Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
apol fudamentos filosoficos e ética 90

Pré-visualização | Página 1 de 2

Leia o excerto a seguir:
“Alguns se vangloriam dos seus vícios; e tu pensas que busca remédio quem enumera os seus vícios como se fosse virtudes?”
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: SENECA. Aprendendo a Viver. Cartas Lucílio. Porto Alegre: L&PM, 2008. p. 31.
Sêneca faz uma contraposição entre vícios e virtudes e a ação humana. Com base no livro Ética empresarial na prática, podemos definir o homem virtuoso como...
	
	A
	aquele que age puramente por instinto, sem reflexão.
	
	B
	alguém movido pelo excesso em suas ações.
	
	C
	alguém capaz de refletir e escolher o que é mais adequado.
	
	D
	aquele que está longe de um equilíbrio entre excesso e deficiência.
	
	E
	alguém que é movido por uma s
Leia o trecho a seguir:
“Para realizar estas aspirações, devemos decidir viver com um sentido de responsabilidade universal, identificando-nos com a comunidade terrestre como um todo, bem como com nossas comunidades locais. [...]. Cada um compartilha responsabilidade pelo presente e pelo futuro bem-estar da família humana e de todo o mundo dos seres vivos”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/agenda21/_arquivos/carta_terra.pdf>. Acesso em: 28 jul. 2016.
Com base no texto e no livro-base Ética empresarial na prática, podemos dizer que a expressão “ser no mundo” significa...
	
	A
	que nós humanos só conseguimos realizar nossa existência na convivência com os outros.
	
	B
	uma forma de nos posicionarmos individualmente no mundo, fora do contexto social.
	
	C
	nosso modo de viver onde as responsabilidades não tem impacto sobre a vida dos outros.
	
	D
	nossa tendência de vivermos de maneira egoísta e individualista.
	
	E
	que por vivermos em sociedade não precisamos de regras que organizem a vivência coletiva.
Leia o trecho a seguir: 
“O cristianismo, portanto, passa a considerar que o ser humano é, em si mesmo e por si mesmo, incapaz de realizar o bem e as virtudes. Tal concepção leva a introduzir uma nova ideia na moral: a ideia do dever. Por meio da revelação aos profetas (Antigo Testamento) e de Jesus Cristo (Novo Testamento), Deus tornou sua vontade e sua lei manifestas aos seres humanos, definindo eternamente o bem e o mal, a virtude e o vício, a felicidade e a infelicidade, a salvação e o castigo. Aos humanos, cabe reconhecer a vontade e a lei de Deus, cumprindo-as obrigatoriamente, isto é, por atos de dever. Estes tornam morais um sentimento, uma intenção, uma conduta ou uma ação”.
 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: CHAUÍ, M. Convite à Filosofia. São Paulo: Ed. Ática, 2001. p. 344.
Com base no texto citado e no livro-base Ética empresarial na prática, analise as assertivas a seguir sobre a ética religiosa. 
I. Podemos dizer que é uma ética teleológica, pois importa apenas o fim – salvação – independente dos meios para isso.II. É uma ética deontológica, pois é baseada na ideais de deveres a serem seguidos: os mandamentos.III. Encaixa-se como uma ética finalista, uma vez que segue a vontade de Deus em suas leis manifestas.IV. Parte do princípio que o homem sozinho não pode realizar o bem e precisa ser guiado por atos de dever. 
Assinale a alternativa com os itens corretos.
	
	A
	Apenas as proposições I e II estão corretas.
	
	B
	Apenas as proposições I e III estão corretas.
	
	C
	Apenas as proposições III e IV estão corretas.
	
	D
	Apenas as proposições II e III estão corretas.
	
	E
	Apenas as proposições II e IV estão corretas.
Questão 4/10
Leia o trecho de música a seguir:
“Autonomia”
O que eu queria, o que eu
sempre queria
Era conquistar a minha
autonomia
O que eu queria, o que eu
sempre quis
Era ser dono do meu nariz
Os pais são todos iguais
Prendem seus filhos na jaula
Os professores com seus lápis
de cores
Te prendem na sala de aula
O que eu queria, o que eu
sempre queria
Era conquistar a minha
autonomia
O que eu queria, o que eu
sempre quis
Era ser dono do meu nariz
Autonomia. Titãs. Álbum “Televisão” (1985)
 A música dos Titãs apresenta uma definição de “Autonomia”, muito ligada a liberdade de agir. Outra definição possível, presente no livro-base Ética empresarial na prática, é a de Jean Piaget, para quem “Autonomia” é a interiorização das normas morais e comportar-se segundo elas. Qual relação podemos fazer entre as duas definições? Assinale a alternativa correta:
	
	A
	Ambas definições são excludentes, pois não podemos agir conforme as normas e sermos “donos de nosso nariz”.
	
	B
	A definição de Piaget não se enquadra no tema proposto pela música.
	
	
	
	
	C
	Podemos relacionar o conceito de autonomia na música com o de heteronomia de Piaget.
	
	D
	São ideias complementares, pois ser “dono do nariz” é agir por seus próprios princípios internos de conduta.
	
	E
	Ser “dono do nariz” conforme a música é agir buscando a aprovação dos outros.
 
Questão 5/10
Leia o fragmento de texto a seguir: 
“O dicionário Houaiss define o Iluminismo como movimento intelectual do século XVIII, caracterizado pela centralidade da razão e da ciência, crítico do dogmatismo e das doutrinas políticas e religiosas tradicionais. É um pensamento que trabalha com paradoxos e dicotomias: razão e fé, luzes e sombras, ilustração e ignorância, direitos e privilégios, contrato social e absolutismo etc.”
Após esta avaliação, caso queira ler este artigo integralmente, ele está disponível em: MARRACH, Sônia. Outras histórias da educação: do iluminismo à indústria cultural. São Paulo: UNESP, 2009. p. 38.
Conforme os conteúdos do livro-base Fundamentos filosóficos da educação, Voltaire e Rousseau destacam-se entre os pensadores iluministas. Pensando nessa direção, relacione corretamente os referidos pensadores às suas proposições:
1. Voltaire
2. Rousseau
(  ) Sua obra faz alusão aos índios da América, caracterizados como seres autênticos, porém, que se corromperam no contato com o homem civilizado.
(  ) A crítica à educação da nobreza da época é tema  de sua obra, na qual propõe uma aprendizagem que enfatiza questões de ordem prática.
(  ) É contra o fato de que as crianças aprendam a ler muito cedo; afirma que isso leva ao enfraquecimento das experiências sensórias.
(  ) Temas como “bom selvagem” e “homem natural” são pressupostos que perpassam sua obra.
Agora, marque a sequência correta:
	
	A
	2 – 1 – 2 – 1.
	
	B
	2 – 1 – 2 – 2.
	
	C
	1 – 1 – 2 – 1.
	
	D
	2 – 2 – 1 – 1.
	
	E
	2 – 2 – 2 – 1.
Questão 5/10
Leia o fragmento de texto a seguir: 
“O dicionário Houaiss define o Iluminismo como movimento intelectual do século XVIII, caracterizado pela centralidade da razão e da ciência, crítico do dogmatismo e das doutrinas políticas e religiosas tradicionais. É um pensamento que trabalha com paradoxos e dicotomias: razão e fé, luzes e sombras, ilustração e ignorância, direitos e privilégios, contrato social e absolutismo etc.”
Após esta avaliação, caso queira ler este artigo integralmente, ele está disponível em: MARRACH, Sônia. Outras histórias da educação: do iluminismo à indústria cultural. São Paulo: UNESP, 2009. p. 38.
Conforme os conteúdos do livro-base Fundamentos filosóficos da educação, Voltaire e Rousseau destacam-se entre os pensadores iluministas. Pensando nessa direção, relacione corretamente os referidos pensadores às suas proposições:
1. Voltaire
2. Rousseau
(  ) Sua obra faz alusão aos índios da América, caracterizados como seres autênticos, porém, que se corromperam no contato com o homem civilizado.
(  ) A crítica à educação da nobreza da época é tema  de sua obra, na qual propõe uma aprendizagem que enfatiza questões de ordem prática.
(  ) É contra o fato de que as crianças aprendam a ler muito cedo; afirma que isso leva ao enfraquecimento das experiências sensórias.
(  ) Temas como “bom selvagem” e “homem natural”
Página12