A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Corporeidade e Motricidade Humana - Unidade I - Atividade TeleAula

Pré-visualização | Página 1 de 1

Corporeidade e Motricidade Humana - Unidade I - Atividade TeleAula 
 
Pergunta 01. Como que Descartes compreende a relação do corpo e da alma para desenvolver este 
modelo? 
a) Corpo e alma vivem em harmonia, habitando o mesmo corpo. 
b) Pensamento semelhante a Aristóteles, colocando uma separação entre corpo e mente. 
c) O corpo é capaz de se movimentar, de sentir, de pensar, mas é movido pelas sensações. 
d) Pensamento semelhante a Platão, colocando uma separação entre corpo e mente. 
e) Confere ao corpo e à alma uma relação de dependência. 
 
Pergunta 02. O filósofo francês Merleau-Ponty traz uma concepção diferenciada de como perceber e 
conceber o corpo perante a mente. Com isso, como que o corpo é tratado segundo a ótica de Merleau-
Ponty? 
a) Noção de liberdade, em que o mundo não existe sem o homem. 
b) Objetivo de buscar a compreensão do homem de uma forma segregada. 
c) Uma visão diferente a respeito da mente, que encara as sensações como algo distinto dos sentidos. 
d) O corpo é tratado como um campo criador de sentidos. 
e) O corpo é uma matéria intelectual. 
 
Pergunta 03. O que é a motricidade humana? 
a) É a expressão de uma intencionalidade segregada do ser humano. 
b) É o ser humano visto de uma maneira integral, porém, sem objetivos e intenções definidos. 
c) É a expressão da corporeidade, através da intencionalidade dos movimentos. 
d) Expressão da corporeidade, sem a relação entre o homem e a cultura que ele percebe. 
e) É uma compreensão do movimento. 
 
Pergunta 04. A busca por padrões de beleza e corpos esculturais pode desencadear alguns problemas para 
as pessoas que as seguem. Quais são estes problemas? 
a) Transtornos de autoimagem, como a bulimia e anorexia. 
b) Transtornos de intencionalidade, como a disformia muscular. 
c) Transtorno de autoimagem, como a vigorexia. 
d) Deve-se se seguir os padrões e modas colocados pela área fitness e qualidade de vida. 
e) A mídia não tenta impor qualquer tipo de padrão.