A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Aula sobre AVE

Pré-visualização | Página 1 de 4

AULA 3: ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
Profa. Me Thaisa Queiroz
1
DOIS SISTEMAS DE VASCULARIZAÇÃO:
1) SISTEMA CAROTÍDEO INTERNO
 (ARTÉRIAS CARÓTIDAS INTERNAS)
2) SISTEMA VÉRTEBRO-BASILAR
 (ARTÉRIAS VERTEBRAIS)
VASCULARIZAÇÃO DO SNC ARTÉRIAS CEREBRAIS
POSSUEM PAREDES FINAS, TÚNICA MÉDIA COM MENOS FIBRAS MUSCULARES E TÚNICA ELÁSTICA INTERNA MAIS ESPESSA E TORTUOSA
Tronco Braquiocefálico
Artéria Carótida Comum
ARTÉRIA CARÓTIDA INTERNA
Artéria Carótida Externa
VASCULARIZAÇÃO DO SNC
1 - SISTEMA CARÓTICO INTERNO
ARTÉRIA CARÓTIDA INTERNA DIVIDE-SE EM 2 RAMOS PRINCIPAIS:
1) ARTÉRIA CEREBRAL MÉDIA:
- VASCULARIZAÇÃO DA MAIOR PARTE DA FACE SÚPERO-LATERAL DE CADA HEMISFÉRIO
- ÁREA MOTORA, ÁREA SOMESTÉSICA (SENSITIVA) E ÁREA DA FALA.
2) ARTÉRIA CEREBRAL ANTERIOR:
- DISTRIBUI-SE DESDE O LOBO FRONTAL ATÉ O SULCO PARIETO-OCCIPTAL
Carótida interna
Cerebral média
Cerebral anterior
VASCULARIZAÇÃO DO SNC
1 - SISTEMA CARÓTICO INTERNO
VASCULARIZAÇÃO DO SNC
2 - SISTEMA VÉRTEBRO-BASILAR
VASCULARIZAÇÃO DO SNC
2 - SISTEMA VÉRTEBRO-BASILAR
ARTÉRIAS VERTEBRAIS
2 ARTÉRIAS ESPINHAIS POSTERIORES
ARTÉRIA ESPINHAL ANTERIOR
ARTÉRIAS CEREBELARES INFERIORES E POSTERIORES
ARTÉRIA BASILAR
ARTÉRIAS CEREBRAIS POSTERIORES
(VASCULARIZAÇÃO DA REGIÃO OCCIPTAL DO ENCÉFALO)
ARTÉRIA CEREBELAR INFERIOR
VASCULARIZAÇÃO DO SNC
RESUMO
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
O CONSUMO DE OXIGÊNIO E GLICOSE PELO ENCÉFALO É MUITO ELEVADO, O QUE REQUER UM FLUXO SANGUÍNEO INTENSO
DEFINIÇÃO AVE:
“Sinal clínico de rápido desenvolvimento de perturbação focal da função cerebral, de suposta origem vascular e com mais de 24 horas de duração” (Organização Mundial de Saúde).
OBS: Esta definição não incorpora “crises isquêmicas transitórias”.
AUSÊNCIA DE NUTRIÇÃO ENCEFÁLICA:
- 7 SEGUNDOS = PERDA DE CONSCIÊNCIA
- 5 MINUTOS = LESÕES IRREVERSÍVEIS
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
ISQUÊMICO
- CONSTITUI 80% DOS CASOS DE AVE;
- DECORRENTE DE ATEROMAS OU ÊMBOLOS;
- O PACIENTE QUEIXA-SE DE DOR DE CABEÇA E DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE HEMIPARESIA OU DISFASIA;
- CARACTERIZA-SE POR HEMIPLEGIA FLÁCIDA QUE SE TORNA ESPÁSTICA EM ALGUNS DIAS.
OBSTRUÇÃO DE UMA DAS ARTÉRIAS CEREBRAIS (MÉDIA, POSTERIOR E ANTERIOR) OU DE SEUS RAMOS
Disfasia é uma perturbação da linguagem, associada a uma lesão cerebral, que consiste na má coordenação das palavras.
9
 A PRESENÇA DE SINAIS E SINTOMAS COMO PERTURBAÇÕES VISUAIS, PROBLEMAS NA FALA, ANORMALIDADES DE COMPORTAMENTO ENTRE OUTROS, DEPENDE DA ARTÉRIA AFETADA E CONSEQUENTEMENTE DO DÉFICT DE SANGUE NA REGIÃO ESPECÍFICA POR ELA IRRIGADA. 
 A OCLUSÃO DAS AA. VERTEBRAIS OU A. BASILAR É MAIS RARA, NO ENTANTO TEM POTENCIAL MUITO MAIOR DE DANOS, PODENDO LEVAR À MORTE (IRRIGAÇÃO DO TRONCO ENCEFÁLICO). 
VISÃO
COMPORTAMENTO
FALA
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
ISQUÊMICO
AVEI RECENTE
AVEI ANTIGO
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
ISQUÊMICO
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
HEMORRÁGICO
 DECORRENTE, NA MAIORIA DAS VEZES, DE LIPO-HIALINOSE, UMA DEGENERAÇÃO DAS ARTÉRIAS CAUSADA PELA HIPERTENSÃO ARTERIAL;
- EM PACIENTES JOVENS E NORMOTENSOS, O AVEH PODE SER DECORRENTE DE MALFORMAÇÃO ARTERIOVENOSA (EX: ANEURISMA CONGÊNITO).
ROMPIMENTO DE UMA DAS ARTÉRIAS CEREBRAIS OU DE SEUS RAMOS
Lipo-hialinose: um aumento da tensão dentro do vaso, decorrendo em hipertrofia da camada média e deposição de material fibrinóide na parede da artéria.
12
ANEURISMA CONGÊNITO
ANEURISMA CONGÊNITO GIGANTE
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
HEMORRÁGICO
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
HEMORRÁGICO
SINAIS CLÍNICOS
O PACIENTE APRESENTA CEFALÉIA, VÔMITOS E, EM 50% DOS CASOS, PERDA DE CONSCIÊNCIA;
2) A PRESSÃO INTRACRANIANA PODE ELEVAR-SE SUBITAMENTE E, SE O PACIENTE SOBREVIVER A CRISE INICIAL, PODEM SOBREVIR SINAIS HEMIPLÉGICOS E HEMI-SENSORIAIS;
3) O PROGNÓSTICO INICIAL É GRAVE, MAS OS PACIENTES PODEM FICAR SURPREENDENTEMENTE BEM QUANDO O HEMATOMA É REABSORVIDO.
HEMORRAGIAS CEREBRAIS
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
HEMORRÁGICO
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
HEMORRÁGICO FATAL
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
HEMORRÁGICO FATAL
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
HEMORRÁGICO FATAL
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
HEMORRÁGICO FATAL
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
HEMORRÁGICO FATAL
 AVEH AVEI
VÍDEO
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
HEMORRÁGICO x ISQUÊMICO
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
HEMORRAGIA SUBARACNÓIDE
 SANGRAMENTO NO ESPAÇO SUBARACNÓIDE, EM GERAL DECORRENTE DA RUPTURA DE UM ANEURISMA, CONGÊNITO OU NÃO, SITUADO NO CÍRCULO DE WILLIS OU PRÓXIMO DELE;
 O PACIENTE QUEIXA-SE DE CEFALÉIA SÚBITA E INTENSA, VIA DE REGRA ASSOCIADA A VÔMITOS E RIGIDEZ CERVICAL;
 PODE OCORRER PERDA DE CONSCIÊNCIA E CERCA DE 10% DOS PACIENTES VÃO AO ÓBITO DENTRO DE UMA OU DUAS HORAS;
- DOS QUE SOBREVIVEM, 40% MORREM NAS PRIMEIRAS DUAS SEMANAS;
A HEMIPLEGIA PODE SER EVIDENTE NO INÍCIO.
ANEURISMA CONGÊNITO (CÍRCULO DE WILLIS) 
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
HEMORRAGIA SUBARACNÓIDE
O polígono de Willis ou círculo de Willis (também chamado de círculo arterial cerebral ou círculo arterial de Willis) é um círculo de artérias que suprem o cérebro. Foi nomeado em homenagem a Thomas Willis (1621-1673), médico inglês.
Componentes
Artéria cerebral anterior (esquerda e direita)
Artéria comunicante anterior
Artéria carótida interna (esquerda e direita)
Artéria cerebral posterior (esquerda e direita)
Artéria comunicante posterior (esquerda e direita)
A artéria basilar e a artéria cerebral média, apesar de irrigarem o cérebro, não são consideradas parte do polígono.
O arranjo das artérias no Polígono de Willis cria uma redundância na circulação cerebral. Se uma parte do círculo estiver bloqueada ou estreitada (estenose), ou se uma das artérias que suprem o polígono está estreitada ou bloqueada, o fluxo sanguíneo dos outros vasos sanguíneos pode muitas vezes preservar a perfusão cerebral o suficiente para evitar sintomas de isquemia.
23
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
HEMORRAGIA SUBARACNÓIDE
HEMORRAGIA SUBARACNÓIDE
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
TIPOS DE HEMORRAGIA
“AMEAÇA” DE ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
ATAQUE (CRISE) ISQUÊMICA TRANSITÓRIA
ANEURISMA COM ESTRAVASAMENTO
- Início de AVE com recuperação completa em 24 horas;
- Cerca de 10% dos pacientes virão a ter um AVE completo;
- Os sintomas dependem da região afetada (hemisfério ou tronco cerebral);
- Quase todos os pacientes recebem anticoagulante (AAS) para reduzir a probabilidade de AVE completo.
CERCA DE 40% DOS PACIENTES COM HEMORRAGIA SUBARACNÓIDE TÊM SINTOMAS PRECEDENTES COMO CEFALÉIA REPENTINA, NÁUSEA, FOTOFOBIA E RIGIDEZ CERVICAL, QUE PODEM SER INCORRETAMENTE ATRIBUÍDOS À ENXAQUECA.
ATEROSCLEROSE E CARDIOPATIA ISQUÊMICA 
PÍLULA ANTICONCEPCIONAL
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
FATORES DE RISCO
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
EXAME MÉDICO
PRIMEIRO OBJETIVO: DEFINIR O TIPO DE AVE
TÉCNICAS ADEQUADAS DE IMAGEM, JUNTAMENTE COM OS SINAIS E SINTOMAS DO PACIENTE PERMITEM A DIFERENCIAÇÃO ENTRE ISQUEMIA E HEMORRAGIA;
QUANDO A HISTÓRIA DO PACIENTE SUGERE HEMORRAGIA SUBARACNÓIDE, O EXAME DO LÍQUOR, POR PUNÇÃO LOMBAR, PODE CONFIRMAR O DIAGNÓSTICO;
AVALIAÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL, HEMOGRAMA, ELETROENCEFALOGRAMA (ECG) SÃO TAMBÉM UTILIZADOS PARA CONCLUSÃO DO DIAGNÓSTICO. 
28
 ESTENOSE DA ARTÉRIA CEREBRAL INFERIOR (ANGIOGRAFIA)
 ANEURISMA DA ARTÉRIA CEREBRAL MÉDIA (ANGIOGRAFIA)
 ANEURISMA COM PAREDE CALCIFICADA (TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA)
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
EXAME MÉDICO
 AVE HEMORRÁGICO ESQUERDO (TC)
 AVE ISQUÊMICO ESQUERDO (TC)
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
EXAME MÉDICO
OBS: FATORES COMO LOCAL, EXTENSÃO E NATUREZA DA LESÃO; IDADE E ESTADO PRÉ-MÓRBIDO DO PACIENTE; MOTIVAÇÃO DO PACIENTE COM RELAÇÃO À RECUPERAÇÃO E DATA DE INÍCIO DA INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA, SÃO FATORES IMPORTANTES NA RECUPERAÇÃO FUNCIONAL DO PACIENTE.
ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
FASES DA RECUPERAÇÃO FUNCIONAL
 Fase I