A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
QUÍMICA ORGÂNICA – ACETATO DE BUTILA

Pré-visualização | Página 1 de 1

FACULDADE DE SÃO BERNARDO DO CAMPO
SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
ENGENHARIA QUÍMICA
ARTHUR SCABIA
ENRICK STEVAN
LEANDRO MANDU
MARINA ANDRADE
MATHEUS ROCHA
VICTÓRIA GARCIA
QUÍMICA ORGÂNICA – ACETATO DE BUTILA
RELATÓRIO DE LABORATÓRIO
São Bernardo do Campo
2018
ARTHUR SCABIA
ENRICK STEVAN
LEANDRO MANDU
MARINA ANDRADE
MATHEUS ROCHA
VICTÓRIA GARCIA
QUÍMICA ORGÂNICA – ACETATO DE BUTILA
Relatório de aula de laboratório de química geral apresentado ao curso de Engenharia de Produção e química, da Faculdade de São Bernardo do Campo.
Orientadora: Profª. Isabel Pereira Rodrigues
São Bernardo do Campo 
2018
SUMÁRIO
OBJETIVO.....................................................................................................3
INTRODUÇÃO...............................................................................................4
PARTE EXPERIMENTAL..............................................................................5
Procedimento...............................................................................................5
Materiais e Reagentes..................................................................................5
RESULTADOS E DISCUSSÕES...................................................................6
CONCLUSÃO................................................................................................7
OBJETIVO
Realizar a purificação de produtos e reagentes;
Aprender as técnicas para o trabalho com compostos orgânicos, assim como o manuseio com equipamentos utilizados em pesquisas laborais;
Conhecer as técnicas para sintetizar, separar e purificar compostos orgânicos.
3
2. INTRODUÇÃO
O acetato de butila (Figura 1) é um éster límpido, incolor e com odor pungente de frutas (maçã verde) em baixa concentração e é um solvente ativo de médio ponto de ebulição.
Os ésteres podem ser preparados aquecendo-se os ácidos carboxílicos na presença de um catalisador ácido. Estas reações chamadas de esterificações, são facilmente reversíveis. Quantidades apreciáveis tanto dos reagentes quanto dos produtos estão presentes no equilíbrio. A formação do éster é favorecida pelo uso de um grande excesso de um dos reagentes (seja qual for o mais disponível) ou pela remoção de um dos produtos à medida que se forma.
Formado pela reação de Ácido acético e álcool n-butílico (n-butanol) em meio ácido (ácido sulfúrico) obedece a dois mecanismos de reações: A adição Eletrofílica e a adição nucleofílica; Constatadas por evidências como a presença de um ácido de Lewis, rearranjo na estrutura, obedece a regra de Markovinikov e velocidade da reação dependendo das concentrações dos compostos, e em geral a reação de adição eletrofítica envolverá também um reagente nucleofílico para que a reação se complete.
				(Figura 1 – Acetato de Butila)
Fonte: <http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/quimica/nomenclatura-esteres.htm>
4
PARTE EXPERIMENTAL
 Procedimento
 Materiais e Reagentes
5
RESULTADOS E DISCUSSÕES
6
CONCLUSÃO
7
REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS
PEREIRA RODRIGUES, I. Aulas práticas de orgânica. Faculdade São Bernardo do Campo. São Bernardo do Campo. 2018
PASSEI DIRETO. Preparação do acetato de butila. Disponível em: <passeidireto.com/arquivo/22609109/pratica-7---preparacao-do-acetato-de-butila> acesso em 12/03/2018