A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
52 pág.
CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Pré-visualização | Página 9 de 14

de custo/volume/lucro.
	Custo, preço e volume são fatores considerados no planejamento e na análise da variação do lucro. O preço de venda geralmente é de controle limitado, mas custo e volume possuem elementos mais controláveis. As decisões gerenciais requerem uma análise cuidadosa do comportamento de custos e lucros em função das expectativas do volume de vendas. No curto prazo (menos que um ano), a maioria dos custos e preços dos produtos da empresa podem ser determinados. A principal incerteza não está relacionada com custos e preços dos produtos, mas com a quantidade que irá ser vendida. A analise de custo/volume/lucro aponta os efeitos das mudanças nos volumes de vendas na lucratividade da organização.
Margem de contribuição
Os produtos, ao serem fabricados, provocam a ocorrência de custos variáveis. Além, dos custos variáveis, ao serem comercializados, os produtos provocam o surgimento de certas despesas também variáveis: comissões, fretes, seguros, etc.
Assim, temos custos e despesas que também ocorrem em virtude de produzir e vender. São os variáveis (custos e despesas)
A margem de contribuição é o quanto resta do preço, ou seja, do valor de venda de um produto são deduzidos os custos e despesas por ele gerados. De outra forma, representa a parcela excedente dos custos e despesas que os produtos provocam. A empresa só começa a gerar lucro quando a margem de contribuição dos produtos supera os custos e despesas fixos do exercício.
	Para Martins, a margem de contribuição, conceituada como diferença entre receita e soma de custos e despesas variáveis, tem a faculdade de tornar bem mais facilmente visível à potencialidade de cada produto, mostrando como cada um contribui para, primeiramente, amortizar os gastos fixos, e depois, formar o lucro propriamente dito.
	Assim, essa margem pode ser entendida como a contribuição dos produtos aos custos e despesas fixos e também ao lucro. Ela obedece ao seguinte calculo:
MC = PV – (CV + DV)
MC = Margem de Contribuição
PV = Preço de Venda
CV = Custos Variáveis
DV = Despesas Variáveis
Exemplo: Uma empresa fabrica os produtos X, Y, e Z. Em fevereiro/2008 foram produzidos e vendidos com os preços e custos abaixo:
	Produtos
	Quantidade
	Preço de Venda Unitário
	Custo Variável Unitário
	X
	1.000 n
	238,00
	183,00
	Y
	800 u
	404,00
	367,00
	Z
	1.500 u
	382,00
	350,00
As despesas variáveis de vendas (comissões) representam 5% do preço.
Os custos e despesas fixos totalizaram $ 55.000,00 no mês.
O resultado dessa empresa é obtido da seguinte maneira:
Cálculo da margem de contribuição de cada produto
	Produtos
	Preço Unitário
	Custo Variável Unitário
	Despesas de venda unitária
	Custos (+) Despesas Variáveis
	Margem de Contribuição
	
	A
	b
	c = a x 5%
	d = b + c
	e = a-d
	X
	$ 238,00
	$ 183,00
	$ 11,90
	$ 194,90
	$ 43,10
	Y
	404,00
	367,00
	20,20
	387,20
	16,80
	Z
	382,00
	350,00
	19,10
	369,10
	12,90
Cálculo da margem de contribuição total:
	Produtos
	Quantidade Vendida
	Margem de Contribuição Unitária
	Margem de Contribuição Total
	X
	1.000 u
	 $ 43,10
	43,100,00
	Y
	800 u
	16,80
	13.440,00
	Z
	1.500 u
	12,90
	19.350,00
	Total
	75,890,00
Cálculo do resultado:
	Margem de Contribuição Total
	$ 75.890,00
	( - ) Custos de Despesas Fixos
	55.000,00
	( =) Lucro Operacional
	20.890,00
Outra maneira de demonstrar o cálculo seria:
	
	Produto X
	Produto Y
	Produto Z
	Total
	Quantidade Vendida
	1.000 u
	800 u
	1.500 u
	
	Preço de Venda Unitário 
	238,00
	404,00
	382,00
	
	Receita
	238.000,00
	323.200,00
	573.000,00
	1.134.200,00
	Custo Variável Unitário 
	183,00
	367,00
	350,00
	
	Custo Variável Total
	183.000,00
	293.600,00
	525.000,00
	1.001.600,00
	Despesas Variáveis (5%)
	11.900,00
	16.160,00
	28.650,00
	56.710,00
	Total Variável
	194.900,00
	309.760,00
	553.650,00
	1.058.310,00
	Margem de Contribuição
	43.100,00
	13.440,00
	19.650,00
	75.890,00
	(-) Custos e Despesas Fixos
	
	
	
	55.000,00
	(=) Lucro Operacional
	
	
	
	20.890,00
O uso da Margem de Contribuição para tomada de decisões
Uma empresa pode operar no limite de sua capacidade instalada ou abaixo dela, bem como trabalhar com outros fatores que limitem sua produção, chamados “gargalos”. Para cada caso, é necessário conhecer a margem de contribuição, por produto ou pelo fator que representa o “gargalo” da produção, a fim de maximizar o resultado.
7.1.1 Quando a empresa estiver operando abaixo do limite da capacidade instalada ou não existirem fatores limitantes
Sempre que possível, a empresa buscará incentivar as vendas dos produtos que proporcionem as melhores margens de contribuição, pois, assim agindo, mais rapidamente absorverá os custos e despesas fixos e conseqüentemente irá gerar lucro.
	
Vejamos como ocorre (aproveitando o exemplo anterior):
	Produtos
	Preços de Venda Unitário
	Custos + Despesas Variáveis Unitários
	Margem de Contribuição Unitária
	X
	$ 238,00
	$ 194,90
	$ 43,10
	Y
	404,00
	387,20
	16,80
	Z
	382,00
	369,10
	12,90
	Seqüencialmente, os produtos que proporcionam as melhores margens de contribuição são: 1° legar, produto X; 2° lugar, produto Y e em 3°lugar, produto Z. Cada unidade de X proporciona $ 43,10 de margem de contribuição, enquanto Y proporciona $ 16,80, ou seja, seriam necessárias mais de 2 unidades de Y para se obter a mesma margem de contribuição de uma unidade de X. se comparado com Z, seriam necessária mais de 3 unidades.
	Não havendo fatores que limitem a produção ou as vendas, a seqüência acima costuma ser obedecida.
7.1.2 Quando a empresa estiver operando no limite da capacidade instalada ou existirem fatores limitantes
Como dissemos, quando não existirem fatores limitantes, buscará uma empresa produzir e vender os produtos que proporcionem a melhor margem de contribuição.
	No entanto, ocorrendo fatores que venham a limitar a produção (conhecidos por gargalos de produção), há necessidade de se fazer um estudo da margem de contribuição pelo fator limitante para tomada de decisão.
	Vamos admitir que os produtos X, Y e Z do caso anterior utilizem a mesma matéria-prima e que, por imposição do fornecedor, são entregues apenas 90.000 kg mensais. Supondo-se que o mercado esteja disposto a consumir as quantidades abaixo, seriam necessários 95.800 kg dessa matéria-prima.
	Produtos
	Demanda Mensal
	Consumo de Matéria-Prima
	Quantidade de Matéria-Prima Necessária
	X
	1.300 u
	50 kg/u
	65.000 kg
	Y
	900 u
	12 kg/u
	10.800 kg
	Z
	2.000 u
	10 kg/u
	20.000 kg
	Total
	95.800 kg
	Caso a empresa venha a tomar a decisão com base nas margens de contribuição dos produtos, como vimos, procuraria priorizar aqueles de maiores margens. Assim limitados à demanda e o fornecimento mensal de 90.000 kg de matéria-prima, seu mix� de produtos seria:
	Produtos
	Produção e Venda
	Peso Unitário
	Quantidade de Matéria-Prima 
	X
	1.300 u
	50 kg/u
	65.000 kg
	Y
	900 u
	12 kg/u
	10.800 kg
	Z
	1.420 u
	10 kg/u
	14.200 kg
	Total
	90.000 kg
Com esse mix, o resultado alcançado seria:
	
	Produto X
	Produto Y
	Produto Z
	Total
	Quantidade Vendida
	1.300 u
	900 u
	1.420 u
	
	Preço de Venda Unitário 
	238,00
	404,00
	382,00
	
	Receita
	309.400,00
	363.600,00
	542.440,00
	1.215.440,00
	Custo Variável Unitário 
	183,00
	367,00
	350,00
	
	Custo Variável
	237.900,00
	330.300,00
	497.000,00
	1.65.200,00
	Despesas Variáveis (5%)
	15.470,00
	18.180,00
	27.122,00
	60.772,00
	Total Variável
	253.370,00
	348.480,00
	524.122,00
	1.125.972,00
	Margem de Contribuição
	56.030,00
	15.120,00
	18.318,00
	89.468,00
	(-) Custos e Despesas Fixos
	
	
	
	55.000,00
	(=) Lucro Operacional
	
	
	
	34.468,00
	Esse lucro operacional

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.