâncias da própria membrana celular. 
Interstício - Não existe substância intersticial entre as células epiteliais.
Existe uma camada muito delgada de carboidratos 
		
Glicocálice - revestindo cada célula. 
Local de ligação de hormônios, moléculas diversas, vírus, bactérias e fungos.
* ADJ. Aquilo que está colocado ao lado ou junto de alguma coisa.As toalhas estão justapostas dentro do guarda roupas.  
6
6
7
Células dos túbulos contorcidos proximais do rim, ao microscópio de luz, coradas pela técnica do ácido periódico de Schiff, revelando a presença de um abundante glicocálice associado aos microvilos (“borda em escova”) em sua região apical (setas). (PAS-H, rato)
Coesão entre as células epiteliais
Existe uma intensa coesão entre as células epiteliais

é devido a ação adesiva das glicoproteínas do glicocálix
A adesão entre as células ocorre devido
Complexo unitivo
8
Complexo unitivo
Estrutura de adesão formada pela:
zônula de oclusão
zônula de adesão
desmossoma – placas isoladas 
 
9
Coesão entre as células epiteliais
Função do Complexo unitivo 
Adesão
impedem o livre trânsito de fluidos através de sua espessura.
absorção e secreção 
Controla a diferença de potencial elétrico entre as duas membranas.
 
10
3. Características gerais dos epitélios
Os epitélios são intensamente inervados
Essa inervação confere ao tecido a capacidade de percepção de estímulos provenientes do meio que o cerca, como
Frio
Calor
superfícies ásperas ou lisas
dor ou ardor
odor
Terminações nervosas livres de neurônios sensoriais encontram-se inseridas entre as células epiteliais e são responsáveis pelas sensações dolorosas. 
			Existem corpúsculos sensoriais associados 
					À pressão
					À sensação térmica
11
3. Características gerais dos epitélios
Os epitélios não são vascularizados (não possuem vasos sanguíneos)
O fornecimento de oxigênio e de nutrientes, bem como a remoção de resíduos metabólicos 

ocorre por difusão através dos capilares sanguíneos presentes nos tecidos ao redor. 
12
Lâmina basal
É uma camada de proteína sintetizada pela própria célula epitelial ou por células adiposas, musculares.
Tem funções:
estrutural na união entre o epitélio e o tecido conjuntivo.
participa da diferenciação celular durante o desenvolvimento embrionário, pois suas proteínas unem-se a fatores de crescimento (FC) que servem como um guia direcionando novas células para os locais corretos. 
Não visível ao microscópio óptico
Colágeno tipo IV 
Polissacarídeos 
Glicoproteínas
13
Membrana basal
Logo abaixo da lâmina basal existe uma estrutura visível ao microscópio óptico (MO) formada por: 
fibras reticulares
proteínas 
glicoproteínas.
A fusão lâmina basal + fibras reticulares, proteínas e glicoproteínas forma a membrana basal.
15
16
Lâmina basal e Membrana basal
17
18
A lâmina reticular e a membrana basal podem ser observadas ao MO e ME por meio de colorações especiais.
Técnicas histoquímicas – ácido periódico de Schiff - PAS
19
20
Fotomicrografia da zona cortical do rim. A técnica do PAS evidencia os elementos com açúcares na composição dos envoltórios das células animais, bem como sua presença no citoplasma. No pólo basal das células, a reação PAS+ revela a localização da membrana basal (MB) somada à reatividade do glicocálice também ali presente. No pólo apical, a reação PAS+ deve-se exclusivamente à presença do glicocálice. Devido a abundância de microvilosidades no ápice das células dos túbulos contorcidos proximais (TP), a reação PAS+ é mais intensa, sendo quase inexistente no ápice das células dos túbulos contorcidos distais (TD). Corpúsculo renal (CR) e lúmen (L) dos túbulos renais estão indicados. (PAS+Hemalúmen, rato)
21
22
Especialização da superfície celular
As células epiteliais podem ter especializações de membrana em seu polo apical.
 
Microvilos
Cílios
Estereocílios
Flagelos - espermatozóides
23
Especialização da superfície livre da célula
Microvilos - evaginações da membrana com forma de dedos de luva.
Função de aumentar a superfície de absorção.
Presentes em células de órgãos que realizam absorção e reabsorção.
 
intestino delgado e rins.
24
Borda em escova – microvilos + glicocálice
25
Fotomicrografia do epitélio dos túbulos contorcidos proximais do rim. A imagem mostra o pólo urinário (estrela) de um corpúsculo renal (CR) onde se inicia o túbulo contorcido proximal deste néfron. Suas células possuem longas microvilosidades apicais (setas) formando a “borda em escova”. 
Detalhe ampliado do campo demarcado na imagem anterior. Com a iluminação adequada e na ampliação máxima ao microscópio de luz, é possível individualizar as microvilosidades (entre setas) presentes na superfície apical das células epiteliais do túbulo contorcido proximal do rim, compondo a “borda em escova”. A altura total de uma célula epitelial está indicada pela seta tracejada.(HE, rato)
Especialização da superfície celular
Cílios – estruturas cilíndricas e alongadas.
Função - sua movimentação unidirecional observada a través dos batimentos ciliar promovem a movimentação de fluidos e partículas 
Trato respiratório e reprodutores. – traqueia.
 
26
27
A Cavidade Nasal é o primeiro compartimento da Porção Condutora do Sistema Respiratório. 
Apresenta pêlos e glândulas que funcionam com uma primeira barreira, dificultando a entrada de partículas grosseiras de pó nas vias aéreas.
Porção Olfatória da Cavidade Nasal: Mucosa constituída por Epitélio Olfatório apoiado sobre uma lâmina basal, à qual se segue uma lâmina propria fibrosa com Glândulas de Bowman cuja secreção