361830109 Estruturas Met Licas e de Madeiras
9 pág.

361830109 Estruturas Met Licas e de Madeiras


DisciplinaEstruturas Metálicas1.288 materiais12.417 seguidores
Pré-visualização5 páginas
ESTRUTURAS METÁLICAS E DE MADEIRA 
Efetuar as possíveis combinações últimas normais (Estado Limite Último) para uma barra de treliça constituída por perfil 
de aço, sujeita a uma força axial de tração. Tal força é originada a partir das seguintes ações: 
Peso próprio da estrutura de aço: G1 = 20 kN 
Carga acidental (de uso e ocupação): Q1 = 25 kN 
Ação do vento de sobrepressão: Qv1 = 18 kN 
Ação do vento de sucção: Qv2 = -12 kN 
Considerar que na construção não há predominância de pesos ou equipamentos que permanecem fixos por longos períodos 
de tempo, nem de elevadas concentrações de pessoas. 
A partir das combinações determinadas, qual valor obtido para o esforço normal de tração será utilizado nas verificações de 
segurança quanto ao Estado Limite Último (ELU)?77,6 kN 
 
Efetuar as possíveis combinações últimas normais (Estado Limite Último) para uma barra de treliça constituída por perfil 
de aço, sujeita a uma força axial de tração. Tal força é originada a partir das seguintes ações: 
Peso próprio da estrutura de aço: G1 = 19 kN 
Carga acidental (de uso e ocupação): Q1 = 17 kN 
Ação do vento de sobrepressão: Qv1 = 12 kN 
Ação do vento de sucção: Qv2 = -7 kN 
Considerar que na construção não há predominância de pesos ou equipamentos que permanecem fixos por longos períodos 
de tempo, nem de elevadas concentrações de pessoas. 
A partir das combinações determinadas, qual valor obtido para o esforço normal de tração será utilizado nas verificações de 
segurança quanto ao Estado Limite Último (ELU)? Em caso de resposta decimal, considerar uma casa após a vírgula59,3 kN 
 
Efetuar as possíveis combinações últimas normais (Estado Limite Último) para uma barra de treliça de aço 
submetida à solicitação axial de tração, cujo esforço é originado a partir das seguintes ações: 
Peso próprio da estrutura de aço: G1 = 15,4 kN 
Peso próprio de equipamentos fixos: G2 = 18,2 kN 
Carga acidental (de uso e ocupação): Q1 = 14,5 kN 
Ação do vento de sobrepressão: Qv1 = 15,6 kN 
Ação do vento de sucção: Qv2 = -15,1 kN 
Considerar que, na construção, não há predominância de pesos e de equipamentos que permanecem fixos por longos 
períodos de tempo, nem de elevadas concentrações de pessoas. 
A partir das combinações determinadas, qual valor obtido para o esforço normal de tração será utilizado nas verificações 
de segurança quanto ao Estado Limite Último (ELU)? 81,40 kN 
 
Efetuar as possíveis combinações últimas normais (Estado Limite Último) para uma barra de treliça constituída por perfil 
de aço, sujeita a uma força axial de tração. Tal força é originada a partir das seguintes ações: 
Peso próprio da estrutura de aço: G1 = 22 kN 
Carga acidental (de uso e ocupação): Q1 = 15 kN 
Ação do vento de sobrepressão: Qv1 = 13 kN 
Ação do vento de sucção: Qv2 = -6 kN 
Considerar que na construção não há predominância de pesos ou equipamentos que permanecem fixos por longos períodos 
de tempo, nem de elevadas concentrações de pessoas. 
A partir das combinações determinadas, qual valor obtido para o esforço normal de tração será utilizado nas verificações de segurança 
quanto ao Estado Limite Último (ELU)? Em caso de resposta decimal, considerar uma casa após a vírgula.60,9 kN 
 
Calcular a força a partir de combinação de longa duração (Estado Limite de Utilização), para uma viga de madeira 
sujeita a um carregamento verticalmente distribuído ("q"), originado a partir das seguintes ações características: 
Peso próprio da estrutura de madeira: G = 3,5 kN/m (grande variabilidade) 
Carga acidental (de uso e ocupação): Q = 5,0 kN/m 
Ação do vento de sobrepressão: Qv1 = 4,2 kN/m 
Considerar que, na construção, não há predominância de pesos e de equipamentos que permanecem fixos por longos 
períodos de tempo, nem de elevadas concentrações de pessoas. 
A partir das combinações determinadas, qual valor obtido para o carregamento verticalmente distribuído será utilizado nas 
verificações de segurança quanto ao Estado Limite Utilização?quti = 4,5 kN/m 
 
Determinar as possíveis combinações últimas normais (Estado Limite Último) para uma barra de treliça de madeira 
submetida à solicitação axial de tração, cujo esforço é originado a partir das seguintes ações características: 
Peso próprio da estrutura de madeira: G = 10,2 kN (grande variabilidade) 
Carga acidental (de uso e ocupação): Q = 15,7 kN 
Ação do vento de sobrepressão: Qv1 = 12,6 kN 
Ação do vento de sucção: Qv2 = -11,1 kN 
Considerar que, na construção, não há predominância de pesos e de equipamentos que permanecem fixos por longos 
períodos de tempo, nem de elevadas concentrações de pessoas. 
A partir das combinações determinadas, qual valor obtido para o esforço normal de tração será utilizado nas verificações de 
segurança quanto ao Estado Limite Último (ELU)?Fd = 45,08 kN. 
 
Realizar as possíveis combinações últimas normais (Estado Limite Último) para uma barra de treliça constituída por 
perfil de aço, sujeita a uma força axial de tração. Tal força é originada a partir das seguintes ações: 
Peso próprio da estrutura de aço: G1 = 25 kN 
Carga acidental (de uso e ocupação): Q1 = 20 kN 
Ação do vento de sobrepressão: Qv1 = 15 kN 
Ação do vento de sucção: Qv2 = -9 kN 
Considerar que na construção não há predominância de pesos ou equipamentos que permanecem fixos por longos 
períodos de tempo, nem de elevadas concentrações de pessoas. 
A partir das combinações determinadas, qual valor obtido para o esforço normal de tração será utilizado nas verificações de 
segurança quanto ao Estado Limite Último (ELU)?73,9 kN 
Uma barra comprimida de madeira, empregada em uma treliça, possui comprimento (L) de 110 cm e seção transversal 
quadrada com dimensões 12×12 (cm). Determinar sua capacidade resistente quanto ao esforço normal de compressão 
(Nd,res). No modelo de análise estrutural foi admitido que as extremidades da barra são biarticuladas segundo os dois planos 
de análise. Considerar madeira serrada de 2ª categoria, classe de resistência C20 e classe 3 de umidade. Nd,res = 92,16 kN 
 
Uma barra comprimida de madeira, empregada em uma treliça, possui comprimento (L) de 120 cm e seção transversal 
retangular com dimensões 12×24 (cm). Determinar sua capacidade resistente quanto ao esforço normal de compressão 
(Nd,res). No modelo de análise estrutural foi admitido que as extremidades da barra são biarticuladas segundo os dois planos 
de análise. Adotar madeira serrada de 2ª categoria, classe de resistência C20 e classe 4 de umidade. Nd,res = 184,32 kN. 
 
O critério de dimensionamento em peças com furação deve-se observar com maior importância a região nas 
proximidades dos furos, pois é uma região onde apresentam tensões não uniformes no regime elástico. 
Como visto nas leituras, marque com (V) de Verdadeiro e (F) de Falso as alternativas a seguir: 
( ) A determinação da área da seção transversal líquida efetiva é necessária quando ocorre a concentração de tensões no 
segmento ligado e não distribuído em toda a seção da ligação, na qual a área líquida é corrigida por um fator de redução. 
( ) Em perfis de chapas finas tracionadas e ligadas por conectores, além da ruptura da seção líquida, o colapso por 
rasgamento ao longo de uma linha de conectores pode ser determinante no dimensionamento gerando o cisalhamento de 
bloco. 
( ) Em furação enviesada, é necessário pesquisar diversos percursos para encontrar o menor valor da seção líquida, uma 
vez que a peça pode romper segundo qualquer um desses percursos. 
( ) Quando as cargas de tração aplicadas em uma peça com furos extrapola o limite de escoamento,