A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
Fontes das Obrigações I

Pré-visualização | Página 8 de 22

(condição	
  para	
  a	
  
realização	
  do	
   contrato),	
   a	
   venda	
  pode	
   ser	
  desfeita,	
   sendo	
  então	
   resolvida	
   como	
  uma	
  das	
  
situações	
  de	
  inadimplemento.	
  
	
  	
  
Contrato	
  estimatório	
  
Art.	
  534.	
  Pelo	
  contrato	
  estimatório,	
  o	
  consignante	
  entrega	
  bens	
  móveis	
  ao	
  consignatário,	
  que	
  fica	
  
autorizado	
   a	
   vendê-­‐los,	
   pagando	
   àquele	
   o	
   preço	
   ajustado,	
   salvo	
   se	
   preferir,	
   no	
   prazo	
   estabelecido,	
  
restituir-­‐lhe	
  a	
  coisa	
  consignada.	
  
Art.	
  535.	
  O	
  consignatário	
  não	
  se	
  exonera	
  da	
  obrigação	
  de	
  pagar	
  o	
  preço,	
  se	
  a	
  restituição	
  da	
  coisa,	
  
em	
  sua	
  integridade,	
  se	
  tornar	
  impossível,	
  ainda	
  que	
  por	
  fato	
  a	
  ele	
  não	
  imputável.	
  
Art.	
   536.	
   A	
   coisa	
   consignada	
   não	
   pode	
   ser	
   objeto	
   de	
   penhora	
   ou	
   seqüestro	
   pelos	
   credores	
   do	
  
consignatário,	
  enquanto	
  não	
  pago	
  integralmente	
  o	
  preço.	
  
Art.	
   537.	
   O	
   consignante	
   não	
   pode	
   dispor	
   da	
   coisa	
   antes	
   de	
   lhe	
   ser	
   restituída	
   ou	
   de	
   lhe	
   ser	
  
comunicada	
  a	
  restituição.	
  
É	
  a	
  chamada	
  venda	
  por	
  consignação	
  e	
  é	
  o	
  negócio	
  jurídico	
  pelo	
  do	
  qual	
  uma	
  das	
  partes	
  consigna	
  
à	
   outra	
   determinadas	
   coisas	
   móveis	
   para	
   que	
   as	
   venda	
   pelo	
   preço	
   estimado,	
   com	
   a	
   condição	
   de	
  
devolver	
  as	
  que	
  não	
  vender	
  no	
  prazo	
  estimado,	
  como	
  no	
  caso	
  do	
  livreiro	
  que	
  recebem	
  cem	
  exemplares	
  
de	
  uma	
  obra	
  e	
  pode	
  devolver	
  oitenta	
  que	
  não	
  conseguiu	
  colocar	
  no	
  mercado.	
  
Outro	
  exemplo:	
  deixo	
  meu	
  carro	
  com	
  o	
  cara	
  lá	
  na	
  loja	
  para	
  ele	
  vender	
  para	
  mim.	
  
	
  
Pactos	
   adjetos	
   à	
   compra	
   e	
   venda:	
   são	
   cláusulas	
   especiais	
   inseridas	
   no	
   contrato	
   de	
   compra	
   e	
  
venda,	
  que,	
  modificam	
  a	
  sua	
  fisionomia	
  e	
  o	
  submetem	
  a	
  regras	
  especiais.	
  Estão	
  ou	
  foram	
  tipificadas	
  pela	
  
lei,	
  nesse	
  ou	
  no	
  Código	
  de	
  1916,	
  algumas	
  não	
  foram	
  revalidadas,	
  mas	
  permanecem	
  lícitas.	
  
1. Pacto	
  da	
  retrovenda:	
  por	
  esse	
  pacto,	
  o	
  comprador	
  se	
  compromete	
  a	
  revender	
  ao	
  vendedor	
  a	
  
coisa	
   comprada.	
   O	
   vendedor	
   pode	
   exigir	
   que	
   se	
   celebre	
   novo	
   contrato	
   de	
   revenda.	
   Não	
   cumprido	
   o	
  
pacto,	
  há	
  indenização	
  por	
  perdas	
  e	
  danos.	
  
Orlando	
  Gomes	
  é	
  um	
  dos	
  autores	
  que	
  distinguem	
  o	
  pacto	
  de	
  retrovenda	
  da	
  figura	
  do	
  resgate,	
  
que	
  é	
  uma	
  modalidade	
  que	
  outorgaria	
  maior	
  poder	
  ao	
  vendedor.	
  Seria	
  um	
  direito	
  potestativo,	
  por	
  ato	
  
unilateral,	
   atribuído	
  ao	
  vendedor,	
  oponível	
  erga	
  omnes,	
   perante	
  quaisquer	
   terceiros,	
  para	
  que	
   seja,	
   a	
  
critério	
  do	
  vendedor,	
  exercida	
  a	
  transferência	
  de	
  propriedade.	
  Não	
  cumprido	
  o	
  estipulado,	
  há	
  execução	
  
específica.	
  
Da	
  Retrovenda	
  
Art.	
  505.	
  O	
  vendedor	
  de	
  coisa	
  imóvel	
  pode	
  reservar-­‐se	
  o	
  direito	
  de	
  recobrá-­‐la	
  no	
  prazo	
  máximo	
  de	
  
decadência	
   de	
   três	
   anos,	
   restituindo	
   o	
   preço	
   recebido	
   e	
   reembolsando	
   as	
   despesas	
   do	
   comprador,	
  
inclusive	
  as	
  que,	
  durante	
  o	
  período	
  de	
  resgate,	
  se	
  efetuaram	
  com	
  a	
  sua	
  autorização	
  escrita,	
  ou	
  para	
  a	
  
realização	
  de	
  benfeitorias	
  necessárias.	
  
Art.	
  506.	
  Se	
  o	
  comprador	
  se	
  recusar	
  a	
  receber	
  as	
  quantias	
  a	
  que	
  faz	
  jus,	
  o	
  vendedor,	
  para	
  exercer	
  o	
  
direito	
  de	
  resgate,	
  as	
  depositará	
  judicialmente.	
  
Parágrafo	
  único.	
  Verificada	
  a	
   insuficiência	
  do	
  depósito	
   judicial,	
  não	
  será	
  o	
  vendedor	
  restituído	
  no	
  
domínio	
  da	
  coisa,	
  até	
  e	
  enquanto	
  não	
  for	
  integralmente	
  pago	
  o	
  comprador.	
  
Art.	
   507.	
   O	
   direito	
   de	
   retrato,	
   que	
   é	
   cessível	
   e	
   transmissível	
   a	
   herdeiros	
   e	
   legatários,	
   poderá	
   ser	
  
exercido	
  contra	
  o	
  terceiro	
  adquirente.	
  
11	
  
	
  
Art.	
  508.	
  Se	
  a	
  duas	
  ou	
  mais	
  pessoas	
  couber	
  o	
  direito	
  de	
  retrato	
  sobre	
  o	
  mesmo	
  imóvel,	
  e	
  só	
  uma	
  o	
  
exercer,	
  poderá	
  o	
  comprador	
  intimar	
  as	
  outras	
  para	
  nele	
  acordarem,	
  prevalecendo	
  o	
  pacto	
  em	
  favor	
  de	
  
quem	
  haja	
  efetuado	
  o	
  depósito,	
  contanto	
  que	
  seja	
  integral.	
  
São	
  cláusulas	
  tipificadas	
  que	
  só	
  valem	
  para	
  imóveis.	
  É	
  transmissível	
  intervivos	
  ou	
  causa	
  mortis,	
  
sendo	
  um	
  direito	
  passível	
  de	
  ser	
  cedido	
  a	
  terceiros.	
  
2. Venda	
  a	
  contento:	
  não	
  se	
  dará	
  (condição	
  suspensiva)	
  ou	
  será	
  desfeita	
  (condição	
  resolutiva)	
  
se	
   o	
   comprador	
   não	
   gostar	
   da	
   coisa	
   vendida.	
   Funciona	
   como	
   um	
   período	
   de	
   experiência	
   para	
   o	
  
comprador.	
  Ex.:	
  venda	
  de	
  um	
  tapete	
  no	
  qual	
  o	
  vendedor	
  deixou	
  o	
  produto	
  na	
  casa	
  do	
  cliente.	
  Passado	
  
um	
  tempo,	
  o	
  vendedor	
  volta	
  à	
  casa	
  para	
  ou	
  levar	
  o	
  tapete	
  embora	
  ou	
  fazer	
  a	
  compra	
  –	
  até	
  lá,	
  não	
  houve	
  
a	
  efetivação	
  da	
  compra	
  e	
  venda,	
  havia	
  uma	
  	
  condição	
  suspensiva.	
  	
  
Art.	
   509.	
   A	
   venda	
   feita	
   a	
   contento	
   do	
   comprador	
   entende-­‐se	
   realizada	
   sob	
   condição	
   suspensiva,	
  
ainda	
   que	
   a	
   coisa	
   lhe	
   tenha	
   sido	
   entregue;	
   e	
   não	
   se	
   reputará	
   perfeita,	
   enquanto	
   o	
   adquirente	
   não	
  
manifestar	
  seu	
  agrado.	
  
3. Venda	
  sujeita	
  à	
  prova:	
  aqui,	
  a	
  discricionariedade	
  com	
  comprador	
  é	
  menor.	
  Se	
  o	
  bem	
  tiver	
  as	
  
qualidades	
   que	
   foram	
   estabelecidas	
   no	
   consentimento,	
   a	
   compra	
   é	
   válida,	
   o	
   negócio	
   é	
   perfeito.	
   A	
  
condição	
  que	
  pode	
  se	
  estabelecer	
  nesse	
  tipo	
  também	
  pode	
  ser	
  suspensiva	
  ou	
  resolutiva.	
  
Art.	
  510.	
  Também	
  a	
  venda	
  sujeita	
  a	
  prova	
  presume-­‐se	
  feita	
  sob	
  a	
  condição	
  suspensiva	
  de	
  que	
  a	
  
coisa	
  tenha	
  as	
  qualidades	
  asseguradas	
  pelo	
  vendedor	
  e	
  seja	
  idônea	
  para	
  o	
  fim	
  a	
  que	
  se	
  destina.	
  
4. Perempção:	
  o	
  comprador	
  se	
  obriga,	
  quando	
  quiser	
  vender	
  o	
  bem,	
  a	
  dar	
  preferência