TCC ISIS
14 pág.

TCC ISIS

Disciplina:Projeto Experimental II - Monografia4 materiais51 seguidores
Pré-visualização4 páginas
UCAM – UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES	Comment by Fernanda Camargo Prinz: Atenção: faça as alterações solicitadas neste mesmo arquivo, pois já fiz alguns ajustes na formatação. Sugiro refazer várias partes de seu trabalho. Está raso, não está bom.
ISSES FERREIRA LEITE MOREIRA

BIOLOGIA - EVOLUÇÃO HUMANA	Comment by Fernanda Camargo Prinz: Repense este título!

MATA VERDE - MG
2017
UCAM – UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES
ISSES FERREIRA LEITE MOREIRA

BIOLOGIA - EVOLUÇÃO HUMANA

Artigo Científico Apresentado à Universidade Candido Mendes - UCAM, como requisito parcial para a obtenção do título de Especialista em Ensino de Biologia.

MATA VERDE - MG
2017

BIOLOGIA - EVOLUÇÃO HUMANA	Comment by Fernanda Camargo Prinz: Faça a paginação de seu trabalho. Esta deve ser a página 1.

Isses Ferreira Leite Moreira

RESUMO

A Evolução Humana também conhecida como antropogênese, é a origem da evolução do homem. O estudo da evolução humana é fruto de pesquisas, ainda em desenvolvimento, iniciadas pelo legado de descobertas e teorias. O estudo sobre a evolução humana é um dos campos mais complexos e interdisciplinares existentes, sendo que para sua mínima compreensão é necessária uma completa investigação histórica que engloba grande parte das ciências modernas. Este trabalho tem como objetivo catalogar os eventos do passado e formar um parâmetro lógico para se alcançar o entendimento racional referente ao progressivo crescimento do gênero Homo e suas subdivisões taxonômicas, até alcançar o status de Homo sapiens (do latim “Homem sábio”). Ao término de todas as comparações e refutações de resultados, ponderados por um ponto de vista unicamente evolucionista, conclui – se que os processos evolutivos responsáveis pela existência dos seres humanos e em seguida o seu amplo desenvolvimento, foram consequência dos períodos por eles vividos e das necessidades presentes em função da sobrevivência e manutenção da espécie, vê - se também esses mesmos acontecimentos manifestando-se atualmente, mudando unicamente a “roupagem”.

Palavras-Chave: Evolução humana. Sobrevivência. Manutenção.

Introdução

Inferir o porquê de sermos os seres, cujas capacidades de raciocínio nos tornam diferentes dos demais é uma tarefa intrigante e complexa. Nós ultrapassamos a instintividade a qual os animais em geral estão submetidos e alcançamos um patamar “superior”. Partindo dessa ideia, a proposta inicial desse trabalho é conseguir sistematizar e relacionar, mesmo que sem muito aprofundamento, os acontecimentos do passado que influenciaram e que continuam a interferir de forma tão significativa no curso de nossas vidas.
Um dos focos deste documento é abordar algumas das correntes de pensamento ligadas a antropogênese, ou seja, relacionadas à origem e desenvolvimento dos seres humanos. O assunto tem ganhado muita ênfase em debates nas mais diversas linhas de pensamento, envolvendo em grande parte as religiões e a ciência. Optamos por seguir as proposições cientificas deste modo, não levamos em conta os ideais religiosos, apresentando-os apenas de maneira superficial.
Analisamos as concepções evolucionistas em relação aos hominídeos e seu desenvolvimento, evidenciando a cada tópico, o processo de aprimoramento psicológico e as variações morfológicas e fisiológicas das pessoas ao longo do tempo.
A organização por assuntos é apresentada em ordem de relevância e cronologia, entendemos que para podermos sintetizar e tentar padronizar a ampla gama de informações sobre a temática seria necessário utilizar esse artifício. Características estruturais, vestígios genéticos, fontes históricas, comparação embrionária e a curiosidade unida à capacidade de questionar, esses elementos, foram organizadas e se mostraram grandiosas fontes de dados capazes de responder a muitas das perguntas sobre o conflituoso enigma da evolução humana.
Esta pesquisa é justificada pela importância de se conhecer nossas origens seguindo correntes argumentativas mais ‘palpáveis’ e lineares, consequentemente originando um senso crítico menos restrito e mais embasado. Para auxiliar com esse alargamento de visão, recorremos às analogias e ideologias de estudiosos ligados ao naturalismo, a pesquisa genética e aos campos de investigação das áreas sociais, reafirmando ou dissentindo de seus pensamentos, fez isso por meio de vastas pesquisas em livros e na internet para que deste modo, pudéssemos chegar a uma conclusão coerente e satisfatória.

Desenvolvimento

Processo de evolução

Evolução, no ramo da biologia, é a mudança das características hereditárias de uma população de uma geração para outra. Este processo faz com que as populações de organismos mudem e se diversifiquem ao longo do tempo.
Do ponto de vista genético, evolução pode ser definida como qualquer alteração no número de genes ou na frequência dos alelos de um ou um conjunto de genes, em uma população, ao longo das gerações. Mutações em genes podem produzir características novas ou alterar características que já existiam, resultando no aparecimento de diferenças hereditárias entre organismos. Estas novas características também podem surgir da transferência de genes entre populações, como resultado de migração, ou entre espécies, resultante de transferência horizontal de genes. A evolução ocorre quando estas diferenças hereditárias tornam-se mais comuns ou raras numa população, quer de maneira não aleatória através de seleção natural ou aleatoriamente através de deriva genética.
Espécie pode ser definida como o agrupamento dos espécimes capazes de compartilhar material genético – usualmente por via sexuada – a fim de reproduzirem-se gerando descendência fértil. No entanto, quando uma espécie é separada em várias populações que por algum motivo não mais se possam cruzar, mecanismos como mutações, deriva genética e a seleção de características novas provocam a acumulação de diferenças ao longo de gerações, diferenças que, acumuladas, podem implicar desde curiosidades biológicas como os denominados anéis de espécies até a emergência de espécies novas e distintas.

Seleção Natural

Três são as premissas que exemplificam o raciocínio da Seleção Natural e que por consequência assinalam o ponto inicial, por assim dizer, para se compreender os seres humanos. A primeira premissa é que os seres vivos de uma determinada espécie, por mais parecidos que sejam, apresentam, naturalmente, pequenas diferenças entre si. Isso é notável, se observarmos nossa realidade perceberemos que até mesmo os gêmeos univitelinos que são aparentemente ‘iguais’ possuem características próprias.
A segunda premissa é que os seres vivos podem transmitir essas pequenas diferenças que os caracterizam a seus descendentes. E isso também é mais do que evidente. Por isso os filhos apresentam semelhanças em relação a seus pais.
A terceira — e crucial — premissa é que, no mundo natural, algumas características são mais vantajosas que outras.
Aí se aplica a essência da seleção natural, segundo Charles Darwin (1859) “Não são as espécies mais fortes que sobrevivem nem as mais inteligentes, e sim as mais suscetíveis a mudanças”.

Adaptar, sobreviver e evoluir

Conseguir acompanhar as transformações é também ser capaz de evoluir e foi essa capacidade que nos permitiu transcender o que se entendia por evolução, já que não apenas nos adaptamos as necessidades que o meio nos impunha como também alcançamos um nível mais desenvolvido do que o de qualquer outro ser vivo em relação à racionalidade. Conforme Dan Millman (2012)
Toda mudança positiva - todo salto para um nível maior de energia e consciência - envolve um ritual de passagem. A cada subida para um degrau mais alto na escada da evolução pessoal, devemos atravessar um período de desconforto, de iniciação. Eu nunca conheci uma exceção (MILLMAN, 2012).	Comment by Fernanda Camargo Prinz: Inclua essa fonte nas suas referências.
É o processo proposto por Charles Darwin e Alfred Wallace para explicar