A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Mecanorreceptores da Pele

Pré-visualização | Página 2 de 5

do receptor se dissipa. Quando a pressão é aliviada, os eventos ocorrem de maneira inversa; a terminação despolariza novamente e pode disparar outro potencial de ação. 
Na década de 1960, Werner Loewenstein e seus colegas, da Universidade de Columbia, retiraram as cápsulas de corpúsculos isolados e observaram que a terminação axonal desnuda tornou-se muito menos sensível aos estímulos vibratórios e mais sensível a pressão estática. Evidentemente, a cápsula em camadas (e não alguma propriedade da terminação nervosa em si) que torna o corpúsculo de Pacini especialmente sensível a vibração, ou estímulos de alta frequência, e quase não respondendo a pressão estática.
Discriminação de Dois Pontos: 
A capacidade para discriminarmos características detalhadas de um estímulo varia consideravelmente ao longo do corpo. Uma medida simples da resolução espacial é o teste de discriminação de dois pontos. Você pode fazer em si mesmo, usando um clipe para papel dobrado na forma de um U. Comece com as pontas distanciadas entre si dois a três centímetros e encoste-as na ponta de um dedo da mão; você não terá dificuldade em dizer que duas pontas separadas estão tocando seu dedo. Aproxime, agora, um pouco as duas pontas do arame e encoste-as novamente na ponta de seu dedo. Repita o teste até observar qual a distância em que devem estar essas pontas para que você as perceba como um único ponto. (Esse teste fica melhor se for feito com duas pessoas, uma testando e a outra sendo testada sem olhar.) Tente depois no dorso da mão, em seus lábios, na sua perna ou em qualquer outro lugar que lhe interessar.
A capacidade de discriminação de dois pontos pode variar em, pelo menos, vinte vezes ao longo do corpo. As pontas dos dedos da mão são as áreas de maior resolução. Os pontos da escrita Braille tem 1 mm de altura e são separados por uma distância de 2,5 mm; até 6 pontos compõem uma letra. Um leitor experiente em Braille pode percorrer com o dedo indicador uma página com pontos salientes e ler aproximadamente 600 letras por minuto, o que é aproximadamente tão rápido quanto ler em voz alta. Existem várias razões para explicar por que a ponta dos dedos e muito melhor para ler em Braille do que, digamos, o cotovelo:
Existe uma densidade muito maior de mecanorreceptores na pele da ponta dos dedos da mão do que em outras partes do corpo;
As pontas dos dedos têm um maior número de receptores com campos receptivos pequenos;
Existe mais tecido cerebral (e, portanto, um maior poder de computação resultante) destinado ao processamento da informação sensorial de cada milímetro quadrado da ponta do dedo da mão do que de outros locais;
Pode haver mecanismos neurais especiais destinados as discriminações de alta resolução.
Axônios Aferentes Primários:
A pele e ricamente inervada por axônios que percorrem uma vasta rede de nervos periféricos em seu trajeto em direção ao sistema nervoso central (SNC). Os axônios que levam a informação dos receptores sensoriais somáticos a medula espinhal ou ao tronco encefálico são os axônios aferentes primários do sistema sensorial somático. Os axônios aferentes primários entram na medula espinhal através das raízes dorsais; seus corpos celulares estão nos gânglios da raiz dorsal (Figura 12.8).
Os axônios aferentes primários apresentam diâmetros variados, e seus tamanhos correlacionam-se com o tipo de receptor sensorial ao qual estão ligados. Infelizmente, a terminologia para os diferentes tamanhos de axônios beira o absurdo, pois utiliza dois conjuntos de nomes, com letras gregas e arábicas e numerais romanos; 
Os axônios de tamanho similar, mas que inervam os músculos e tendões, são chamados de grupos I, II, III e IV. Observe que os nervos sensoriais da pele não possuem o grupo de maior tamanho (A). 
Os axônios do grupo C (ou IV) são, por definição, não-mielinizados, enquanto todos os demais são mielinizados. Há uma questão interessante e fundamental por trás desses vários nomes de axônios. Lembre-se que o diâmetro de um axônio, juntamente com a quantidade de mielina, determina sua velocidade de condução do potencial de ação. Os axônios menores, as chamadas fibras C, não possuem mielina e tem diâmetro menor do que 1 mm. As fibras C transmitem a sensação de dor e de temperatura e são os axônios mais lentos, conduzindo a uma velocidade de cerca de 0,5 a 2 m/s. Para ter uma ideia de quão lento é isso, de um passo grande, conte até dois e, então, de outro passo. Essa é, grosso modo, a velocidade de propagação dos potenciais de ação ao longo das fibras C. Por outro lado, as sensações de tato, transmitidas pelos mecanorreceptores cutâneos, são conduzidas pelos axônios A_ relativamente grandes, os quais podem conduzir a velocidades de até 75 m/s.
Considere, como comparação, que um bom lançador profissional de beisebol pode arremessar uma bola rápida a cerca de 144 km/h, que é apenas 40 m/s.
A Medula Espinhal:
A maioria dos nervos periféricos comunica-se com o sistema nervoso central via medula espinhal, a qual está envolta pela coluna vertebral óssea.
Organização Segmentar da Medula Espinhal:
O arranjo das raízes dorsais e ventrais em pares está mostrado na Figura 12.8 e se repete 30 vezes ao longo da extensão da medula espinhal humana. Cada nervo espinhal consiste em axônios da raiz dorsal e da raiz ventral, que passam através do forame entre as vértebras da coluna. Existe o mesmo número de nervos espinhais que os de forames entre as vértebras. Conforme mostrado na Figura 12.10, os 30 segmentos espinhais estão divididos em quatro grupos, e cada segmento recebe a denominação da vértebra seguinte adjacente a origem do nervo: cervical (C) 1 a 8, torácico (T) 1 a 12, lombar (L) 1 a 5 e sacral (S) 1 a 5.
A organização segmentar dos nervos espinhais e a inervação sensorial da pele estão relacionadas. A área da pele inervada pelas raízes dorsais, direita e esquerda, de um único segmento espinhal se chama dermátomo; existe, portanto, uma correspondência de um-para-um entre os dermátomos e os segmentos espinhais. Ao serem mapeados, os dermátomos delineiam uma organização em bandas da superfície corporal, como visualizado na Figura 12.11. A organização dos dermátomos é mais bem visualizada em um corpo inclinado com ambas as mãos e os pés apoiados no chão. Presume-se que essa organização seja um reflexo de nossa remota ancestralidade quadrúpede. Quando uma raiz dorsal é seccionada, o dermátomo correspondente do lado da lesão não perde toda a sensação. A sensação somática residual é explicada pelo fato de que as raízes dorsais adjacentes inervam áreas sobrepostas.
Para perder, portanto, toda a sensação em um dermátomo, três raízes dorsais adjacentes devem ser seccionadas. Entretanto, a pele inervada pelos axônios de uma raiz dorsal pode ser plenamente revelada em uma condição patológica chamada herpes zoster (cobreiro), quando todos os neurônios de um único gânglio da raiz dorsal são infectados com um vírus. 
Observe na Figura 12.10 que a medula espinhal dos adultos termina aproximadamente no nível da terceira vértebra lombar. Os feixes de nervos espinhais que seguem na direção caudal dentro da coluna vertebral lombar e sacral são chamados de cauda equina (em latim para “cauda de cavalo”). A cauda equina percorre a coluna vertebral em direção caudal, envolvida por uma cápsula de dura-máter, preenchida com liquido cefalorraquidiano (LCR). No procedimento chamado punção lombar, utilizado na coleta de LCR para diagnóstico médico, uma agulha é inserida na linha média dessa cisterna preenchida por LCR. Entretanto, se a agulha for inserida um pouco fora do centro, um nervo poderá ser atingido. Não será surpreendente se isso causar uma sensação de dor aguda no dermátomo suprido por aquele nervo.
Organização Sensorial da Medula Espinhal:
A medula espinhal está constituída de um núcleo central de substância cinzenta, circundada por um espesso envoltório de tractos de substância branca,