A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Estudo sobre Atos 3

Pré-visualização | Página 1 de 1

ATOS 3. 1-9 A CURA DO COXO DE NASCENÇA
1 E Pedro e João subiam juntos ao templo à hora da oração, a 
nona.
Pedro e João eram judeus e a oração da hora nona, quinze horas do nosso 
horário, ou três da tarde, era uma ordenança (Mt 21: 13; II Cr 7: 14- 16) , 
portanto todo bom judeu conhecedor da lei não perdia esta oração (Gl 2: 1- 14). 
O Templo além de ser um lugar de oração também era o lugar onde os escribas e 
fariseus discutiam a lei, e falavam sobre Moisés (Atos 15: 6- 21). Pedro como um 
bom discípulo de Cristo, seguidor das pegadas do Mestre (Lc 4: 14- 15) não 
podia perder a oportunidade de ministrar no Templo (Atos 2: 46; Atos 5: 42; Jo 
7: 14; Is 52: 7; II Tm. 4: 1 – 5). Pedro era o Pastor presidente, então deveria dar 
o exemplo para ser seguido. Na hora da oração, Pedro e João estavam indo orar, 
não estavam indo para outro lugar, para se divertir.
2 E era trazido um homem que desde o ventre de sua mãe era 
coxo, o qual todos os dias punham à porta do templo, chamada 
Formosa, para pedir esmola aos que entravam.
Este coxo não chegou ali por acaso; o texto diz que ele era levado por alguém. 
Alguém o colocava todos os dias na porta do templo. Então Pedro e João sabiam 
que este homem estava na porta do templo? Os discípulos de Jesus estavam 
acostumados a frequentar o templo. Jesus frequentava o templo e os seus 
discípulos, o seguia (Lc 4: 14- 21; Jo 7: 10- 14). Quantos que conhecemos que são 
coxos? Quantos que conhecemos e sabemos que não andam com suas pernas, e 
que não tem força nos pés para chegar à porta do templo? (Ef 6: 14- 15). 
Quantos que está precisando ser levado a porta (Jo 10: 9) do templo? O que você 
está esperando para levar os coxos que você conhece a porta de céu? (Jo 7: 37- 
39; Is 55: 1- 2; Ap 22: 17; Lc 10: 25- 37). Este coxo era colocado todos os dias a 
porta do Templo. Todos os dias aquele homem ficava na porta do templo 
esperando as migalhas. Aquele homem não ficava naquele local para adorar, ele 
não estava naquele lugar em busca de um milagre para sua vida, ele estava 
naquele lugar em busca do sustento para sua vida miserável (I Sm 2: 1- 6; Jó 5: 
13- 15; Sl 9: 18; Zc 9: 12ª). Quantos que estão na porta do templo, e não entram 
para adorar (Jo 4: 23- 24) por que estão atrás do sustento para sua vida 
miserável (I Co 15: 19; Jo 6: 22- 27ª; Mt 6: 19- 33). A porta Formosa tinha este 
nome fazendo jus ao que era, uma porta extremamente linda, de Ouro e 
adornos... Veja o contraste! Um mendigo coxo e pobre, encostado em uma porta 
gloriosa.
3 O qual, vendo a Pedro e a João que iam entrando no templo, 
pediu que lhe dessem uma esmola.
 Vejam, se ele pediu para Pedro e João, é porque era um costume pedir e receber. 
Mesmo sabendo que era coxo e que sua maior necessidade era andar e ter o 
milagre espiritual ( que só Jesus pode dar) ele pensou na esmola, não nas pernas. 
Hoje em dia existem muitos Pastores e Pregadores que enchem suas Igrejas de 
coxos e lhes dão a esmola, a prosperidade, mas não lhes dão o reino de Deus, as 
pernas para andarem.
4 E Pedro, com João, fitando os olhos nele, disse: Olha para nós.
Pedro fitando os olhos nele, disse: Olha para nós, ou seja, não desvie os olhos, 
não olhe para outra direção, permaneça olhando para o alvo (Hb 12: 1- 2; Fp 3: 
12- 14). O servo de Deus tem algo que é incorruptível como o Ouro e a Prata, ele 
tem o Jesus Cricificado.
5 E olhou para eles, esperando receber deles alguma coisa.
É assim que o crente olha á igreja: Esperando receber alguma coisa. O crente já 
recebeu de Deus (Jo 3: 16). Até quando o salvo vai ficar no lugar do perdido? 
(Mt 9: 12). Do lado de fora o templo (Jo 14: 5- 12; Lc 22: 29), vivendo da 
migalha (I Co 15: 19; Mt 6: 24). A promessa de Deus é para o crente (Gl 3: 8- 
14), as estratégias não (I Co 9: 19- 22). As estratégias da igreja são para alcançar 
o perdido (Atos 1: 8; Mc 16: 15), e não o salvo (Rm 10: 8- 13; Jo 6: 26- 27). 
Aquele homem já estava acostumado com as migalhas que recebia na porta do 
templo (Atos 3: 1- 2). Para aquele homem, Pedro e João eram mais alguém para 
lhe dar algumas migalhas (Atos 3: 3). Ele só não sabia que neste dia, este 
encontro iria mudar a sua história (Gn 28: 10- 17; Jo 1: 35- 51; Mt 16: 13- 18; 
Mt 18: 19- 20; Jr 33: 3; I Co 2: 9; Jr 9: 23- 24). 
6 E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso 
te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda.
Pedro deu o que ele tinha! O que você tem para dar para o necessitado? Nota-se 
que Pedro ressaltou quem era o Jesus, ele disse: O nazareno, para mostrar que 
era aquele que veio de onde ninguém esperava.
7 E, tomando-o pela mão direita, o levantou, e logo os seus pés e 
artelhos se firmaram.
8 E, saltando ele, pôs-se em pé, e andou, e entrou com eles no 
templo, andando, e saltando, e louvando a Deus.
A obra da igreja é colocar de pé e não derrubar (Hb 3: 17- 19; Pv 24: 16ª). A 
obra do Espírito Santo é restaurar os pés e não paralisar (Ez 2: 1; Sl 26: 12). O 
Espírito Santo conduziu os apóstolos a colocar o homem de pé (Is 35: 1- 3). 
Pedro logo estendeu a mão para aquele homem e o levantou (Is 53: 1- 5). O texto 
diz que logo pés e artelhos se firmaram e aquele homem saltando se pôs- se em 
pé (Jr 31: 25; Mt 11: 28). O momento era mágico, Pedro e João movido pelo 
Espírito Santo foram ao templo mudar a história de muita gente e começou por 
aquele coxo (Atos 3: 2-4). Aquele homem já estava acostumado com aquela 
situação, muitos dos que estavam também. Quando aquele homem se colocou de 
Pé, ele não ficou tonto, meio sonolento, como quem não sabe o que esta 
acontecendo (I Co 14: 33). Aquele homem não ficou parado no natural, mas ele 
deu um salto para o sobrenatural (Jr 33: 3; I Co 2: 9). Ele saltou, andou e entrou 
com eles no templo. Diz o texto: Andando, saltando e louvando a Deus (Is 35: 1- 
6). Foi realmente milagre de Deus (Is 66: 10- 14; Atos 8: 1- 7; Is 33: 23- 24).
A multidão que já lotava o templo; de repente tem a sua oração (Atos 1: 1) 
interrompida por um homem que a até então, só era percebido pelas migalhas 
que pedia na porta do templo (Atos 3: 2). O que mais impressionavas os 
religiosos é que o milagre aconteceu na porta do templo (Jo 10: 9) e não dentro 
do templo (Mt 24: 1- 2), e mais, o milagre não foi feito por escribas, sacerdote ou 
qualquer outro parte da elite (Lc 10: 17- 21; I Co 1: 26- 31). Aquele homem 
estava preso não tinha motivo algum para louvar. Tinha vontade de andar e não 
andava, sentia desejo de entrar no templo para adorar, tinha medo e vergonha 
(Is 49: 15- 16). Homens simples de poucas letras, que não faziam parte da elite, 
tementes a Deus, que aprenderam e andaram com Jesus, (Atos 4: 1- 13), 
cruzaram o seu caminho, e sua vida nunca mais foi à mesma (Is 41: 15- 20; I Co 
12: 1- 13; Atos 16: 31). 
9 E todo o povo o viu andar e louvar a Deus; 
Isto é o que o Espirito Santo faz, ele mostra ao Povo o seu poderio.