Aula 2   Educação em Saúde no Processo SaúdexDoença
57 pág.

Aula 2 Educação em Saúde no Processo SaúdexDoença

Disciplina:Promocao e Educacao em Saude12 materiais89 seguidores
Pré-visualização2 páginas
*
*

EDUCAÇÃO EM SAÚDE

HISTÓRIA NATURAL DAS DOENÇAS
Universidade Nova Iguaçu – Nova Unig Campus V - Medicina
Prof. Ms. Luciana de Oliveira Fumian

*
*

Para Reflexão.....

*
*

*
*

Introdução

Saúde – Forças divinas e sobrenaturais
Doença – Maus espíritos

*
*

Introdução

Organização Mundial da Saúde

*
*

Introdução

A Saúde tem como fatores determinantes e condicionantes, entre outros a: alimentação, moradia, saneamento básico, meio ambiente, trabalho, renda, educação, transporte, lazer e o acesso aos bens e serviços essenciais.

Os níveis de saúde de uma população expressam a organização social e econômica do País.

Lei 8080, 1990.

*
*

Distribuição

Variabilidade da frequência das doenças de ocorrência na população, relacionados a variáveis ambientais e populacionais ligadas ao tempo.

*
*

Fatores Determinantes

Associação entre um ou mais fatores suspeitos, podendo levar a um estado característico de ausência de saúde, definido como doença.

*
*

Prevenção

*
*

História Natural das Doenças

“ As inter-relações do agente, do suscetível e do meio ambiente que afetam o processo global e o seu desenvolvimento, desde as primeiras forças que criam o estímulo patológico no meio ambiente, ou em qualquer outro lugar, passando pela resposta do homem ao estímulo, até as alterações que levem a um defeito, invalidez, recuperação e morte”.

*
*

História Natural das Doenças

“ Investigações clínicas, que visam a produzir informações sobre a evolução de um evento ”.

“ Tais pesquisas descrevem o curso clínico e estão centradas na observação de um número suficiente de pacientes, reunidos e acompanhados criteriosamente, a fim de produzir detalhes que permitam expressar a evolução do processo”.

*
*

AMBIENTE- conjunto de todos os fatores que mantém relações interativas com o agente etiológico e o hospedeiro, sem se confundir com os mesmos (Ambiente: Físico, Biológico, Social);

AGENTE- Embora, de um modo geral, se considere que cada doença infecciosa (não infecciosa ou agravos à saúde) tem seu agente etiológico específico, deve-se ter claro que não há um agente único da doença.
Tríade Epidemiológica/Ecológica das Doenças

Leavell e Clark, 1976

*
*

O HOSPEDEIRO (SUSCETÍVEL)- É aquele onde a doença se desenvolverá e terá oportunidade de se manifestar clinicamente.

O homem, como espécie, é suscetível a um grande número de agentes do meio, de natureza viva ou inorgânica, que com ele interagem, provocando disfunções.
Tríade Epidemiológica/Ecológica das Doenças

*
*

Tríade epidemiológica/ecológica das doenças
Gordis, L.2000. Epidemiology
Hospedeiro
Agente
Vetor
Ambiente
Estrutura Epidemiológica

*
*

Tríade Epidemiológica/Ecológica das Doenças

Hospedeiro

*
*

História Natural das Doenças
Divide-se em dois períodos:

Pré - Patogênese
Patogênese

*
*

Pré-Patogênese

Pré – condições que condicionam a produção da doença.
Vertente Epidemiológica.

*
*

Pré-Patogênese
 Condicionantes sociais:

- Fatores socioeconômicos, sociopolíticos, socioculturais e psicossociais.

 Condicionantes Ambientais;
 Condicionantes Genéticos;
 Multifatorialidade.

*
*

Fatores Socioeconômicos
Grupos sociais desprivilegiados economicamente são:

Percebidos como mais doentes ou mais velhos;
Duas ou três vezes mais propensos a enfermidades graves;
Morrem mais jovens;
Sua taxa de mortalidade infantil é a mais elevada;
Procriam crianças de baixo peso, em maior proporção.

*
*

Fatores Sociopolíticos

Higidez política;
 Não Participação consentida e valorização da cidadania;
Não Participação comunitária efetivamente exercida;
Não Transparência das ações e acesso às informações.

*
*

Fatores Socioculturais
Alienação em relação aos direitos e deveres de cidadania;

Incapacidade de se organizar para reivindicar;

Transferência de responsabilidade;

Passividade diante do poder exercido.

*
*

Fatores Psicossociais
Marginalidade;

Ausência de relações parentais estáveis;

Promiscuidade;

Carência afetiva;

Transtornos econômicos.

*
*

Condicionantes Ambientais
Agressões Ambientais – situação geográfica, solo, clima, recursos hídricos e topografia, agentes químicos e agentes físicos.

*
*

Exemplo:

*
*

Condicionantes Genéticos

Trissomia do Cromossomo 21 (Down)

O portador da Síndrome de Down tem três cópias do cromossomo 21, em vez de duas como é normal. Portanto, esse indivíduo tem 47 cromossomos em vez de 46.

*
*

Multifatorialidade

Estruturação senérgica de todas as condições e influências indiretas e pelos agentes que têm acesso direto às funções vitais do ser vivo, pertubando-o, constituindo o ambiente gerador da doença.

*
*

*
*

Período de Patogênese
(Vertente Patológica)
Possui quatro níveis de de evolução:

Interação Estímulo-suscetível;
Alterações bioquímicas, histológicas e fisiológicas;
Sinais e sintomas;
Cronicidade.

*
*

Período de Patogênese

*
*

Período de Patogênese

*
*

Interação Estímulo-suscetível
Fatores que predispõe o organismo à ação de agentes patógenos.

Ex:
 Má nutrição x tuberculose;

Aumento do colesterol sérico x doença coronariana;

*
*

Alterações Bioquímicas

Período de Incubação;

 Abaixo de Horizonte Clínico.

*
*

Sinais e Sintomas
Período clínico;

 Atinge uma massa crítica de alterações funcionais no organismo do acometido;

Pode evoluir para cura ou cronicidade ou ainda evoluir para invalidez ou para morte.

*
*

Cronicidade
Invalidez Temporária

*
*

Cronicidade
Infecções secundárias

*
*

Cronicidade
Invalidez Permanente

*
*

Cronicidade
Morte

*
*

Prevenção

Dividi-se em:

Prevenção primária;
Prevenção secundária;
Prevenção Terciária.

*
*

Prevenção Primária

Promoção da saúde: moradia, renda, escolaridade, alimentação e nutrição adequadas, condições para satisfação das necessidades básicas do indivíduo.

*
*

Prevenção Primária
Proteção Específica: imunização, saúde ocupacional, controle de vetores, quimioprofilaxia, exame pré-natal, fluoretação da água.

*

*
*

Prevenção Secundária
 As medidas dessa natureza são orientadas para o período patológico, enquanto a doença ainda está progredindo. Visam à “prevenção da evolução”;

Diagnóstico e tratamento Precoce: inquéritos domiciliares, exames periódicos, isolamento de doentes, tratamento imediato.

*
*

Prevenção Secundária
Limitação da Incapacidade; evitar futuras complicações, evitar seqüelas, estimulação precoce, acesso facilitado aos serviços de saúde, hospitalização em função das necessidades.

*
*

Prevenção Terciária
Reabilitação (impedir a incapacidade total, fisioterapia, terapia ocupacional, melhores condições de trabalho para o deficiente, próteses e órteses).

*
*

Classificação das Medidas Preventivas

*
*

- Medidas Universais – recomendada a todas as pessoas
 * dieta balanceada, higiene dental...
 - Medidas Seletivas – subgrupos da população:
 * faixa etária, sexo, ocupação;
 * vacina anti-rábica para o veterinário, proteção no trabalho.
 - Medidas Individualizadas – presença que coloca o indivíduo em alto risco para ter aquela doença:
 * exames clínicos e laboratoriais específicos,
 * controle da hipertensão ,
 * Quimioprofilaxia contra tuberculose.
Classificação das Medidas Preventivas
Medidas Universais, Seletivas e Individuais

*

*
*

Estrutura Epidemiológica

*
*

HISTÓRIA NATURAL DA CÓLERA
Fatores que intervêm na infecção (Tríade Epidemiológica):
Agente:
Agente etiológico Vibrio cholerae;

Hospedeiro:
Acomete pessoas de todas as faixas etárias, aparece sob a forma de doente ou portador;

Meio Ambiente:
Acomete locais onde a rede de esgoto