A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
Roteiro Passo a Passo GLP

Pré-visualização | Página 3 de 4

1 aquecedor de passagem-20 litros = 500 Kcal/min
 	Temos: Pc = 617 Kcal/min
 Onde: Pc = Potência computada
4.1.3.2 Consumo total da edificação:
 . Número de apartamentos por andar = 02
 . Número de andares = 10
 . TOTAL = 20 apartamentos
 . Consumo de cada apartamento = 617 Kcal/min
 . CONSUMO TOTAL = 20 X 617 = 12.340 kcal/min
4.1.4 Dimensionamento da Central de Gás (Determinação da quantidade de cilindros de 45 Kg cada que será necessário para abastecer a referida edificação):
 . Consumo total = Potência computada = Pc
 . Pc = 12.340 Kcal/min
 . Pc = (12.340 Kcal/min x 60 min) /11200 Kcal/Kg
 . Pc = 66,11 Kg/h
 Vou no ANEXO B/ NSCI: Pc = 70 Kg/h - 23 % - (17 + 17)
Logo: Teremos 17 + 17 P-45, ou seja, uma central com 17 cilindros de 45 Kg cada, em uso e mais 17 cilindros em reserva. 
A central de gás poderá ser compartimentada ou não.
Caso seja compartimentada, a carga de gás a ser considerada para o afastamento da central até a edificação será de 17 cilindros.
 17 x 45 = 765 Kg (ver Art 90/NSCI)
Para esta quantidade de GLP, temos um afastamento mínimo de 2,50 metros.
Já para verificarmos a quantidade de extintores necessários para a central de gás, mesmo sendo ela compartimentada, considera-se a carga total, ou seja:
 17 + 17 = 34 x 45 = 1560 Kg de gás (Ver Art 105/V e 100/NSCI)
Para esta quantidade de gás o número de extintores será de 4, ou seja, até 1080 Kg de gás é necessário 3 extintores e para cada 360 Kg excedente, acrescentar mais 1 unidade.
1530 - 1080 = 450 Kg ------										Então teremos 3 + 1 = 4 extintores.
OBSERVAÇÃO: Para a execução da planta baixa da central de gás, devemos levar em consideração o que segue:
a. para cada cilindro de 45 Kg deverá ser previsto um espaço livre de 0,45 metros de diâmetro:
b. as portas da central de gás não poderão estar voltadas para a edificação, a menos de 10,00 metros de distância (Art 102/NSCI);
c. deverá ter largura com espaço livre mínimo de 0,90 metros (Art 98/VIII/NSCI);
d. Ver demais especificações da NSCI.
4.2 CENTRAL COM TANQUES (TANQUES ESTACIONÁRIOS)
4.2.1 Dados (EXEMPLO):
 Número de fogões = 21
 Número de aquecedores = 19
 Potência do fogão = 117 Kcal/min
 Potência do aquecedor = 385 Kcal/min
4.2.2 Cálculos:
 21 X 117 = 2457 kcal/min
 19 X 385 = 7315 kcal/min
 Total (Potência Computada) = 9772 Kcal/min
4.2.3 Consumo de gás:
 9772 x 60 = 586320 Kcal/h ( 11200 Kcal/Kg = 52,35 Kg/h
Esse valor, 52,35 Kg/h, deve ser arredondado para menos, 50 Kg/h, e não para 55 Kg/h, como acontecia no cálculo da central com P-45. Ver tabela do ANEXO B das NSCI.
A necessidade se dá em virtude de que o uso de um menor valor (arredondamento para menos) faz trabalharmos com uma porcentagem de simultâneidade maior (27 %), o que nos dá uma carga de gás maior e consequentemente, uma maior autonomia para recarga.
4.2.4 Cálculo do número de tanques:
Dados: Consumo: 52,35 Kg/h 
													Simultaneidade: 27% (Tabela do Anexo B das NSCI)
															52,35 Kg/h x 0,27 = 14,13 Kg/h
	Após calcularmos o consumo do sistema por hora, 14,13 Kg/h, dividiremos o valor obtido pelo valor da vaporização do tanque escolhido, conforme a tabela de cálculo de vazão horária de vaporização (anexo 1) constante na Resolução n( 024/CAT/CCB/98.
Ex: Caso seja utilizado tanques de 180 Kg da empresa Ultragáz, teremos:
N( de tanques = 14,13 = 4,03 tanques
				 3,5
Observações: 
Admite-se o arredondamento do número de tanques, para menos, quando a diferença entre o consumo total e a vaporização total não exceder a 10 %, caso contrário, arredonda-se para o valor inteiro imediatamente superior.
 Para regiões com temperaturas médias inferiores a 15 ºC, deverá ser consultada a Cia. abastecedora para o devido dimensionamento da Central de GLP.
REDE PRIMÁRIA
# Trecho da instalação de GLP situado entre o regulador de primeiro estágio (instalado no abrigo para conjunto de controle e manobra) e o regulador de segundo estágio (situado no abrigo de medidor).
Seja o esquema vertical, a seguir, identificado por trechos:
�
Legenda: CMG = Cabine de medidor de gás
 MED = medidor
 Apsc = Aço preto sem costura
 L = Comprimento do trecho
 CG = Central de gás
Consideraremos os seguintes trechos e seus comprimentos:
 CG – T1 = 42,30 m
 T1 – CMG 01 = 7,90 m
 T1 – T2 = 0,65 m
 T2 – CMG 02 = 6,80 m
CMG 03 – CMG 04 = 2,85 m
CMG 04 – CMG 05 = 3,15 m
 T2 – CMG 06 = 19,84 m
CMG 06 – CMG 07 = 2,85 m
CMG 07 – CMG 08 = 3,15 m
 
Dados referentes as instalações de GLP:
Edifício com 04 pavimentos
Número de apartamentos: Térreo = 02, 1º Pvto = 24, 2º Pvto = 24, Ático = 06, Total = 56 apartamentos
Pontos de consumo de gás por apartamento com respectiva potência computada: 1 fogão (4 queimadores e 1 forno) = 117 Kcal/min
C. Roteiro para o dimensionamento da rede primária:
Podemos dimensionar trecho a trecho separadamente ou, de forma prática, adotando a seguinte planilha:
REDE PRIMÁRIA DE GLP - DIMENSIONAMENTO
	TRECHO (m)
	Pc (kcal/min) 
	L (m)
	( Pc (Kcal/min)
	( L (m)
	Pa (Kcal/min)
	( (Polegadas)
	 CG – T1
	-
	42,30
	6552
	42,30
	2240
	2”
	 T1 – CMG 01
	117
	 7,90
	117
	50,20
	117
	¾”
	 T1 – T2
	-
	0,65
	6435
	42,95
	2240
	2”
	 T2 – CMG 02
	117
	6,80
	3276
	49,75
	* 1790
	2”
	CMG 2 – CMG 3
	1404
	4,70
	3159
	54,45
	1790
	2”
	CMG 3 – CMG 4
	1404
	2,85
	1755
	57,30
	1230
	1 ½”
	CMG 4 – CMG 5
	351
	3,15
	351
	60,45
	383
	1”
	 T2 – CMG 6
	1404
	19,84
	3159
	62,79
	1790
	2”
	CMG 6 – CMG 7
	1404
	2,85
	1755
	65,64
	1230
	1 ½”
	CMG 7 – CMG 8
	351
	3,15
	351
	68,79
	383
	1”
Onde: 
Trecho = Definir de acordo com a edificação
Pc = Consumo no trecho
L = Comprimento da tubulação no trecho
(Pc = Consumo acumulado
(L = Comprimento acumulado
Pa = Potência adotada (ANEXO C/NSCI)
( = Diâmetro da tubulação (Ver TABELA - Anexo da apostila ou fórmula na página 48/NSCI).
NOTAS IMPORTANTES:
O comprimento do trecho é o espaço compreendido entre a central de gás e o ponto (ou medidor) que se está dimensionando, para todos os pontos.
Pode-se fazer interpolação linear para a definição da Pa, quando se achar necessário.
Exemplo: Trecho T2 – CMG 02 ( (Pc = 3276 Kcal/min
Observando o ANEXO C:
	Potência Computada (Pc)
	Potência Adotada (Pa)
	3000
	1650
	3500
	1790
Podemos Ter um valor intermediário para o (Pc.
Logo: 3000 - 1650
 3276 - x
 3500 - 1790
1650 – x / 1650 – 1790 = 3000 – 3276 / 3000 – 3500
1650 – x / -140 = -276/-500
1650 – x / -140 = 0,552
 1650 – x = 0,552 . (–140)
 1650 – x = - 77,28 (x –1)
 x = 1650 + 77,28 = 1727,28 Kcal/min
Tínhamos (L = 49,75 m. Voltando a TABELA dos diâmetros, temos:
L = 50,00 m ( Pa = 1727,28 ( ( = 1 ½”
REDE SECUNDÁRIA
# Trecho da instalação situado entre o regulador de segundo estágio (abrigo do medidor) e o ponto de consumo (fogão, aquecedor, etc.).
Seja o seguinte esquema, identificado por trechos:
Legenda:
MED = Abrigo de medidor
F4 = Fogão (4 queimadores e 1 forno)
AQU = Aquecedor
L = Comprimento do trecho (m)
Dados referentes a instalação do GLP:
Apartamento com 1 fogão (4 queimadores e 1 forno) = 117 Kcal/min e 1 aquecedor de passagem = 380 Kcal/min
Trechos: MED – A = 8,40