Perícia

Perícia


DisciplinaPerícia625 materiais2.554 seguidores
Pré-visualização5 páginas
P02 
MANUAL DO MESTRE
2º TEMA - PERGUNTAS & RESPOSTAS
O que é a prova?
RESPOSTA:
A prova é algo material ou imaterial, através do qual, o indivíduo se convence a respeito de uma verdade ou de sua ausência. É a maneira pela qual cada um de nós atinge a certeza do que seja verdadeiro ou não verdadeiro, aceitável ou inaceitável, em certo momento, segundo certas circunstâncias, ou seja, segundo a metodologia aplicada na investigação dos fatos e em determinado local. Excluídas as questões de fé, o conhecimento da verdade depende do método de investigação aplicado em cada caso. Portanto, métodos mais adequados e mais inteligentes de investigação conduzem o investigador (perito) a conclusões mais precisas, mais críveis e mais verdadeiras. A escolha do método pelo qual são obtidas as provas é de fundamental importância para a credibilidade do que se afirma. A ausência de verdade pode ser uma farsa, ou uma mentira ou a falta de condições (ausência de método adequado) que satisfaçam o indivíduo a respeito do que seja certo ou errado, em determinado momento. 
O que é prova no campo jurídico?
RESPOSTA:
No campo jurídico, prova é a atividade realizada no processo com o fim de propiciar ao magistrado os elementos de convicção necessários ao julgamento. Os meios empregados para formar essa convicção, que permitem o julgamento, são chamados, no Direito, de \u201cmeios de prova aceitos em direito\u201d. A prova, por isso, constitui, em matéria processual, a própria alma do processo ou a luz que vem esclarecer a dúvida a respeito dos direitos disputados. No sentido objetivo, são meios de prova aceitos pela Justiça os meios materiais existentes no processo, tais como: alegações, cálculos, documentos, pareceres técnicos elaborados por profissionais contratados pelas partes, confissões e testemunhos. Estes meios de prova são os fundamentos de fato. Já no sentido subjetivo, os meios de prova são as convicções a que chega o magistrado diante dos fundamentos de fato supracitados e apresentados pelas partes, na fase de instrução do processo. Estes são os fundamentos de direito. A apreciação das provas depende da livre convicção do magistrado. Em muitos processos, todavia, para que o magistrado possa alcançar a convicção de que faz uso para prolatar a sentença, necessita da prova pericial contábil. Esta é, pois, um dos meios materiais usados para provar a verdade que se quer conhecer.
 
O que é prova segundo seu ponto de vista, enquanto aluno, cursando a disciplina Prática de Perícia Contábil?
RESPOSTA:
Na minha condição de aluno entendo que prova é o seguinte:
é aquilo que atesta a veracidade ou a autenticidade de alguma coisa. Ex.: um documento válido atesta o que nele está escrito. 
é o ato que atesta ou garante uma intenção de fazer algo ou de um sentimento. Ex.: transportar mercadorias sem Nota Fiscal induz a intenção de sonegar o fisco. 
É também o testemunho em juízo ou fora dele. Ex.: declaração expontânea e assinada pelo Contador, na qual confirma que deixou de contabilizar receitas com a intenção de reduzir a carga tributária da empresa.
Mas pode ser uma garantia, como, por exemplo, o \u201ccertificado de garantia\u201d do bom funcionamento de uma geladeira nova. 
Prova também pode ser um processo pelo qual se verifica a exatidão de um cálculo. Ex.: planilha de cálculo do saldo devedor e da prestação devida pelo mutuário do SFH - Sistema Financeiro da Habitação, elaborada segundo teses jurídicas defendidas pelo advogado que representa seus interesses.
Quais são os meios de prova aceitos na Justiça? \u2013 Detalhar e exemplificar.
RESPOSTA:
Os meios de prova aceitos na Justiça são:
os documentos juntados pelas Partes ao processo, tanto públicos, como particulares, incluindo-se, neste item, as memórias de cálculo e os pareceres técnicos juntados com a \u201cinicial\u201d ou com a \u201ccontestação\u201d = prova documental. Ex.: notas fiscais, duplicatas, notas promissórias, contratos em geral, certidões, declarações e etc.;
a confissão judicial ou extrajudicial, posteriormente confirmada perante o magistrado = prova confessional. Ex.: a confissão do devedor de que realmente deve ao credor ainda que a quantia que confesse dever seja de valor diverso daquele cobrado pelo credor;
as testemunhas ouvidas em audiência ou pelo perito quando no exercício de seu mandato = prova testemunhal. Ex.: testemunho de pessoa idônea e legalmente habilitada a fazê-lo, a respeito de fato ocorrido que altere o patrimônio da empresa ou afete terceiros como é o caso de testemunhar o carregamento de mercadorias desacompanhadas de nota fiscal;
a PERÍCIA, = prova pericial. E, geralmente, a prova mais completa para a instrução do feito e para o conhecimento da verdade a respeito do que se diz nos autos do processo. No caso de perícia contábil, o laudo produzido pelo perito contador chama-se Laudo Pericial Contábil. Já o trabalho eventualmente feito pelo perito contador assistente leva o nome de Parecer Técnico Contábil;
a vistoria que é feita com o propósito de conhecer o estado de coisas (vistoria de bens, documentos e livros) e de pessoas (vistoria de pessoa) e emitir um parecer técnico sobre a situação de fato encontrada, no momento a coisa ou a pessoa é objeto de vistoria. Ex.: vistoriar as máquinas que sofreram perda total ou parcial por causa de uma inundação ou de um incêndio. Este tipo de trabalho usa intensamente o recurso da fotografia ou algo equivalente. A vistoria é, via de regra, uma prova pericial;
o arbitramento é a prova técnica produzida pelo perito judicial encarregado pelo magistrado para tal tarefa. Tem o objetivo de dar valor a bens e direitos quando esse valor é desconhecido através de documentos e de escrituração contábil adequada. O arbitramento é feito por critérios técnicos. Isto significa que o perito judicial encarregado deve especificar, com clareza e de forma completa, o método que usou para arbitrar os valores apresentados em seu laudo. Ex.: arbitramento do valor de comissões sobre vendas a que tem direito uma pessoa física ou jurídica em face de ausência de contrato escrito e formalmente assinado para agir como represente comercial. O arbitramento é, via de regra, uma prova pericial;
a avaliação também esta é a prova técnica produzida pelo perito judicial encarregado pelo magistrado para tal tarefa. Tem o objetivo de dar valor a bens e direitos quando esse valor é desconhecido através de documentos e de escrituração contábil adequada. Na linguagem jurídica costuma dar-se o nome de avaliação à atribuição do valor de bens e direitos em casos de inventário por \u201ccausa mortis\u201d. Os procedimentos técnicos da avaliação são os mesmos do arbitramento. Ex.: avaliar as cotas do sócio falecido de uma empresa limitada cuja contabilidade não seja merecedora de credibilidade técnica para tal fim. A avaliação é, via de regra, uma prova pericial.
Para que serve a prova pericial e qual é a função da prova pericial contábil? 
RESPOSTA:
Vamos responder a esta questão em duas partes seguindo a ordem dos assuntos ventilados:
A utilidade da prova pericial, lato sensu, consiste em fornecer ao magistrado (perícia judicial) elementos de natureza técnico/científica com os quais possa ter certeza a respeito do que está sendo questionado pelas Partes. O Laudo Pericial é de fundamental importância para que o magistrado possa fundamentar sua convicção em provas científicas. Portanto a função da prova pericial é a de apresentar \u2013 sempre que possível \u2013 a verdade sobre as divergências suscitadas no processo.
A prova pericial contábil tem como função apresentar a verdade sobre documentos, contratos, registros (escrituração), cálculos, livros, guias, demonstrações contábeis, índices de atualização monetária e tudo o mais que diz respeito a cálculos e contas. Segundo ORNELAS, em seu livro \u201cPerícia Contábil\u201d, 3ª edição, Ed. Atlas, 2000, pag. 26, a função da prova pericial \u201c... é a de transformar os fatos relativos à lide, de natureza técnica ou científica, em verdade