APRESENTACAO DA AULA 11 HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO
29 pág.

APRESENTACAO DA AULA 11 HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO


DisciplinaHistologia e Embriologia10.023 materiais429.237 seguidores
Pré-visualização2 páginas
SDE0028 \u2013 Histologia e Embriologia 
Aula 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
Histologia e Embriologia 
Introdução 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
São responsáveis pelo estabelecimento e manutenção da forma do corpo. 
 
As moléculas que compõem a matriz extracelular do tecido conjuntivo conectam 
e ligam as células e órgãos, dando, desta maneira, suporte ao corpo. 
Tecidos Células Matriz extracelular Funções 
Epitelial Poliédricas e justapostas Pequena quantidade Revestimento de 
superfícies e excreção 
Conjuntivo Vários tipos de células Abundante Preenchimento e 
proteção 
Muscular Alongadas e contráteis Quantidade moderada Movimento 
Nervoso Longos prolongamentos Nenhuma Transmissão de impulsos 
nervosos 
Histologia e Embriologia 
Introdução 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
 
Tem origem embrionária nas células mesenquimais do mesoderma que migram para todos os tecidos. 
 
Características principais: 
 
\u2022 Grande quantidade de material extracelular (fibras e substância amorfa); 
\u2022 Diversos tipos de células; 
\u2022 É vascularizado (exceto a cartilagem). 
 
 
 
Obs: A matriz extracelular (MEC) é constituída por fibras e substância fundamental amorfa. 
 
Histologia e Embriologia 
Funções gerais 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
Conectar 
 
Tecido epitelial + Tecido muscular + Tecido nervoso. 
 
Sustentação estrutural 
 
Ossos, Cartilagens, Ligamentos, Tendões, Cápsulas, Estroma. 
 
Meio de trocas (nutrição) 
 
Sangue (oxigênio e nutrientes). 
 
Reparo 
 
Cicatrização. 
Histologia e Embriologia 
Composição 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
\u2022 Substância fundamental amorfa. 
 
Constituída por proteogliganas, glicosaminoglicanas e proteínas de adesão. 
 
\u2022 Fibras 
 
Proporcionam forças de tração e elasticidade. 
1. Colágenas \uf0e0 É inelástica e possui grande resistência a tração. 
2. Elásticas \uf0e0 É formada por elastina e é altamente elástica, esticada 
até 150% de seu comprimento em repouso. 
3. Reticulares. 
 
\u2022 Células 
 
Vários tipos celulares. 
Histologia e Embriologia 
Substância fundamental amorfa 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
É uma mistura complexa altamente hidratada de 
moléculas aniônicas \u2013 glicosaminoglicanos, 
proteoglicanos \u2013 e glicoproteínas multiadesivas. 
É incolor e transparente e preenche os espaços entre 
as células e fibras. 
 
Sua viscosidade atua como barreira à penetração de 
organismos invasores e como lubrificante. 
Glicosaminoglicanos (GAG) \u2013 compostos por ácido 
hialurônico e hexosaminas. 
Proteoglicanos \u2013 formados por dermatam sulfato, 
queratam sulfato, condroitina sulfato ou heparam 
sulfato. 
 
São estruturas altamente hidratadas por uma grande 
camada de água de solvatação. 
Histologia e Embriologia 
Substância fundamental amorfa 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
Glicoproteínas multiadesivas: 
 
São proteínas ligadas a cadeias de glicídios: 
fibronectina e laminina. 
 
Os receptores celulares denominados de 
integrinas se ligam à fibronectina e a laminina 
permitindo a ligação do citoesqueleto da célula 
aos componentes de matriz extracelular. 
Histologia e Embriologia 
Substância fundamental amorfa 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
Funções: 
 
Reserva de Fatores de Crescimento; 
 
Trocas de nutrientes e catabolismo entre as 
células e a MEC. 
 
Histologia e Embriologia 
Fibras do tecido conjuntivo \u2013 Colágeno 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
Colágenas \u2013 formado pela proteína colágeno. Exerce função estrutural (resistência à tração) 
e estão agrupados de acordo com sua estrutura e função: 
 
Tipo I \u2013 fibras e feixes 
\u2022 Tendões, pele, ossos 
 
Tipo II \u2013 fibrilas (não forma fibras) 
\u2022 Cartilagens 
 
Tipo III \u2013 fibras \u2013 reticulares 
\u2022 Órgãos epiteliais \u2013 fígado, rins, glândulas endócrinas; 
\u2022 Hematopoéticos \u2013 baço, linfonodos, medula óssea; 
\u2022 Modificação de forma e volume \u2013 útero. 
 
Tipo IV \u2013 (não forma fibras e nem fibrilas) 
Não se agregam: formam lâmina basal. 
Histologia e Embriologia 
Aplicação médica 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
Osteogenesis imperfecta 
Mutação nos genes que codificam a cadeis alfa 1 e alfa 2, deleção total ou parcil do gene (I). 
 
Esclerose Sistêmica Progressiva 
Todos os órgãos podem apresentar acúmulo excessivo de colágeno (fibrose). 
 
Queloides 
Espessamento localizado na pele, devido a um depósito excessivo de colágeno. Ocorre 
frequentemente em indivíduos da raça negra. 
 
Escorbuto 
Carência de vitamina C causa deficiências na reposição do colágeno, degeneração do tecido 
conjuntivo. Alteração no ligamento periodontal e perda de dentes. 
Histologia e Embriologia 
Fibras do tecido conjuntivo \u2013 Reticulares 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
Proteína fibrosa formada por colágeno do tipo III 
associado a cadeias de carboidrato (reticulina) que 
se entrelaçam dando aspecto de \u201crede\u201d. 
 
São as fibras mais finas e delicadas do tecido 
conjuntivo; 
 
Ex: Músculo liso, trabéculas de órgãos hematopoiéticos 
como: baço, nódulos linfáticos e medula óssea 
vermelha, glândulas endócrinas, artérias, fígado, útero 
e camadas musculares de intestino. 
 
Síndrome de Ehlers-Danlos do tipo IV: Deficiência do 
Colágeno tipo III: ruptura na parede das artérias e do 
intestino, ambas ricas em fibras reticulares. 
 
Histologia e Embriologia 
Fibras do tecido conjuntivo \u2013 Elásticas 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
É formada por elastina e é altamente elástica, esticada até 150% de seu 
comprimento em repouso. 
Histologia e Embriologia 
Células 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
São de diversos tipos e exercem diversas funções. 
São produzidas localmente e permanecem no tecido; outras, tais como os leucócitos, vêm de 
outros territórios e podem habitar, temporariamente o tecido conjuntivo. 
São: Fibroblastos; Macrófagos; Mastócitos; Plasmócitos; Células adiposas; e leucócitos. 
Histologia e Embriologia 
Resumo das células 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
Histologia e Embriologia 
Fibroblastos 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
São as células mais comuns do tecido conjuntivo; 
Sintetizam as proteínas fibrosas (colágeno e elastina) 
e as macromoléculas da substância fundamental. 
 
\u2022 FIBROBLASTOS 
 
\u2022 Intensa atividade metabólica; 
\u2022 Citoplasma abundante e muitos prolongamentos; 
\u2022 Produzem fatores de crescimento; 
\u2022 Responsáveis pela cicatrização e regeneração. 
 
\u2022 FIBRÓCITOS: 
 
\u2022 Atividade metabólica quiescente; 
\u2022 Citoplasma abundante e poucos prolongamentos. 
Histologia e Embriologia 
Fibroblastos e fibrócitos nos tecidos 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
Histologia e Embriologia 
Macrófagos 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
Derivados dos monócitos da medula óssea que 
migram, ultrapassam vênulas e, no tecido conjuntivo, 
transformam-se em Macrófagos. 
 
Núcleos grandes (forma de rim). 
 
Fagocitárias (sistema fagocitário mononuclear). 
 
Apresentadoras de antígeno. 
Histologia e Embriologia 
Monócitos 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
Derivados de células precursoras da medula óssea. 
Estão presentes no sangue. 
Os monócitos e macrófagos são considerados a 
mesma célula em estágios diferentes de maturação. 
Histologia e Embriologia 
Mastócitos 
AULA 11: Tecido conjuntivo propriamente dito 
Globosas, núcleo pequeno, esférico e central. 
Grânulos de histamina e heparina (vasodilatadora e anticoagulante). 
Têm papel importante na expulsão de parasitas, reações alérgicas e na inflamação. 
Também têm origem na