A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
136 pág.
UPP – A REDUÇÃO DA FAVELA A TRÊS LETRAS - Marielle Franco (UFF)

Pré-visualização | Página 1 de 39

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE 
FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO 
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO 
MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO 
 
 
 
 
 
Marielle Franco 
 
 
UPP – A REDUÇÃO DA FAVELA 
A TRÊS LETRAS: UMA ANÁLISE 
DA POLÍTICA DE SEGURANÇA 
PÚBLICA DO ESTADO DO RIO 
DE JANEIRO 
 
 
Orientadora: 
Profª. Drª. Joana D‟Arc Fernandes 
Ferraz 
 
 
 
 
 
 
MARIELLE FRANCO 
 
 
 
 
 
 
UPP – A REDUÇÃO DA FAVELA A TRÊS LETRAS: UMA ANÁLISE DA POLÍTICA 
DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Dissertação apresentada ao Programa de 
Pós-Graduação em Administração da 
Faculdade de Administração, Ciências 
Contábeis e Turismo da Universidade 
Federal Fluminense, como requisito 
parcial à obtenção do título de Mestre em 
Administração. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Orientadora: 
Profª. Drª. Joana D‟Arc Fernandes Ferraz 
 
 
 
 
 
 
 
 
Niterói, RJ 
2014 
 
 
 
AGRADECIMENTOS 
 
 
Este trabalho não teria sido possível sem o apoio de algumas pessoas, que 
contribuíram cada qual a sua maneira para que esse estudo fosse concluído. 
Agradeço à Universidade Federal Fluminense (UFF), mais especificamente ao 
PPGAd-UFF por ter formulado e implementado um curso, instigante do ponto de 
vista intelectual e que proporcionou ao corpo discente diversos encontros 
interessantes. Além disso, fui bolsista durante o período do Mestrado e sou 
grata a CAPES e a coordenação, pela viabilização deste recurso. Sem o qual não 
seria possível o deslocamento, o investimento em livros e a tranquilidade 
necessária para a dedicação aos estudos frente a tantas disciplinas. Salve a 
turma de 2012. Ali fiz amigos: Em especial Analyese, Angeline, Rosane, Ricardo, 
Zé, Flávia e Eliane 
Agradecer asamigas e osamigos tudo! De pesquisa, de bar, de praça, de prosa e 
de versos constantes. Intelectuais orgânicos que miro como um horizonte para 
se manter nessa profissão. Tia Sulange-Bulão, Tia, pesquisadora e pedagoga nas 
horas vagas, Pâmella Passos amiga-funkeira e cumadre. Ao NOS-Núcleo 
Organizado das Sereias: Lia Rocha, Claudia Trindade, Daniela Fichino, Gabriela 
Buscácio e Juliana Farias, José Renato Baptista antropólogo e o mais recente 
professor universitário, Felipe Lins jovem promissor que traz alegria para os 
trabalhos juntos como pesquisador, Paulo Jorge ex professor da PUC, atualmente 
antropólogo na UERJ. Seu humor peculiar é inspirador para lidar com a temática 
da violência. Raíza Siqueira flamenguista e pesquisadora que me pegou pelas mãos 
para ingressar no Mestrado, Suellen Guariento negona doutora da zona Oeste, 
Paulo Victor e Tássia Mendonça alegria na Maré, no vaca atolada ou no Museu, 
Adriana Vianna e Facina inspirações no horizonte acadêmico antropológico. 
Guilherme Pimentel, Lidiane Lobo, Daniele Ribeiro e Tatiana Lima. Funkeiros-
suburbanos querid@s. 
Obrigada pelo percurso. AQUI EXISTE AMOR! 
O que dizer do bonde de Intelectuais da favela? Sim a nova geração que fez pré-
vestibular comunitário, e se constituiu como Mestres e Doutores. Aos 
Mareenses: Elis, Rejany, Dejany, Chicão, Renata, Mariluci, Leo, Monica Tereza – 
A.D.M.V., Michelle Lima, Claudia Santos, Shirley, Chalaça, Alexandre, Cida e 
Soraia Denise saudades de vc que já não está entre nós... 
Obrigada ao Mandato Marcelo Freixo, sem esta equipe, que prefiro não citar 
nominalmente, pois muitos passaram e outros chegaram, não seria possível 
crescer a cada dia. Fato que muito me construiu como profissional e 
pesquisadora, e fundamentalmente facilitou o acesso aos dados e as informações 
necessárias para a realização deste trabalho. Um abraço especial à equipe que 
 
 
fica baseada no porão 307. Ou melhor, na sala da Comissão de DH. Lugar frio e 
sem luz do dia, mas que nos últimos anos aquece o coração a cada sexta feira de 
grupo de trabalho. 
Agradeço à minha irmã, Anielle por ter me incentivado a continuar, por ter 
sempre acreditado que eu conseguiria concluir. Muito obrigada Naninha! Sua 
força e presença amiga fortalecem a alma. Thanks so much!!! De quebra ao 
agregado – cunhado – fanfarrão: Fabio Barbosa 
Ás vezes acham que ela é irmã, talvez pela aparência e amizade. Filha-amiga-Luy. 
Que tanto se orgulhou e muito esperou. As distâncias, ausências e gritos só 
podem ser afagadas com um muito obrigada. Além de agradecer desejo que você 
trilhe o seu caminho de felicidade no ORIENTE com o MAXIMO RESPEITO que 
Vc me ensinou. Sigamos juntas!! 
Mais um agradecimento muito especial. Edu, companheiro, parceiro e amigo. O 
processo de elaboração de uma tese é exigente, angustia e obriga que a autora 
priorize o trabalho em detrimento de outras áreas da vida. Neste caso em 
especial, Edu foi mais que um leitor atento, debateu, reescreveu, questionou o 
texto e, principalmente, foi cirúrgico com toda a sua experiência que qualificou 
ainda mais o resultado final desse trabalho. Amor, obrigada! 
Por último, e mais importante, agradeço aos meus pais, Marinetinha e Toinho. 
Graças a eles sou o que sou hoje. Tive a educação que foi possível, mas sempre 
fui motivada a estudar, o que contribuiu muito para que eu escolhesse trilhar 
esse caminho de aprofundamento nos estudos. E a busca para melhorar de vida. 
Já que favelada pra subir na vida além de pegar o elevador, tem que se esforçar 
muito. Por tudo isso, agradeço muitíssimo, de todo coração, aos meus pais. 
 
 
 
 
 
 
RESUMO 
 
O objetivo desta dissertação é demonstrar que as Unidades de Polícia Pacificadora 
(UPPs), enquanto política de segurança pública adotada no estado do Rio de 
Janeiro, reforçam o modelo de Estado Penal. Para tal é necessário apresentar um 
estudo sobre o significado das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) pela 
perspectiva da Segurança Pública e fundamentado nos elementos da Administração 
Pública. Trata-se de averiguar quais as relações contidas nestas Unidades, 
intrínsecas ao processo de elaboração e consolidação de políticas na área de 
segurança pública. Nesse sentido, haverá um esforço de identificar se as Unidades 
de Polícia Pacificadoras representam uma alteração nas políticas de segurança ou 
se estas se confirmam como maquiagem dessas políticas. Busca-se analisar, em 
perspectiva teórica ampla, se o modelo neoliberal no Brasil incorpora os elementos 
de um Estado Penal, considerando o processo de formulação e de implementação 
das UPPs nas favelas do Rio de Janeiro, no período de 2008 a 2013, peça chave 
para a compreensão deste fenômeno. Considerando a Favela da Maré como um dos 
elementos que corroboram para esta análise, uma vez que estes são caracterizados 
por elementos que sintetizam o modelo teórico proposto por Loïc Wacquant (2002), 
a saber, o processo de penalização ampliado, que colabora sobremaneira para a 
consolidação do Estado Penal, parte-se do pressuposto de que o modelo de análise 
proposto por esse autor, se aplicado ao caso proposto e guardadas as 
peculiaridades de cada contexto histórico-político, permite identificar um Estado 
Penal que, pelo discurso da "insegurança social", aplica uma política voltada para 
repressão e controle dos pobres. A marca mais emblemática deste quadro é o cerco 
militarista nas favelas e o processo crescente de encarceramento, no seu sentido 
mais amplo. As UPPs tornam-se uma política que fortalece o Estado Penal com o 
objetivo de conter os insatisfeitos ou "excluídos" do processo, formados por uma 
quantidade significativa de pobres, cada vez mais colocados nos guetos das cidades 
e nas prisões. 
 
Palavras-chave: Administração Pública. Política Pública. Segurança Pública. UPP. 
 
 
 
 
ABSTRACT 
 
The purpose of this dissertation is to