A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
62 pág.
Propriedade Intelectual e Acesso ao Conhecimento

Pré-visualização | Página 18 de 18

era passível ou não de tutela. Isso porque havia a ideia de que essas 
imagens eram produzidas por uma máquina, de forma portanto meramente mecânica. Hoje, 
todavia, reconhece-se o caráter artístico da fotografia. 
O órgão responsável pelo registro de obras literárias é a Biblioteca Nacional do Rio de 
Janeiro. A Escola Nacional de Belas Artes, por sua vez, encarrega-se do registro de obras 
como esculturas. Os projetos de arquitetura são registrados no Conselho Federal de 
Arquitetura, em Brasília. Os de engenharia, por fim, no Conselho Federal de Engenharia. 
Depósito do Pedido 
Há uma importantíssima diferença entre os direitos autorais e os direitos industriais no 
que concerne aos efeitos do depósito. No caso das patentes, o depósito é obrigatório, pois é 
através dele que nasce o direito. É um sistema, portanto, atributivo de direitos. 
No direito autoral, por outro lado, o direito nasce tão somente da criação. O registro, 
destarte, tem caráter meramente declarativo. No âmbito do direito autoral, portanto, o 
registro não passa de uma medida assecuratória, que faz prova da data. 
Requisitos 
Para que uma obra artística seja passível de tutela por direito autoral, é avaliada por 
um critério de originalidade. O conceito de originalidade, aqui, é diferente do conceito 
utilizado pela LPI, e significa singular, próprio ao autor. Deve ser, portanto, uma obra na 
61 
Caderno de Propriedade Intelectual 
qual apareça a projeção da personalidade do autor. É uma originalidade, nesse sentido, 
subjetiva, e não objetiva como na LPI. 
Lei de Proteção aos Softwares 
A Lei 9.609/98 dispõe sobre a proteção da propriedade intelectual de programa de 
computador. Essa lei foi implementada num período de transição histórica, quando afloraram as 
inovações tecnológicas mas ainda não tínhamos clareza do tamanho do impacto que seria 
causado por essas novas tecnologias. Desde então, houve uma massificação dos telefones móveis, 
dos computadores portáteis, etc. 
Diante disso, e diante da velocidade com que essas transformações ocorreram, a lei 
praticamente já nasceu obsoleta, e hoje não corresponde mais aos interesses das empresas 
criadoras de softwares. Esse descompasso acarretou uma série de tentativas de alteração da lei. 
Uma primeira observação que se deve fazer é relativa ao conceito de software, traduzido 
com não muita precisão como “programas de computador” pelo legislador Brasileiro. Softwares 
abarcam o conjunto de instruções e comandos que fazem a máquina funcionar, contrapondo-se 
ao conceito de hardware, que remete aos próprios componentes da máquina. 
Proteção Autoral 
O regime de proteção dos softwares, por força do art. 2o, é o mesmo do direito autoral: 
Art. 2º O regime de proteção à propriedade intelectual de programa de 
computador é o conferido às obras literárias pela legislação de direitos autorais 
e conexos vigentes no País, observado o disposto nesta Lei. 
Cabe observar que a proteção, aqui, cabe aos programas de computador em si, isto é, o 
conjunto de comandos, o texto. Esse conjunto de comandos pode, na prática, fazer uma máquina 
funcionar inserindo-se num processo produtivo. Essa aplicação industrial do programa, por sua 
vez, pode ser tutelada pela LPI. 
 
Boa Prova! 
 
62