A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Aula 3 -  Epidemiologia e Indicadores de Saúde

Pré-visualização | Página 1 de 2

15/8/2012
1
Universidade de São Paulo
Faculdade de Saúde Pública
Departamento de Prática de Saúde Pública
Disciplina HSP 153
Fundamentos de Saúde Pública em Educação Física 
e Esporte
AULA 3
Epidemiologia: bases conceituais, medidas e 
indicadores
Docentes Responsáveis: Cleide Lavieri Martins e Paulo Frazão
Diagnóstico de saúde
• Históricos
• Demográficos
• Socioeconômicos
• Mortalidade infantil
• Cinco principais causas de morte 
responsável pela avaliação dos problemas de 
saúde da população e pela formulação e 
implementação de uma resposta para 
enfrentá-los.
Saúde Pública Objetivos da Saúde Pública 
• Assegurar bem-estar coletivo
• Elevar os níveis de saúde
• Base para a reprodução e o 
desenvolvimento social
15/8/2012
2
Necessidades humanas
Enfermidades
Resposta
Trabalho médico Trabalho sanitário
Transformações sociais e 
econômicas
Trabalho Médico Trabalho SanitárioTrabalho Médico Trabalho Sanitário
1.1. Examina o indivíduoExamina o indivíduo
2.2. Formula hipóteses de Formula hipóteses de 
diagnósticodiagnóstico
3.3. Aplica exames Aplica exames 
complementarescomplementares
4.4. Conclui diagnósticoConclui diagnóstico
5.5. Instaura tratamentoInstaura tratamento
6.6. Faz avaliação clínicaFaz avaliação clínica
1.1. Identifica níveis de saúdeIdentifica níveis de saúde--
doença da populaçãodoença da população
2.2. Formula hipóteses de Formula hipóteses de 
causalidadecausalidade
3.3. Aplica métodos de verificaçãoAplica métodos de verificação
4.4. Elabora diagnóstico de situaçãoElabora diagnóstico de situação
5.5. Implementa ações e programas Implementa ações e programas 
de saúdede saúde
6.6. Faz avaliação do impacto das Faz avaliação do impacto das 
ações nos níveis de saúdeações nos níveis de saúde--
doença da populaçãodoença da população
Roteiro
• Conceitos e aplicações
• Principais medidas
• Demografia
• Indicadores de saúde
Evolução da Epidemiologia
• Grécia - ano 400 a.C.
• Hipócrates, na obra Dos Ares, Águas e
Lugares
• Explicações, com fundamento no racional
e não no sobrenatural, a respeito da
ocorrência de doenças na população.
Evolução da Epidemiologia
• Inglaterra
• século XVII - John Graunt
– Quantificação dos eventos vitais, Elaboração de
estimativas de população e tábua de
mortalidade. Fundador da Bioestatística
• século XIX - Willian Farr
– Estatística vital e vigilância
15/8/2012
3
Evolução da Epidemiologia
• Inglaterra - século
XIX - John Snow
• Sobre a Maneira de
Transmissão da
Cólera, publicado
em 1855;
COMPANHIA 
FORNECEDORA
Nº de casas 
abastecidas
Óbitos Taxa por 
10.000 casas
Southwark & 
Vauxhall
40.046 1.263 315,4
Lambeth 26.107 98 37,5
Todas as outras 256.423 1.422 55,5
TOTAL 322576 2783 86,3
Fonte: Pereira 1995.
Mortalidade por cólera em Londres em 1854 
nas sete primeiras semanas segundo o tipo 
de companhia de abastecimento de água.
Evolução da Epidemiologia
• EUA 1915 
Joseph 
Goldberger 
• Moléstias não-
infecciosas. 
• Etiologia 
carencial da 
pelagra
Evolução da Epidemiologia
• EUA – 1954
• Richard Doll e Austin Bradford 
Hill
• Associação entre o tabagismo 
e o câncer de pulmão
Evolução da Epidemiologia
• Estudos de doenças 
cardiovasculares 
• Framingham, MA, EUA
EpidemiologiaEpidemiologia
Disciplina que estuda o processo saúde-doença em
coletividades humanas, analisando a distribuição e os
fatores determinantes das enfermidades, danos à saúde e
eventos associados à saúde coletiva, propondo medidas
específicas de prevenção, controle, ou erradicação de
doenças, e fornecendo indicadores que sirvam de suporte
ao planejamento, administração e avaliação das ações de
saúde (Rouquayrol 1994).
15/8/2012
4
Aplicações da epidemiologiaAplicações da epidemiologia
• Descrever as condições de saúde da
população
• Investigar os fatores determinantes da
situação de saúde
• Avaliar o impacto das ações para alterar
a situação de saúde
Aspectos fundamentais da prática Aspectos fundamentais da prática 
epidemiológicaepidemiológica
• a correta seleção da população para
estudo
• a apropriada aferição dos eventos e a
adequada expressão dos resultados
• o controle das variáveis que confundem
a interpretação dos resultados
Usuários de estudos epidemiológicosUsuários de estudos epidemiológicos
• sanitaristas;
• cientistas sociais;
• planejadores urbanos;
• administradores;
• pesquisadores;
• clínicos;
EconomiaEconomia
ESTATÍSTICAESTATÍSTICA
Ciências sociaisCiências sociais
EcologiaEcologia
CLÍNICA MÉDICACLÍNICA MÉDICA
DemografiaDemografia
Administração Administração 
em saúde em saúde 
PATOLOGIAPATOLOGIA
EPIDEMIOLOGIAEPIDEMIOLOGIA
Medidas
• Ocorrência dos eventos
(casos, óbitos, serviços etc)
• Associação
• Significância estatística
Medidas
• Ocorrência dos eventos
– Óbitos 
– Casos 
– Exposição
– Fatores de risco
– Serviços
15/8/2012
5
Iceberg da doença infecciosa
susceptíveis
infectados
casos graves
Fonte: Dubos 1965
Horizonte clínico
doentes óbitos • Valores correspondentes às medidas de freqüência 
absoluta e relativa expressas por coeficientes e 
taxas ou proporções; 
• Medidas de tendência central (média, mediana e 
moda);
• Medidas de variabilidade (variância, desvio-padrão, 
erro-padrão) que sintetizam características das 
distribuições também podem ser empregadas.
Medidas de ocorrência dos eventos
•Contagem 
simples dos 
casos existentes 
•Proporção 
•Prevalência
•Incidência
Medidas de ocorrência dos eventos
⇒⇒⇒⇒ c 
⇒⇒⇒⇒ c / denominador (d) 
⇒⇒⇒⇒ c / d = base populacional (bp)
⇒⇒⇒⇒ cn / bp num intervalo de tempo
• Epidemia
• Endemia
Conceitos
Limiar 
epidêmico
• Epidemia
• instantânea
• surto epidêmico
• progressiva
• pandemia 
Conceitos
15/8/2012
6
• Epidemia
• instantânea
• surto epidêmico
• progressiva
• pandemia
• Endemia
Conceitos
Medidas de freqüência de morbidade
Para descrevermos o comportamento de uma
doença numa comunidade, ou a probabilidade
(ou risco) de sua ocorrência, utilizamos as
medidas de freqüência de morbidade.
• doença;
• traumas e lesões;
• incapacidade.
Medidas de freqüência de morbidade
Incidência: casos novos em determinado período
Taxa de ataque: c. n. no início da epidemia
Prevalência: casos existentes na população estimada
• para o ponto médio do período
• num ponto no tempo
Fonte: Waldman 1998
Representação gráfica de casos de doenças (início, 
desenvolvimento e fim) de 1 de janeiro a 31 de dezembro em uma 
comunidade
31 de dezembro
início
duração
término
1 de janeiro
Casos incidentes = 3
Casos prevalentes = 6
Demografia
• Conceito
• Estrutura demográfica
• Importância dos estudos demográficos
15/8/2012
7
Demografia
Área da geografia que estuda a dinâmica
populacional humana.
Engloba as dimensões estatísticas, estrutura
e distribuição das diversas populações
humanas.
Estas não são estáticas, variando devido à
natalidade, mortalidade, migrações e
envelhecimento
Descrição da estrutura
• Cálculo da freqüência relativa e 
estratificação em intervalos de 5 anos
– 0 a 4 anos % = N idade / N total
– 5 a 9
–10 a 14
– (...)
– 75 a 79
– 80 e +
Técnicas de descrição
• Cálculo da freqüência relativa e 
estratificação em intervalos de 5 anos
• Construção de pirâmides populacionais
8,00 6,00 4,00 2,00 0,00 2,00 4,00 6,00 8,00
0 a 4
5 a 9
10 a 14
15 a 19
20 a 24
25 a 29
30 a 34
35 a 39
40 a 44
45 a 49 
50 a 54
55 a 59
60 a 64
65 a 69
70 ou +
Fa
ix
a
 
et
ár
ia
 
(an
o
s
)
%
Homens Mulheres
Estrutura etária e por sexo
• Fenômenos demográficos: crescimento, 
envelhecimento,