A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
168990012717 OAB DIR CIVIL AULAS01A03 TEORIA (2)

Pré-visualização | Página 4 de 4

15 ao 17 do EAOAB, com alterações pela Lei 13.247/16; arts. 37 ao 43 do RG. 
 
a) Natureza jurídica; 
b) Personalidade jurídica; 
c) Denominação; 
d) Outras considerações. 
 
Art. 15. Os advogados podem reunir-se em sociedade simples de prestação de serviços de advocacia ou constitu-
ir sociedade unipessoal de advocacia, na forma disciplinada nesta Lei e no regulamento geral. 
 
§ 1º A sociedade de advogados e a sociedade unipessoal de advocacia adquirem personalidade jurídica com o 
registro aprovado dos seus atos constitutivos no Conselho Seccional da OAB em cuja base territorial tiver sede. 
§ 2º Aplica-se à sociedade de advogados e à sociedade unipessoal de advocacia o Código de Ética e Disciplina, 
no que couber. 
§ 3º As procurações devem ser outorgadas individualmente aos advogados e indicar a sociedade de que façam 
parte. 
§ 4º Nenhum advogado pode integrar mais de uma sociedade de advogados, constituir mais de uma sociedade 
unipessoal de advocacia, ou integrar, simultaneamente, uma sociedade de advogados e uma sociedade unipes-
soal de advocacia, com sede ou filial na mesma área territorial do respectivo Conselho Seccional. 
§ 5º O ato de constituição de filial deve ser averbado no registro da sociedade e arquivado no Conselho Seccional 
onde se instalar, ficando os sócios, inclusive o titular da sociedade unipessoal de advocacia, obrigados à inscrição 
suplementar. 
§ 6º Os advogados sócios de uma mesma sociedade profissional não podem representar em juízo clientes de 
interesses opostos. 
§ 7º A sociedade unipessoal de advocacia pode resultar da concentração por um advogado das quotas de uma 
sociedade de advogados, independentemente das razões que motivaram tal concentração. 
 
Art. 16. Não são admitidas a registro nem podem funcionar todas as espécies de sociedades de advogados que 
apresentem forma ou características de sociedade empresária, que adotem denominação de fantasia, que reali-
zem atividades estranhas à advocacia, que incluam como sócio ou titular de sociedade unipessoal de advocacia 
pessoa não inscrita como advogado ou totalmente proibida de advogar. 
 
 
 
 
www.cers.com.br 
 
10 
§ 1º A razão social deve ter, obrigatoriamente, o nome de, pelo menos, um advogado responsável pela sociedade, 
podendo permanecer o de sócio falecido, desde que prevista tal possibilidade no ato constitutivo. 
§ 2º O licenciamento do sócio para exercer atividade incompatível com a advocacia em caráter temporário deve 
ser averbado no registro da sociedade, não alterando sua constituição. 
§ 3º É proibido o registro, nos cartórios de registro civil de pessoas jurídicas e nas juntas comerciais, de sociedade 
que inclua, entre outras finalidades, a atividade de advocacia. 
§ 4º A denominação da sociedade unipessoal de advocacia deve ser obrigatoriamente formada pelo nome do seu 
titular, completo ou parcial, com a expressão Sociedade Individual de Advocacia . 
 
Art. 17. Além da sociedade, o sócio e o titular da sociedade individual de advocacia respondem subsidiária e ilimi-
tadamente pelos danos causados aos clientes por ação ou omissão no exercício da advocacia, sem prejuízo da 
responsabilidade disciplinar em que possam incorrer. 
 
10 - Advogado empregado 
 
(arts. 18 ao 21 do EAOAB) 
 
Art. 18. A relação de emprego, na qualidade de advogado, não retira a isenção técnica nem reduz a independên-
cia profissional inerentes à advocacia. 
Parágrafo único. O advogado empregado não está obrigado à prestação de serviços profissionais de interesse 
pessoal dos empregadores, fora da relação de emprego. 
 
Art. 19. O salário mínimo profissional do advogado será fixado em sentença normativa, salvo se ajustado em 
acordo ou convenção coletiva de trabalho. 
 
Art. 20. A jornada de trabalho do advogado empregado, no exercício da profissão, não poderá exceder a duração 
diária de quatro horas contínuas e a de vinte horas semanais, salvo acordo ou convenção coletiva ou em caso de 
dedicação exclusiva. 
 
§ 1º Para efeitos deste artigo, considera-se como período de trabalho o tempo em que o advogado estiver à dis-
posição do empregador, aguardando ou executando ordens, no seu escritório ou em atividades externas, sendo-
lhe reembolsadas as despesas feitas com transporte, hospedagem e alimentação. 
§ 2º As horas trabalhadas que excederem a jornada normal são remuneradas por um adicional não inferior a cem 
por cento sobre o valor da hora normal, mesmo havendo contrato escrito. 
§ 3º As horas trabalhadas no período das vinte horas de um dia até as cinco horas do dia seguinte são remunera-
das como noturnas, acrescidas do adicional de vinte e cinco por cento. 
 
Art. 21. Nas causas em que for parte o empregador, ou pessoa por este representada, os honorários de sucum-
bência são devidos aos advogados empregados. 
Parágrafo único. Os honorários de sucumbência, percebidos por advogado empregado de sociedade de advoga-
dos são partilhados entre ele e a empregadora, na forma estabelecida em acordo. 
 
11 - Honorários Advocatícios 
(arts. 22 ao 26 do EAOAB) 
 
a) Tipos: 
 
a.1) Pactuados (ou convencionados); 
a.2) Arbitrados judicialmente; 
a.3) Sucumbenciais. 
 
b) Pacto (ou cláusula) quota litis 
c) Formas judiciais de cobrança 
d) Elementos éticos para a estipulação 
e) Prescrição (art. 25, EAOAB) 
 
12 - Órgãos da OAB 
a) Conselho Federal (arts. 51 a 55 , EAOAB ; arts. 62 a 104, RG) 
b) Conselhos Seccionais (arts. 56 a 59, EAOAB; arts. 105 a 114, RG) 
c) Subseções (arts. 60 e 61, EAOAB; arts. 115 a 120, RG) 
 
 
 
 
www.cers.com.br 
 
11 
d) Caixa de Assistência dos Advogados (art. 62, EAOAB; arts. 121 a 127, RG) 
 
13 - Eleições e mandatos (arts. 63 a 67, EAOAB ; arts; 128 a 137, RG) 
14 – Código de Ética e Disciplina – Deveres dos Advogados 
15 – Processo Disciplinar 
16 – Conferência Nacional da Advocacia Brasileira (arts. 145 ao 150 do RG) 
17 – Medalha Rui Barbosa (art. 152, RG) 
 
Art. 152. A “Medalha Rui Barbosa” é a comenda máxima conferida pelo Conselho Federal às grandes personali-
dades da advocacia brasileira. 
Parágrafo único. A Medalha só pode ser concedida uma vez, no prazo do mandato do Conselho, e será entregue 
ao homenageado em sessão solene. 
 
NOVO CED 
 
http://www.oab.org.br/Content/pdf/novo-ced.pdf 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
www.cers.com.br 
 
12