Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
2 APOL OK  Ética e Fundamentos Filosóficos

Pré-visualização | Página 1 de 2

Questão 1/10
Leia o trecho a seguir:
“Para realizar estas aspirações, devemos decidir viver com um sentido de responsabilidade universal, identificando-nos com a comunidade terrestre como um todo, bem como com nossas comunidades locais. [...]. Cada um compartilha responsabilidade pelo presente e pelo futuro bem-estar da família humana e de todo o mundo dos seres vivos”.
MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Carta da Terra. 2000. p. 2. Disponível: http://www.mma.gov.br/estruturas/agenda21/_arquivos/carta_terra.pdf
 
Com base no texto e no livro da disciplina, podemos dizer que a expressão “ser-no-mundo” significa...
	
	A
	que nós humanos só conseguimos realizar nossa existência na convivência com os outros.
	
	B
	uma forma de nos posicionarmos individualmente no mundo, fora do contexto social.
	
	C
	nosso modo de viver onde as responsabilidades não tem impacto sobre a vida dos outros.
	
	D
	nossa tendência de vivermos de maneira egoísta e individualista.
	
	E
	que por vivermos em sociedade não precisamos de regras que organizem a vivência coletiva.
Questão 2/10
“Toda moral é uma longa e audaciosa falsificação, graças à qual se torna possível uma alegria perante o espetáculo da alma”.
NIETZSCHE, F. Para Além do Bem e do Mal. São Paulo: Martin Claret, 2003. p. 206
 
A citação acima retoma a ideia de Aristóteles de que o bem agir e o desenvolvimento de atributos e qualidades é que levam o ser humano a ser feliz. Com base no livro da disciplina, podemos dizer que a esses atributos e qualidades ele deu o nome de...
	
	A
	Valores
	
	B
	Virtudes
	
	C
	Normas morais
	
	D
	Boas ações
	
	E
	Teleologia
Questão 3/10
“Alguns se vangloriam dos seus vícios; e tu pensas que busca remédio quem enumera os seus vícios como se fosse virtudes?”
SENECA. Aprendendo a Viver. Cartas Lucílio. Porto Alegre: L&PM, 2008. p. 31
 
Sêneca faz uma contraposição entre vícios e virtudes e a ação humana. Com base no livro da disciplina, podemos definir o homem virtuoso como...
	
	A
	aquele que age puramente por instinto, sem reflexão.
	
	B
	alguém movido pelo excesso em suas ações.
	
	C
	alguém capaz de refletir e escolher o que é mais adequado.
	
	D
	aquele que está longe de um equilíbrio entre excesso e deficiência.
	
	E
	alguém que é movido por uma sabedoria passiva, sem reflexo na prática.
Questão 4/10
“[...] o problema da relação entre moral e política se põe do seguinte modo: é constatação comum, feita por quem quer que saiba um pouco de história, que nas esferas políticas são realizadas continuamente ações que a moral considera ilícitas ou, ao contrário, são permitidas ações que a moral considera imperiosas. Dessas constatação chegou-se à convicção de que a política obedece a um código de regras diferente da moral.”
 
BOBBIO, N. Elogio da Serenidade e outros escritos morais. São Paulo: Editora UNESP, 2002. p. 88.
Bobbio, nesse trecho, cita política como sinônimo de direito. Com base no trecho lido e no livro da disciplina, que relações podemos estabelecer entre direito, moral e ética?
 
Assinale a alternativa correta:
	
	A
	O direito tem um caráter mais global do que a ética e a moral.
	
	B
	A moral e o direito são sinônimos, o que os diferencia é a ética.
	
	C
	A ética é a reflexão teórica e crítica sobre a moral e o direito.
	
	D
	A diferença entre moral e direito está na origem divina do direito.
	
	E
	Moral e política obedecem ao mesmo código de regras.
Questão 5/10
Leia o fragmento de texto a seguir:
 
O gênio de Rousseau, que consagra a originalidade radical de sua empreitada, é o de ter pensado a educação como uma nova forma de mundo engajado, contraditoriamente, em um processo histórico de deslocamento. Enquanto seus contemporâneos mais ativos, também roçados pela “graça educacional”; e os mestres do pensamento se esmeravam, por meio da educação, de remodelar o homem, tornando-o senão um humanista, um bom cristão, um cavalheiro, um bom cidadão, Rousseau deixa de lado o conjunto das técnicas, rompendo com todos os modelos e proclamando que a criança não tem que se tornar outra coisa senão naquilo que ela deve ser [...]
 
Fonte: SOËTARD, Michel. Jean-Jacques Rousseau. Recife: Fundação Joaquim Nabuco / Editora Massangana, 2010. (p. 13-14)
 
De acordo com as aulas e com o livro-base da disciplina, analise as sentenças a seguir:
 
I – Defendendo que Deus criou o homem e a natureza, para Rousseau as relações do homem com a natureza estavam no próprio homem.
II – Um dos preceitos de Rousseau é de que todos os homens nascem bons, porém, a sociedade os corrompe.
III – Para muitos de seus contemporâneos, Rousseau era tido como um teórico que estava sempre na contracorrente.
 
Agora assinale a alternativa correta:
	
	A
	Estão corretas as sentenças II e III, apenas.
	
	B
	Estão corretas as sentenças I e II, apenas.
	
	C
	Estão corretas as sentenças I e III, apenas.
	
	D
	Está correta a sentença III, apenas.
	
	E
	Está correta a sentença I, apenas.
Questão 6/10
Leia o texto a seguir.
“[...] ele [Piaget] traça um paralelo entre o desenvolvimento intelectual e o desenvolvimento da afetividade e mostra que a emergência dos sentimentos morais faz parte de um processo mais amplo: o desenvolvimento da afetividade. Já em O julgamento moral na criança nós encontramos a ideia de que as relações afetivas que se estabelecem entre os seres humanos estão na origem da ação moral: a condição primeira da vida moral é a necessidade de afeição recíproca. Assim como ele explicou por qual caminho o organismo humano constrói as estruturas mentais na interação incessante que estabelece com o meio físico e social, ele buscou explicar também o percurso que conduz o ser humano da anomia à autonomia moral.”FREITAS, L. Piaget e a Consciência Moral: Um Kantismo Evolutivo? In:Psicologia: Reflexão e Crítica, 2002, 15(2), pp. 303-308.Piaget, observando crianças, estabeleceu quatro etapas da formação da consciência moral dos indivíduos.
De acordo com os conteúdos abordados nas aulas e no livro-base, relacione corretamente as etapas da formação da consciência moral às suas características.
Anomia
Heteronomia
Socionomia
Autonomia
(  ) Etapa em que se obedece as normas para receber recompensa ou evitar o castigo.
(  ) A criança já interiorizou as normas morais e passa agir conforme elas.
(  ) As normas morais vão se firmando por meio da relação com outras crianças.
(  ) Etapa do comportamento puramente instintivo, de fuga da dor e busca pelo prazer.
	
	A
	4, 1, 3, 2
	
	B
	1, 2, 3, 4
	
	C
	2, 3, 1, 4
	
	D
	3, 4, 2, 1
	
	E
	2, 4, 3, 1
Questão 7/10
Leia o fragmento de texto a seguir:
 
[...] Alguns pré-socráticos conceberam como “almas” todos os “princípios das coisas” enquanto “coisas vivas”. [...] Contudo, antes de Platão se constituiu um complexo de especulações sobre a ideia de alma que mais tarde foi absorvido e, por assim dizer, “purificado” por esse filósofo. [...] Começou-se a crer que há em cada homem uma realidade de ordem divina, que preexistiu ao corpo e perdurará depois da morte e degeneração do corpo. [...] Platão acolheu essas ideias e aprimorou-as consideravelmente. No princípio, no Fédon, defendeu um dualismo quase radical do corpo e da alma. [...] A teoria da alma pura é em Platão o fundamento de sua teoria do conhecimento verdadeiro [...].
 
Fonte: FERRATER MORA, J. Dicionário de filosofia. 2 ed. Tomo I. São Paulo: Edições Loyola, 2004. P. 87.
 
            Considerando o texto e os conteúdos abordados no livro da disciplina, acerca da teoria de Platão sobre o ser humano, leia as sentenças a seguir, analisando-as:
 
I – O ser humano, para Platão, é sempre formado por dois elementos básicos, o corpo físico (material) e a alma (essência).
II – A alma humana é, para Platão, imaterial, e justamente por isso podemos dizer que ela é da mesma natureza das ideias.
III – O corpo,
Página12