A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
653611-legislação municipal aplicavel

Pré-visualização | Página 1 de 1

Legislação Municipal
Aplicável
Profa. Kelma Pinheiro
agosto/2014
Plano Diretor Participativo (PDP) 
Lei 062/ 2009
Zoneamento Urbano – PDP 062/2009
Zoneamento Urbano – PDP 062/2009
Zoneamento Urbano – PDP 062/2009
Zoneamento Urbano – PDP 062/2009
Zoneamento Urbano – PDP 062/2009
Terreno
A= 7.225,58m²
Terreno
Terreno
Terreno
Terreno
Legislação – Plano Diretor Participativo de 
Fortaleza (062/2009)
Área do Terreno = 7.225,58m² (aproximadamente)
ZO4 – Art. 117 PDP, lei 62/2009
I.A. máx = 3,0  21.676,74m²
I.A. mín = 0,25  1.806,40m²
TP = 20%  1.445,12m²
TO = 60%  4.335,348m²
TO subsolo = 60%  4.335,348m²
H máx  72m
Obs.: O índice de aproveitamento máximo será acrescido de 1.0 (hum) para o
subgrupo de uso Hospedagem, devendo o excedente ser compensado através
do instrumento da “outorga onerosa do direito de construir”.
I.A. máx hospedagem (com outorga onerosa)  28.902,32m²
Legislação – Plano Diretor Participativo de 
Fortaleza (062/2009)
Áreas médias de diferentes setores
(m²/ Apto)
6500m² - 14.300m²
130m² - 390m²
Área mín - máx
130m² - 910m²
0,00m² - 1.560m²
130m² - 520m²
156m² - 520m²
130m² - 520m²
130m² - 390m²
260m² - 520m²
156m² - 520m²
0,00m² - 1.820m²
7.800m² - 22.100m²
260 UH
Portaria 100/11 M. Turismo x Levantamento 
de Áreas do SENAC
ÁREA ÚTIL (PORT. 100 M. 
TUR)
ÁREA MÉDIA HOSPEDAGEM 
(SENAC) – CONSIDERANDO
PAREDES, CIRCULAÇÃO, ETC
17,00 m2 (U.H.)
45,00 m2 – 55,00 m24,00m2 (WC)
21,00 m2 (TOTAL)
Se acrescentarmos ao cálculo da portaria do
Ministério do Turismo área de parede, circulação
(inclusive elevadores e escadas), e outros,
teremos uma área estimada próxima ao levantado
pelo SENAC.
Legislação – Lei de Uso e Ocupação do Solo 
(7987/96)
Art. 58. Será permitida a construção de subsolos, respeitados a taxa de
ocupação do subsolo, a taxa de permeabilidade, os recuos de frente e
fundos e a altura de 1,00m (um metro) para o piso pronto do pavimento
térreo, medido do nível médio do passeio, por onde existe acesso;
Art. 59. Admite-se a exclusão do cálculo do índice de aproveitamento, da
área do subsolo e das áreas dos pavimentos destinados a estacionamento
de veículos, respeitados a altura máxima da edificação e os demais
indicadores urbanos exigidos e desde que não se trate de edifício garagem.
Art. 60. A ocupação dos terrenos deverá respeitar as seguintes normas: I -
nas edificações com mais de quatro pavimentos as medidas de todos os
recuos deverão ser acrescidas de 20cm (vinte centímetros) por pavimento
que excederem ao quarto, medidos a partir do térreo;
II - nas edificações com mais de dez pavimentos as medidas de todos os
recuos, a partir do térreo, deverão observar a relação de 14% (quatorze
por cento) da altura máxima da edificação;
Legislação – Lei de Uso e Ocupação do Solo 
(7987/96)
Legislação – Lei de Uso e Ocupação do Solo 
(7987/96)
Legislação – Lei de Uso e Ocupação do Solo 
(7987/96)
Legislação – Lei de Uso e Ocupação do Solo 
(7987/96)
Código de Obras (LEI N.º 5.530/1981)
Art. 319 III. Além das exigências anteriores, cada andar que contiver
quartos ou apartamentos para hospedes, cujas áreas somem mais de
250,00m2 deverá dispor, no próprio andar, ou em andar imediatamente
inferior ou superior, de compartimentos destinados a:
a) copa ou sala de permanência de empregados, com área mínima de
4,00m2;
b) depósito para guarda de material de limpeza, rouparia e outros fins,
com área mínima de 2,00m2;
c) instalação sanitária para empregados, tendo, pelo menos, lavatório,
aparelho sanitário e chuveiro, com área não inferior a 1,50m2 e que poderá
ser incluída no cálculo de que trata o artigo 315.
IV. O vestiário de empregados terá área mínima de 4,00m2, a qual será
acrescida de 1,00m2 para cada 60,00m2 ou fração da área total dos
compartimentos para hospedagem que exceder de 250,00m2;
Guia de referência dos parâmetros 
urbanísticos
Fonte: urbanidades.arq.br
Guia de referência dos parâmetros 
urbanísticos
Fonte: urbanidades.arq.br
TAXA DE OCUPAÇÃO (TO):
é a relação percentual
entre a projeção da
edificação e a área do
terreno. Ou seja, ela
representa a porcentagem
do terreno sobre o qual há
edificação.
Guia de referência dos parâmetros 
urbanísticos
Fonte: urbanidades.arq.br
Guia de referência dos parâmetros 
urbanísticos
Fonte: urbanidades.arq.br
O número de pavimentos não fará diferença
nenhuma na TO a menos que um ou mais
pavimentos tiverem elementos que se projetam para
fora, então a TO será alterada.
Guia de referência dos parâmetros 
urbanísticos
Fonte: urbanidades.arq.br
COEFICIENTE DE APROVEITAMENTO
(CA): é um número que, multiplicado pela
área do lote, indica a quantidade máxima
de metros quadrados que podem ser
construídos em um lote, somando-se as
áreas de todos os pavimentos.
Os exemplos mostram duas possibilidades
de edificação em um lote de 24 x 30m,
com CA=2. A primeira, que utiliza
TO=50%, permite apenas 4 pavimentos. A
segunda distribui a área edificada em 8
pavimentos, cada um com To de 25%.
Guia de referência dos parâmetros 
urbanísticos
Fonte: urbanidades.arq.br