TFD  Currículo Química em MG
24 pág.

TFD Currículo Química em MG


DisciplinaQuímica na Escola I3 materiais11 seguidores
Pré-visualização6 páginas
QUÍMICA NA ESCOLA I 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CURRÍCULO DE QUÍMICA PARA O ENSINO MÉDIO NO 
ESTADO DE MINAS GERAIS E AS ORIENTAÇÕES 
OFICIAIS (PCN E OCEM): UMA ANÁLISE 
COMPARATIVA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Londrina 
 
2017 
 
 
1 Currículo de Química do Ensino Médio em Minas Gerais 
 
ALUNA 
 
RAQUEL OLIVEIRA ALEIXO DE LIMA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Londrina 
2017 
 
 
2 Currículo de Química do Ensino Médio em Minas Gerais 
 
SUMÁRIO 
 
1. INTRODUÇÃO..........................................................................................3 
2. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA.....................................................................4 
2.1. Apresentação do documento............................................................4 
2.2. As ideias básicas do texto.................................................................4 
2.3. As razões para ensinar química........................................................5 
3. OS CONTEÚDOS BÁSICOS COMUNS E OS CONTEÚDOS 
COMPLEMENTARES DE QUÍMICA.........................................................5 
3.1. A organização da proposta...............................................................6 
3.2. Focos conceituais..............................................................................6 
3.3. As Formas de Abordagem.................................................................7 
3.4. Os Diferentes Níveis de Profundidade.............................................8 
3.5. A Abordagem Investigativa...............................................................8 
4. ASPECTOS RELACIONADOS AO TRABALHO DIÁRIO DO 
PROFESSOR............................................................................................9 
4.1. Em termos do valor formativo dos conteúdos................................9 
4.2. Em termos da sequenciação do conteúdo e progresso do 
aluno.................................................................................................10 
4.3. Em termos da metodologia e interações subjetivas em sala de 
aula....................................................................................................10 
5. CONTEÚDO BÁSICO COMUM DE QUÍMICA (2007).............................11 
5.1. Eixo Temático I.................................................................................11 
5.2. Eixo Temático II................................................................................15 
5.3. Eixo Temático III...............................................................................19 
6. CONSIDERAÇÕES FINAIS....................................................................22 
BIBLIOGRAFIA......................................................................................23 
 
 
 
 
 
 
 
 
3 Currículo de Química do Ensino Médio em Minas Gerais 
1. INTRODUÇÃO 
 
O ato de ensinar e aprender química passa por vários pontos de vista 
dentre os quais pode-se enumerar: desafiador, instigante, interessante, 
monótono etc. Estes pontos de vista ligam-se diretamente com a forma como a 
química é apresentada, ensinada e apreendida. 
Percebe-se um grande desinteresse por parte dos alunos bem como uma 
preocupação dos professores no processo ensino-aprendizagem e as razões 
para tais comportamentos associam-se com currículo extenso com assuntos 
irrelevantes para as séries do ensino médio, a falta de contextualização destes 
assuntos, livros didáticos com pouco enfoque prático, professores ora 
sobrecarregados ora com ausência de tempo e até mesmo de aparato para 
tornar as aulas mais interessantes e produtivas. A motivação de alguns alunos 
passa a ser a aprovação nos vestibulares deixando-se de compreender a 
química e dedicando-se exaustiva e mecanicamente a decorar conceitos 
cobrados nesses processos seletivos. 
Severo e Kasseboehmer (2017, p. 75) dizem que: 
A motivação dos alunos para aprender e adquirir os conhecimentos 
que a escola tem a oferecer \u2013 em particular, os conteúdos 
apresentados nas aulas de Química \u2013 é importante para sua formação 
intelectual como cidadão e também profissional.(SEVERO; 
KASSEBOEHMER, 2017, p. 75) 
 
Outro fator não menos importante a ser destacado é a falta de 
incorporação dos conceitos de química em situações do cotidiano do aluno, que 
não consegue ver em que momento poderá aplicar e compreender o mundo à 
sua volta. O professor é figura importante nesse processo de aproximação do 
aluno com a química, suas aplicações, seus questionamentos bem como a 
formação e sedimentação dos conceitos. 
O presente trabalho visa analisar de forma comparativa como o ensino de 
química no ensino médio se desenvolve no estado de Minas Gerais mediante o 
que foi norteado nos PCN (Parâmetros Curriculares Nacionais) e OCEM 
(Orientações Curriculares para o Ensino Médio). 
 
4 Currículo de Química do Ensino Médio em Minas Gerais 
2. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 
 
2.1. Apresentação do documento 
 
O estado de Minas Gerais por meio da Secretaria de Educação lançou o 
CBC (Conceitos Básicos Comuns) para o ensino médio com o objetivo de elevar 
o desempenho de seu sistema educacional. Tal documento tem como foco 
\u201caspectos fundamentais de cada disciplina, que não podem deixar de ser 
ensinados e que o aluno não pode deixar de aprender\u201d (Pinto, 2007, p.9) 
Pinto (2007, p. 9) também afirma que: 
A importância dos CBC\u2019s justifica tomá-los como base para a 
elaboração da avaliação anual do Programa de Avaliação da Educação 
Básica (PROEB), para o Programa de Avaliação da Aprendizagem 
Escolar (PAAE) e para o estabelecimento de um plano de metas para 
cada escola. O progresso dos alunos, reconhecidos por meio dessas 
avaliações, constitui a referência básica para o estabelecimento de 
sistema de responsabilização e premiação da escola e de seus 
servidores. Ao mesmo tempo, a constatação de um domínio cada vez 
mais satisfatório desses conteúdos pelos alunos gera consequências 
positivas na carreira docente de todo professor. (PINTO, V. 2007, p.9) 
 
O CBC desenvolveu também um sistema de apoio ao professor através 
de cursos de capacitação e o CRV (Centro de Referência Virtual do Professor) 
para auxiliá-lo com \u201corientações didáticas, sugestões de planejamento de aulas, 
roteiros de atividades e fórum de discussões, textos didáticos, experiências 
simuladas, vídeos educacionais, etc.\u201d (PINTO,2007, p. 9). 
A ideia é a de paramentar os professores para que tenham aulas com 
melhor qualidade reduzindo assim as diferenças de ensino nas regiões do 
estado. 
 
2.2. As ideias básicas do texto 
 
O texto do CBC diz que a busca por uma melhor qualificação dos 
programas de ensino foi o viés para a criação do presente documento onde o 
esperado é que \u201cesses conteúdos propiciem ao estudante uma visão geral da 
química, ainda na primeira série do ensino médio\u201d (CBC, 2007, p.12). 
Isso também ocasiona maior fortalecimento \u201cdas bases do pensamento 
químico, seja para estudos posteriores, seja para interpretar os processos 
 
5 Currículo de Química do Ensino Médio em Minas Gerais 
químicos que permeiam a vida contemporânea, formando uma consciência de 
participação e de transformação da realidade.\u201d (CBC, 2007, p.12) 
 
2.3. As razões para ensinar química 
 
O texto da OCEM diz que: 
Como campo disciplinar, a Química tem sua razão de ser, sua 
especificidade, seu modo de interrogar a natureza, controlar respostas 
por meio de instrumentos técnicos e de linguagem peculiares, 
identificando as pessoas que os dominam como químicos ou 
educadores químicos (OCEM, 2006, p.104) 
 
Assim, o CBC afirma que o processo de ensino de química bem como 
suas razões para isto acontecer baseia-se em promover um programa conceitual 
adequado