A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
Histórico dos instrumentos psicológicos   aula 1

Pré-visualização | Página 1 de 1

Histórico dos instrumentos 
psicológicos
Profa. Marcela Mariano
Texto da aula:
PASQUALI, Luiz. Histórico dos instrumentos 
psicológicos. In: PASQUALI, Luiz e cols. 
Instrumentação psicológica. Porto Alegre: 
Artmed, 2010, p. 11-21. 
Histórico dos instrumentos psicológicos
 Os instrumentos psicológicos ou testes, 
representam um procedimento sistemático 
de avaliação.
 Avaliar, no entanto, é natural do ser 
humano, um processo que pode 
acontecer de modo formal ou informal. 
Histórico dos instrumentos psicológicos
 Embora conste formas de avaliação 
formal (com base à códigos de conduta) 
deste tempos longínquos (12.000 a. C., 
por exemplo), são escassos os relatos do 
uso de técnicas sistemáticas nessas 
épocas. 
Histórico dos instrumentos psicológicos
Por volta de 3.000 a.C.
China
Testes para seleção de funcionários civis
116-200 d.C.
Galeno (Roma)
Teoria dos temperamentos: 
Melancólico (triste, reservado, sério)
Colérico (agressivo, excitável, impaciente)
Fleumático (passivo, pacífico, calmo)
Sanguíneo (sociável, alegre, extrovertido).
Histórico dos instrumentos psicológicos
 A origem da avaliação formal, se deve aos 
psicólogos do fim do século XIX.
 A psicometria, ramo da Psicologia em 
interface com a estatística, já foi 
considerada um ramo da estatística em 
interface com a Psicologia.
Histórico dos instrumentos psicológicos
Esquematização da história da psicometria:
 Década de Francis Galton – 1880: avaliação 
das aptidões humanas por meio da medida 
sensorial. Propôs o desenvolvimento de 
algumas medidas em estatística. 
Segundo Galton: “toda informação do homem
chega pelos sentidos, quanto melhor o estado
destes, melhor as operações intelectuais”.
Histórico dos instrumentos psicológicos
 Década de James Cattell – 1890:
discípulo de Galton, desenvolveu medidas 
das diferenças individuais e da avaliação 
do desempenho acadêmico de crianças. 
Enfatizava as medidas sensoriais. 
Inaugurou a terminologia “teste mental”. 
Histórico dos instrumentos psicológicos
 Década de Binet – 1900: interesse na avaliação das 
aptidões humanas visando à predição na área 
acadêmica e da saúde. 
Crítica: testes sensoriais não tinham relação importante 
com as funções intelectuais, se referindo à habilidades 
muito específicas.
Necessidade de investigar funções mais amplas, como 
memória, imaginação, compreensão, e outros. 
 Charles Spearman – importantes contribuições nesse 
período, um dos principais teóricos a aplicar modelos 
matemáticos ao estudo do funcionamento mental. 
Histórico dos instrumentos psicológicos
A era dos testes de inteligência – 1910 -1930: influências:
 Em 1905 publicou-se a Escala Binet-Simon, primeiro
teste para avaliação da capacidade cognitiva geral.
Destinada à avaliação de crianças.
 Spearman escreveu um artigo sobre o fator g.
 Terman adaptou a Escala francesa de Binet-Simon para 
os EUA, que passou a se chamar Escala Stanford-Binet. 
Histórico dos instrumentos psicológicos
 Demanda de testes de fácil e rápida aplicação para 
seleção de recrutas - primeira guerra mundial (1914-
1918) -> Army Alpha e Army Beta -> avaliação não-
verbal da inteligência.
 Em 1912, Wilhelm Stern propôs a medida de Quociente 
Intelectual (QI). O conceito foi refinado posteriormente 
por Lewis Terman, em 1916. 
O QI constitui uma medida padronizada da capacidade 
intelectual:
IM/IC x 100= idade mental acima da idade cronológica, 
escore maior que 100 e idade cronológica acima da 
idade mental, escore abaixo de 100. 
Histórico dos instrumentos psicológicos
 A década da análise fatorial – 1930: ideias
de Thurstorne, psicólogo norte-americano,
em 1938, discordou da concepção do fator
g dada por Spearman, e sugeriu a
existência de habilidades específicas e
independentes.
Histórico dos instrumentos psicológicos
 A era da sistematização – 1940-1980: trabalhos de 
síntese e de crítica.
 Síntese: sistematização dos avanços obtidos, por 
diversos estudiosos (Guilford, Gulliksen, Torgerson, 
Thurstone, Cattell, entre outros).
 Crítica: levantamento de problemas das escalas de 
medidas, desenvolvimento de teoria alternativa (TRI) e 
pesquisas novas sobre componentes cognitivos da 
inteligência. 
Histórico dos instrumentos psicológicos
 A era da psicometria moderna – 1980: era da 
teoria de resposta ao item. No entanto, ainda há 
críticas:
 Este modelo, embora novo, ainda não resolveu 
todos os problemas fundamentais e não é 
definitivo.
 Não substitui toda a teoria clássica, apenas 
partes dela. 
Histórico dos instrumentos psicológicos
 No Brasil:
Diversos avanços e dificuldades ao longo da sua
história.
Período inicial de grande empolgação e uso
indiscriminado.
Muitas críticas que levaram à organização e
regulamentação da profissão.
Histórico dos instrumentos psicológicos
 Cinco grandes fases da testagem e avaliação psicológica 
no Brasil:
1) Produção médico-científica acadêmica – 1836-1930.
2) Estabelecimento e difusão da psicologia no ensino nas 
universidades – 1930-1962.
3) Criação de cursos de graduação em psicologia – 1962-
1970.
4) Implantação dos cursos de pós-graduação – 1970-1987. 
5) Emergência dos laboratórios de pesquisa – 1987 em 
diante.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.