A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Licopeno

Pré-visualização | Página 1 de 1

Licopeno
A busca por alimentos que possuam um ou mais nutrientes adicionados com efeitos benéficos para a saúde, contendo componentes com atividade fisiológica e biológica, além dos nutrientes, está cada vez mais em ascensão por parte dos consumidores. Nas últimas duas décadas o termo funcional foi aplicado a alimentos e adquiriu um novo significado e mais restrito, o de fornecer benefício fisiológico adicional, além de satisfazer as necessidades nutricionais.
Os alimentos funcionais são compostos por substâncias biologicamente ativas, que podem estimular processos fisiológicos ou metabólicos, reduzindo então o risco de doenças e a manutenção da saúde. Para oferecer efeitos positivos, os alimentos funcionais devem fazer parte da alimentação diária dos indivíduos, para que os compostos ativos se mantenham constantemente presentes no organismo.
O tomate é a principal fonte de licopeno. Como esta substância é absorvida melhor na presença de gorduras saudáveis, a adição de uma pequena dose de gordura monoinsaturada (como o azeite) facilita o transporte, a absorção e a ação do licopeno no organismo. Outra característica que aumenta a biodisponibilidade do licopeno é preparar o alimento cozido, pois no tomate cru o licopeno está em uma forma linear, já após o aquecimento, ele adquire uma conformação circular, a mesma encontrada na corrente sanguínea. O licopeno presente na melancia e no mamão é muito biodisponível (aproximadamente 60%), já no tomate cru é em torno de 13%, enquanto que este mesmo, cozido, sobe para 70%. O licopeno é uma substância carotenoide que confere a cor avermelhada ao tomate, melancia, morango, entre outros vegetais, sendo que quanto mais intensa for a cor vermelha, maior a quantidade de licopeno. É um antioxidante que combate os radicais livres e retarda o envelhecimento.
Os radicais livres são moléculas produzidas durante funções normais do organismo (durante o processo de combustão do oxigênio) como, por exemplo, exercícios físicos e respiração, assim como durante o hábito de fumar, excessiva exposição ao sol, poluição do ar e estresse. Podem danificar células saudáveis do organismo, podendo levar ao desenvolvimento de diversas doenças, como por exemplo, o câncer, inclusive o de próstata. Seu transporte no organismo ocorre por meio de lipoproteínas, em especial, o LDL (lipoproteína de baixa densidade), sendo que este possui a função de transportar colesterol para as células do corpo, levando também, juntamente, licopeno e betacaroteno. Seu principal local de estoque se encontra no fígado; outro local onde pode ser encontrado é no tecido adiposo (em menor quantidade), dependendo da quantidade de gordura existente no organismo.
O licopeno tem ação antioxidante que protege as células contra os radicais livres. Seu consumo deve estar associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.
Até o momento, a alegação padronizada está autorizada somente para uso em suplementos contendo licopeno extraído do tomate ou licopeno sintético, fontes já aprovadas pela Agência quanto à segurança de uso.
O relatório técnico-científico deve conter informações detalhadas sobre o processo de fabricação desses ingredientes e as especificações e laudos analíticos do fabricante, a fim de demonstrar o atendimento aos requisitos de qualidade estabelecidos em referências oficiais reconhecidas: Farmacopeia Brasileira e outras farmacopeias oficiais reconhecidas (ex. U. S. Pharmacopeia, European Pharmacopoeia), Codex Alimentarius, Joint FAO/WHO Expert Committee on Food Additives (JECFA), Food Chemical Codex (FCC) ou Dietary Supplement Compendium (DSC).
Para produtos que utilizem como fonte de licopeno ingredientes não aprovados pela ANVISA, podem ser encaminhadas, junto ao pedido de avaliação de eficácia de alegação, as informações para demonstração de segurança de uso do ingrediente de acordo com a Resolução n. 17/1999 e com o Guia para Avaliação de Alimentos e Ingredientes.
A quantidade de licopeno contida na recomendação diária do produto pronto para consumo de acordo com indicação do fabricante deve ser declarada no rótulo próximo à alegação.